Opiniões

PSL com Caio gera disputa com Wladimir pelo apoio da nominata de Neném e Bruno

 

Anunciado ontem (confira aqui), o apoio do PSL à candidatura de Caio Vianna (PDT) a prefeito de Campos produziu reações imediatas. Também candidato a prefeito, o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) revelou que ainda ontem se reuniu em Brasília com o presidente estadual do PSL, deputado Sargento Gurgel. Que hoje publicou em grupo de WhatsApp da bancada federal fluminense: “Uma parcela da nominata (do PSL em Campos) tem um carinho pelo Dep. Wladimir, por isso o Felício (Laterça) decidiu liberar aqueles que desejarem”. Também deputado federal, vice-presidente estadual do PSL e coordenador do partido em 18 municípios fluminenses, incluindo Campos, Felício articulou a aliança do seu partido com Caio, a quem deu a vice na chapa: a sargento bombeiro e odontóloga Gilmara Gomes dos Santos. Com ela, o pedetista terá o genroso tempo de propaganda eleitoral do PSL, que tem a segunda maior bancada da Câmara Federal.

 

Mas como fica a questão dos candidatos do PSL a vereador de Campos no apoio aos candidatos a prefeito?

— Vivemos em uma democracia e as pessoas têm liberdade para caminharem com quem elas quiserem. Cabe ao PSL se posicionar, pois o partido tem a vice na chapa. Mas tenho certeza de que quando a campanha for para a rua, não só os candidatos a vereador, mas a população campista vão saber escolher entre os projetos de irresponsabilidade ou de reconstrução da cidade. Entre um projeto de responsabilidade fiscal e recuperação financeira, exitoso no governo Arnaldo Vianna (PDT), ou o das gestões que desperdiçaram o dinheiro público no Cepop, na Cidade da Criança, em obras inacabadas no Mercado Municipal, de eUBS e creches até hoje não concluídas — alfinetou Caio Vianna.

— O que ocorreu é que desde lá atrás, vínhamos conversando com Gil Vianna (deputado estadual, presidente municipal do PSL e pré-candidato a prefeito, morto por Covid em 19 de maio). Ele montou a nominata do PSL em 80% e me pediu ajuda na conclusão dos outros 20%, que fiz liberando pré-candidatos a vereador nossos. Quando Gil morreu, como a aliança estava encaminhada, tive uma reunião com o Gurgel em Brasília. Ele me disse para deixar a coisa caminhar naturalmente com Bruno Vianna, filho de Gil, na presidência do PSL em Campos. Depois que Bruno perdeu o controle do partido, a coisa foi encaminhada pelo Felicio primeiro com a candidatura do coronel Fabiano (Santos, oficial da PM) e depois para uma aliança com Caio. Depois que ela foi selada, conversei ontem de novo com o Gurgel e ele me disse que tinha um acordo com Felicio para liberar o apoio da nominata em Campos, que ajudei Gil a montar — explicou Wladimir Garotinho.

 

E como ficam os candidatos a vereador do PSL em Campos diante desse aparente dilema?

 

Considerados puxadores de voto da nominata do PSL, Neném e Nildo Cardoso apostam na aliança com Caio, que Bruno Vianna questiona e diz esperar orientação oficial do partido

 

— Sou favorável ao fechamento do partido no apoio a Caio a prefeito. Se o PSL bateu o martelo, deu a vice da chapa, a nossa coligação é com Caio e nós somos um mesmo grupo político, entendo qualquer outro apoio a prefeito como infidelidade partidária. Hoje, mesmo, depois do anúncio na noite de ontem da aliança, fiz uma reunião com meu grupo político e deixei claro: nós vamos com Caio. Também conversei ontem com o Nildo Cardoso, presidente do partido em Campos, e ele é da mesma opinião — fechou Luiz Alberto Neném, único vereador do PSL em Campos e candidato à reeleição. O blog tentou contato também com Nildo, ex-vereador e candidato a voltar à Câmara Municipal, sem sucesso. Ontem, porém, ao confirmar a aliança entre seu PSL e o PDT, ele apostou: “Vai dar Wladimir e Caio no segundo turno e lá Caio vence a eleição”.

— Estou esperando a posição oficial do partido. Depois que eu perdi a presidência do PSL em Campos, essa questão de aliança deixou de ser tratada diretamente comigo. Wladimir me disse que conversou com Gurgel e que ele iria liberar a nominata de vereadores na questão de apoio a prefeito. Só sei de uma coisa: meu pai não iria caminhar com Caio (de quem foi candidato a vice-prefeito na eleição municipal de 2016). Essa aliança não teria acontecido se Gil ainda estivesse por aqui — apostou Bruno Vianna, também candidato a vereador pelo PSL.

 

Além de Nildo, o blog tentou contato com os deputados federais Sargento Gurgel e Felicio Laterça, até agora em sucesso.  

 

Este post tem um comentário

  1. PSL em Campos está uma bagunça! Acabaram com partido , estão manchando a imagem, o excelente trabalho feito por Gil Vianna, fanta de respeito com quem levantou o partido na região! Não honraram nem respeitaram a memória de Gil Vianna, além de roubarem partido do filho é futuro vereador, Bruno Vianna.
    Lamentável! Pessoas que estavam sem teto na política.

Deixe uma resposta

Fechar Menu