Opiniões

Com decisão do STJ, sombra de Lula volta a agitar a cena política do país

 

(Foto: Diomarcelo Pessanha – Folha da Manhã)

No feriado fluminense de Jorge da Capadócia, a novidade veio de Brasília. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, no caso do sítio do triplex do Guarujá. Mas reduziu sua pena para 8 anos e 10 meses de prisão. Como está preso há mais de um ano na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, após ter sido condenado a 12 anos e 1 mês pelo Tribunal Federal da 4ª Região (TRF-4),  Lula passaria a cumprir a pena em regime semiaberto, podendo deixar a cadeia de dia para trabalhar. Após cumprir 1/6 da pena com a redução de ontem do STJ,  isso seria já a partir de setembro deste ano.

Na prática, duas coisas poderiam impedir a progressão da pena do ex-presidente. A primeira é que ele já foi também condenado pela 1ª instância da Justiça Federal de Curitiba a 12 anos e 11 meses de prisão, no caso do sítio de Atibaia, também pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ainda sem data marcada, seu recurso será julgado pelo TRF-4. Se for antes de ter passado a regime semiaberto, ele permaneceria em regime fechado.

A outra coisa que deve definir o futuro de Lula é o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do cumprimento de pena após condenação em 2ª instância. Marcado para 10 de abril e tirado de pauta pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, o julgamento ainda não tem nova data marcada. Mas é provável que ocorra antes de setembro. Parece haver uma maioria mínima entre os ministros para revisar o entendimento consitucional que gerou a prisão do líder petista em 7 de abril de 2018. A tendência atual do STF é de um acordo para o cumprimento da pena só após o julgamento do STJ.

Há ainda a possibilidade de Lula passar à prisão domiciliar, caso o STF entenda que, por ter mais de 70 anos, ele teria esse direito. Quando era seu advogado, o ex-ministro do STF Sepúlveda Pertence queria apostar nessa tese. Mas a coisa não foi adiante porque o ex-presidente se recusou a usar tornozeleira eletrônica.

Em meio a muitas dúvidas, o fato é que a perspectiva de ter Lula de volta à vida pública, mesmo com limitações, movimenta desde ontem o meio político do país. Se Jair Bolsonaro (PSL) já enfrenta tantas dificuldades, muitas vezes criadas por seu próprio governo, com a ajuda dos seus filhos e guru, como seria se pudesse estar opinando publicamente quem elegeu o presidente, na condição de seu oposto?

Sem juízo de valor sobre os dois políticos mais populares do país nos últimos 17 anos, de hoje até setembro, as cenas dos próximos capítulos prometem…

 

Pluralidade e trabalho coletivo levam sucesso do jornal às ondas do rádio

 

 

História de liderança

Nascida em 8 de janeiro de 1978, a Folha da Manhã demorou dois meses para se tornar o jornal mais vendido de Campos e do Norte Fluminense. E manteve a posição nos 41 anos seguintes. Não faltaram tentativas de ameaçar essa liderança, algumas usando artifícios pouco republicanos. No último dia 5 de abril, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB) denunciou (aqui) que seu ex-aliado Anthony Garotinho (hoje, sem partido), quando era governador, usou dinheiro de propina da caixinha da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor) para montar em Campos o jornal O Diário.

 

Do jornal às rádios

A liderança do jornal que resistiu, batiza o grupo de comunicação. E foi ecoada recentemente nas ondas do rádio. Em setembro do ano passado, em Macaé, a rádio AM do Grupo Folha mudou em setembro de 2018 para FM, adotando o nome Rádio Hits 99,7. E rapidamente se tornou líder do mercado na Princesinha do Atlântico. Fruto da mesma migração de AM a FM, no último dia 28 de março, aniversário de Campos, nasceu a Folha FM 98,3. E, segundo o ranking da Radio.com, que mede a frequência das rádios no Estado e no país, ela já lidera (aqui) a audiência de abril no município. Não só entre as FM, mas também as AM.

 

Folha no Ar

O carro chefe da programação da Folha FM é a 1ª edição do Folha no Ar. Sempre de 7h às 8h30, de segunda a sexta, é ancorado pelo locutor Marco Antônio Rodrigues, com a bancada fixa formada ainda pelos jornalistas Arnaldo Neto e Aluysio Abreu Barbosa. Sua segunda edição ocorre nos mesmos dias da semana, entre 18h10 e 19h, capitaneado pelo radialista Cláudio Nogueira, gerente da emissora. Os dois programas trazem comentários das notícias do dia e entrevistados. O da manhã de ontem foi o deputado João Peixoto (DC), que contou (aqui) um pouco da sua história política de seis mandatos na Alerj, após ter sido vereador em Campos.

 

João Peixoto

O entrevistado falou da sua luta pela Ponte da Integração, entre São João da Barra e São Francisco de Itabapoana. De entrega prometida e adiada várias vezes no governo Luiz Fernando Pezão (MDB), hoje preso, a obra teve a conclusão herdada pelo governador Wilson Witzel (PSC). O experiente parlamentar também projetou as eleições à Prefeitura de Campos em 2020. Embora mantenha contatos com pré-candidatos anunciados como o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), os estaduais Gil Vianna (PSL) e Rodrigo Bacellar (SD), além de Caio Vianna (PDT), João costura sua aliança com o prefeito Rafael Diniz (PPS).

 

Repercussão

Importante elo no apoio de João à reeleição de Rafael é o vereador governista Jorginho Virgílio (PRP), liberado pelo prefeito para trabalhar em 2018 na reeleição do deputado. Este projetou a migração de Jorginho ao seu DC, mas não aposta que os também vereadores José Carlos e Cláudio Andrade fiquem na legenda. Postado ao vivo na página da Folha FM no Facebook, o vídeo da entrevista de Peixoto tinha alcançado mais de 12,8 mil pessoas até a noite de ontem, com mais de 1,4 mil visualizações. O convidado do Folha no Ar da manhã de hoje é (aqui) o juiz Heitor Campinho, titular da 1ª Vara de Família e coordenador do Fórum de Campos.

 

Campos a SJB

As eleições à Prefeitura de São João da Barra também estiveram na pauta da entrevista com João Peixoto. Ele não teve dúvida a cravar seu apoio à reeleição de Carla Machado (PP). E foi lembrado que, antes das urnas de 2020, deve estar o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da Machadada, que já condenou a prefeita em primeira e segunda instâncias. Segundo fontes, o fato da ressalva ser posta aos políticos entrevistados no Folha no Ar tem incomodado Carla. Assim como parece incomodar a seus opositores o fato do microfone da Folha FM sempre ressaltar o óbvio: no voto, a prefeita sanjoanense é pule de 10.

 

Trabalho coletivo

Não se pode negar que Carla é favorita à reeleição. Nem ignorar que no meio do caminho pode haver o TSE. Ser atento às duas perspectivas é colocar o interesse público acima dos interesses do público. A melhor resposta deveria ser dada pela própria prefeita sanjoanense, convidada mais de uma vez ao Folha no Ar. Essa pluralidade parece ser a causa do sucesso, da Folha da Manhã à Folha FM de 41 anos depois. E dele são responsáveis cada profissional da rádio e da redação do jornal. Como lecionou em vida seu fundador, Aluysio Cardoso Barbosa, cuja imagem e exemplo referenciam esta coluna: “jornalismo é trabalho coletivo, ou nada”.

 

Publicado hoje (23) na Folha da Manhã

 

Folha FM lidera, traz João Peixoto na segunda e Heitor Campinho na terça

 

 

No ranking da Radios.com.br do mês de abril, a Folha FM liderou a audiência entre rádios FM e AM de Campos (Reprodução)

 

Como o Cristiano Abreu Barbosa divulgou aqui, em seu Ponto de Vista, a Folha FM 98,3 assumiu a liderança no ranking de audiência da Radios.com.br, não só entre as emissorras FM de Campos, mas também entre as AM. E fez isso com menos de um mês de vida, após ser inaugurada em 28 de março, aniversário da cidade.

 

João Peixoto no Folha no Ar da manhã desta segunda (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

Carro chefe da programação da nova emissora, o Folha no Ar 1ª edição, sempre das 7h às 8h30, de segunda a sexta, bateu outro recorde. Na página da Folha FM 98,3 no Facebook, o programa da manhã de hoje, que entrevistou do deputado estadual João Peixoto (DC), alcançou (aqui) mais de 12,5 mil usuários da rede social, com o vídeo visulizado por mais de 1,3 mil pessoas.

 

Estatíticas do vídeo da entrevista de João no Facebook: mais de 12 mil pessoas alcançadas (Reprodução do Facebook)

 

Na entrevista, João falou sobre suas cobranças pela Ponte da Integração, que unirá os municípios de São João da Barra e São Fracisco de Itabapona sobre o rio Paraíba do Sul. Apesar das promessas de entrega feitas e refeitas durante o governo Luiz Fernando Pezão (MDB), hoje preso por corrupção, a obra teve sua conclusão herdada pelo governador Wilson Witzel (PSC).

Além da sua carreira política, o expediente deputado estadual também fez projeções para as eleições municipais de 2020. Na disputa à Prefeitura de Campos, João já manteve contatos com quase todos os pré-candidatos anunciados: o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), os estaduais Gil Vianna (PSL) e Rodrigo Bacellar (SD), e o ex-candidato Caio Vianna (PDT). Mas disse que seu apoio está sendo acertado com Rafael Diniz (PPS).

Em 2018, o prefeito liberou o vereador governista Jorginho Virgílio (PRP), que apoiou Peixoto na última reeleição à Alerj e estaria de mudança ao seu DC, na disputa de 2018. Ele só bateu literalmente na madeira quando falou dos atuais vereadores do partido, seu ex-aliado Zé Carlos e Cláudio Andrade. O deputado deu a entender que ambos não permanecerão no DC, que estaria costurando para atrair outra vereadora de Campos, cujo nome não revelou.

 

Juiz Heitor Campinho

 

No início da manhã desta terça (23), o convidado do Folha no Ar será o juiz Heitor Campinho. Titular da 1ª Vara de Família da comarca e designado para tentar resolver os atrasos da 5ª Vara Cível, ele é o coordenador do Fórum de Campos. Até às 7h de amanhã, fique com a íntegra do programa de hoje e a entrevista com João Peixoto:

 

Folha no ar 1ª Edição – 22/04/2019 – Entrevista com o Deputado João Peixoto.

Folha no ar 1ª Edição – 22/04/2019 – Entrevista com o Deputado João Peixoto

Publicado por Folha FM 98,3 em Segunda-feira, 22 de abril de 2019

 

Folha FM: Rafael e Ibiapina antes de João, Heitor, Makhoul, Bastos e Adriano

 

Rafael Diniz no Folha no Ar na tarde de quarta (Foto: Rodrigo Silveira – Folha da Manhã)

 

Nesta sexta-feira santa (19), por conta do feriado, o programa Folha no Ar não será exibido na Folha FM 98,3. Nem na sua edição matutina, nem na vespertina. Esta trouxe ontem (17) uma entrevista com o prefeito Rafael Diniz (PPS), que deu a manchete de capa da Folha da Manhã desta quinta (18). Ela pode ser conferida aqui e nos três vídeos abaixo:

 

 

 

 

Rodrigo Ibiapina, comandante do 8º BPM, na manhã desta quinta no Folha no Ar (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

Na manhã desta quinta, o entrevistado do Folha no Ar foi o tenente coronel Rodrigo Ibiapina, comandante do 8º BPM de Campos. Do que foi falado sobre a Segurança Pública do município e da região, pode ser conferido aqui e nos cinco vídeos abaixo:

 

 

 

 

 

 

Passado o feriado da Páscoa, o Folha no Ar volta na próxima segunda (22), sempre a partir das 7 da manhã na Folha FM98,3, que trará como convidado o deputado estadual João Peixoto (DC). O programa terá sequência na terça (23), com o juiz e coordenador do Fórum de Campos, Heitor Campinho; na quarta (24), com o médico e ex-candidato a prefeito Makhoul Moussalem; na quinta (25), com o jornalista e secretário municipal de Governo Alexandre Bastos; e na sexta (26), com o professor, poeta e dramaturgo Adriano Moura.

 

João Peixoto, Heitor Campinho, Makhoul Moussalem, Alexandre Bastos e Adriano Moura (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Até que o Folha no Ar recomece sua sequência na próxima semana, o blog e o blogueiro farão uma necessária pausa. Abç, ótima Páscoa e inté!

 

 

Dom Rifan na manhã de quarta, Rafael à tarde e Ibiapina nesta quinta

 

Dom Fernando Rifan foi o convidado da manhã desta quarta no Folha no Ar, da Folha Fm 98,3 (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

Um dos dois bispos católicos de Campos, representante da ala tradicionalista, Dom Fernando Rifan foi o convidado de hoje do Folha no Ar. O programa da Folha FM 98,3 é apresentado de 7h às 8h30, sempre de segunda a sexta. Em sua edição vespertina, o Folha no Ar trará ainda hoje uma entrevista com prefeito Rafael Diniz (PPS), a partir das 18h30. No início da manhã desta quinta (18), o entrevistado será o tenente-coronel Rodrigo Ibiapina, comandante do 8º BPM de Campos.

 

Prefeito Rafael Diniz será o entrevistado das 18h30 de hoje no Folha no Ar, que volta às 7h desta quinta, com o comandante da PM Rodrigo Ibiapina (Foto: Supcom)

 

Às vésperas de Páscoa, Dom Rifan esclareceu que o período é o mais importante do calendário católico, mais até do que o Natal. Ele falou sobre a origem judaica do Pessach (“Passagem”, ou “Páscoa” em hebraico), que marca a libertação dos antigos hebreus, liderados por Moisés, do Egito à Terra Prometida. Entre os cristãos, a importância é reforçada por ter sido o período em que Jesus foi recebido como rei em Jerusalém, onde seria capturado, torturado e morto na cruz, antes da sua ressureição: “É a passagem do Cordeiro de Deus, que tirou os pecados do mundo”.

Dom Rifan explicou ainda a origem comum entre cristianismo, judaísmo e islamismo, que crêem no mesmo Deus de Abraão, patricarca das três grandes religiões do Ocidente. E analisou o avanço do protestantismo pentecostal no Brasil, particularmente no Estado do Rio, calçado em promessas de prosperidade terrena.

Do que é dos homens, o bispo também falou do avanço do conservadorismo no país, com base na valorização da família tradicional, que ele defende. Mas alertou para os seus perigos e excessos cometidos ao longo da história, com exemplos mais recentes, como no nazismo. Na seara local, ele projetou a possibilidade de uma polarização na eleição a prefeito de Campos em 2020 entre Rafael e o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD):

— Disse ao prefeito que ele precisa se mostrar mais, se comunicar mais. O povo precisa saber o que está sendo feito na cidade, e a comunicação dele precisa ser mais ativa. Acredito que as eleições tendem a ir para o segundo turno, caso haja a disputa de Wladimir com Rafael, mas não será algo tão grande como foi a disputa do PT com Bolsonaro. Wladimir não é Garotinho. Ele é um político muito mais calmo, e o Rafael também.

Enquanto Rafael não é entrevistado às 18h30 de hoje na edição vespertina do Folha no Ar, que retorna às 7h desta quinta, com o comandante da PM Rodrigo Ibiapinha, confira abaixo a íntegra do programa desta manhã, com a entrevista de Dom Rifan, dividida em cinco blocos:

 

 

 

 

 

 

 

 

Entrada do Festival de Gastronomia de Natividade, entre 3 e 5 de maio

 

Um dos 1o pratos principais exibidos no dia 15, como entrada para o Festival de Gastronomia em Natividade, entre 3 e 5 de maio (Foto: Divulgação)

 

 

Culinária árabe, italiana, brasileira, comida de boteco, sanduíche artesanal, doces refinados, drink elegante, entre outras iguarias de dar água na boca foram apresentados na noite de segunda-feira (15/04), no Espaço Casa&Festa Ana Paula Ribeiro, em Natividade, em um petit comité, organizado pelo Núcleo Gastronômico Sabore’Art Natividade. Foi uma demonstração dos dez pratos que farão parte da 5ª edição do Festival Gastronômico Sabores de Natividade que vai acontecer entre os dias 3 e 5 de maio, na Avenida Amaral Peixoto, centro de Natividade.

O 5º Festival Gastronômico Sabores de Natividade é organizado pelo Núcleo Gastronômico Sabore’Art Natividade, composto por empresários do setor gastronômico do município, com o apoio da Prefeitura Municipal de Natividade, através da Secretaria Municipal de Turismo, do Sebrae-RJ, Fecomércio (Sincomércio) e comércio local.

O prefeito de Natividade, Severiano Rezende, esteve participando do evento, juntamente com o secretário municipal de Turismo,Júlio César Ramos Barbosa (Piscina), a presidente da Câmara Municipal de Natividade, Ivete Martins Bohrer Kabouk, entre outras autoridades do município.

“Estamos mantendo a tradição da Gastronomia de Natividade que vem se despontando nesse setor e a Prefeitura não vai medir esforços nessa parceria tão salutar para o nosso município”, pontuou o prefeito.

Os dez pratos principais do Festival serão comercializados no valor de R$ 20 cada, sendo que terão outras iguarias com diversos valores.

A presidente do Núcleo Gastronômico Sabore’Art Natividade, Ana Lúcia Rezende, afirmou que o Festival segue o mesmo padrão de sucesso dos anos anteriores.

“Todo Festival nos surpreende, pois sempre supera nossas expectativas. A gente trabalha duro o ano inteiro e se encontra de 15 em 15 dias, com suporte da consultora do Sebrae. Nos últimos meses, a reunião é semanal para acertar os últimos detalhes. Atribuo o sucesso do Festival à fórmula que a gente criou que vai se superando e dá um movimento bacana durante todo o final de semana de evento na cidade. O nosso grupo faz acontecer e o apoio da Prefeitura e Sebrae nos fortalece”, destacou a presidente do Núcleo.

Além da gastronomia, o Festival também contará com estande de artesanato do município e espaço kids.

O analista do Sebrae, Jorge Luiz Gomes dos Santos, ressaltou que o Sebrae vem apoiando o Festival através do Projeto “Sebrae na Mesa”, lembrando que o evento é uma das ações do projeto e que ainda trabalha a capacitação dos empresários do setor.

“Apoiamos os empresários também no Fórum Estadual de Gastronomia e também no Fórum Regional e estamos com novo parceiro que é a Fecomércio. Natividade tem um grande festival e é um dos destaques da nossa região, graças ao empenho de todos empresários que fazem parte desse polo”, lembrou.

Durante os três dias de Festival, acontecerão apresentações musicais. Na abertura do festival (03/05), a partir das 20 horas, quem se apresenta é a cantora Mayara Moreira. No segundo dia (04/05), a partir das 20 horas, é a vez do show de Bruna Morena. E no domingo (05/05), às 16 horas, show com Luana Souza e às 20 horas, show com Felipe Lessa.

O Festival Gastronômico Sabores de Natividade tem sido um atrativo turístico para o município, fato destacado pelo secretário municipal de Turismo de Natividade,Júlio César Ramos Barbosa (Piscina).

“O Festival Gastronômico Sabores de Natividade vem se consolidando cada vez mais e tornou-se um atrativo para turistas na nossa cidade. A gastronomia de Natividade vem se destacando a cada dia mais e isso faz com que o governo municipal incentive cada vez mais o evento, considerando que traz geração de renda e empregos para o município. Espero que o evento seja um sucesso, ainda maior que do ano passado”, concluiu o secretário Piscina.

 

Empresários da gastronomia brindaram ao sucesso do evento de maio (Foto: Divulgação)

 

Da assessoria

PEC dos guardas civis é abraçada no Congresso pelo PSD de Wladimir

 

Wladimir hoje na Câmara Federal, com colegas de bancada do PSD e representantes das Guardas Civis Municipais (Foto: Divulgação)

 

 

Incluir os guardas civis municipais de todo o Brasil como agentes de segurança não só na aposentadoria especial, como na própria Constituição. Esse será o objetivo de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) da bancada do PSD na Câmara Federal. Deputado do partido, Wladimir Garotinho (PSD) hoje colhia assinaturas com seus colegas de partido no Confgresso, para sua PEC individual pelo regime especial de aposentadoria aos guardas municipais, para incluí-la nas negociações da proposta de reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro (PSL). A Folha já havia anunciado aqui, em 30 de março, a inciativa do político de Campos.

Mas a boa acolhida dos seus colegas de bancada federal, levou a iniciativa de Wladimir a um nível mais alto. A PEC será não só mais dele, mas do partido, no sentido de acabar com uma discussão antiga sobre a classificação constitucional da função de guarda municipal. Em todo o país, a categoria tem 130 mil agentes na ativa, 430 deles só em Campos. Em 22 de março, o deputado federal de Campos falou ao jornal carioca Extra sobre o seu projeto: “A atuação desses profissionais está prevista na Constituição. Eles foram reconhecidos pelo Susp (Sistema Único de Segurança Pública) como agentes de segurança”.

 

Ponto biométrico na terça do Folha no Ar, que recebe o bispo na quarta

 

André Oliveira foi o entrrevistado desta terça no Folha no Ar (Foto: Isaias Fernandes – Folha da Manhã)

 

No início da manhã desta terça (16), o secretário municipal de Gestão Pública André Oliveira foi o entrevistado do Folha no Ar, programa ao vivo de segunda a sexta da Folha FM 98,3, sempre de 7h às 8h30. Nesta quarta (17), o convidado será o bispo tradicionalista de Campos, Dom Fernando Rifan.

 

Bispo tradicionalista de Campos, Dom Fernando Rifan (Foto: Folha da Manhã)

 

No programa de hoje, André esclareceu pontos sobre o cadastramento dos funcionalismo público no ponto biométrico. Em Macaé, onde funciona desde 2015, o ponto biométrico gerou a exoneração de 500 servidores. Destes, 300 foram só de médicos. Se o fenômeno ocorrer em Campos, o secretário salientou que abriria espaço para novos concursos públicos. Ainda que, segundo ele, 90% dos servidores de Campos sejam favoráveis ao ponto biométrico.

Também presidente do PreviCampos, André ressaltou os saques de quase R$ 700 milhões que a instituição sofreu no final do governo Rosinha Garotinho (hoje, Patri), já depois da derrota nas urnas de 2016. Foram cerca de R$ 250 milhões em investimentos e de R$ 400 milhões para a Prefeitura. Ele destacou que a Polícia Federal investiga essas aplicações e transferências com dinheiro da aposentadoria dos servidores no apagar das luzes do garotismo no poder.

O secretário de Gestão também informou que o governo recebeu ofício do Siprosep com algumas reivindicações, inclusive reajuste salarial, que serão discutidas em reunião com o prefeito Rafael Diniz (PPS) na próxima semana. Enquanto a manhã de quarta não chega com a entrevista de Dom Fernando Rifan, confira nos cinco vídeos abaixo a íntegra da entrevista com André Oliveira:

 

 

 

 

 

 

 

Fechar Menu