Opiniões

Cabral quer João Peixoto candidato em 2012 para deselitizar a oposição

 

O governador Sérgio Cabral (PMDB) convidou o deputado estadual e presidente regional do PSDC, João Peixoto, para se lançar candidato a prefeito de Campos em 2012. A informação foi revelada ao blogueiro pelo próprio deputado, que disse ainda ter sido sondado por outras lideranças estaduais do PMDB (mas não Cabral) para ingressar no partido, convite que declinou: “Não vou sair do PSDC!”.

Apesar das propostas, Peixoto não nega sua preferência pessoal por concluir o mandato na Assembléia Legislativa. Todavia, como se coloca como um “soldado do grupo político”, admite que poderia se lançar tanto a prefeito pelo seu PSDC, como até a vice, numa eventual composição partidária. Aberto também à esta última possibilidade, justificou: “Não tenho vaidades!” . Mas ainda que admita a alternativa, ele restringiu ao campo das especulações a informação de que estaria costurando uma chapa com o ex-prefeito Arnaldo Vianna (PDT), tendo este como cabeça.

Na verdade, sendo candidato a prefeito ou a vice, parece clara a intenção do governador no convite ao deputado egresso do movimento sindical dos taxistas e conhecido por falar, literalmente, a língua do povo: romper com o aparente elitismo das pré-candidaturas até agora apresentadas pela oposição, todas com votação mais concentrada na pedra, nas 98ª, 99ª e parte da 249ª zonas eleitorais. Na 75ª (Baixada), 76ª (Guarus), 100ª (sentido norte da BR 101) e 129ª (BR ao sul), à exceção de Arnaldo, por ter sido prefeito duas vezes, todos os demais nomes têm pouca penetração. 

Levado em consideração que a chapa equilibrada entre periferia e área central foi o que sempre deu a vitória ao grupo de Garotinho — ao próprio, tendo como vices Adilson Sarmet (1988)  e Arnaldo Vianna (96), a Sérgio Mendes com Amaro Gimenes (92), a Arnaldo com Pudim (2000), e a Rosinha com Chicão (2008) —, com execeção não coincidente de quando se pretendeu ignorar o voto das classes média e média alta, com a chapa Pudim/Claudeci derrotada duas vezes consecutivas em 2004 e 2006, a contrapartida popular que Cabral agora busca imprimir para 2012, numa oposição ainda elitizada, tem base na própria lógica eleitoral de Campos.

Rosinha confirma filiação amanhã ao PR — Ave Saulo!

Confirmado aqui, pela própria prefeita Rosinha, em ligação ao jornalista Saulo Pessanha: ela vai mesmo se filiar ao PR no evento que o partido realiza amanhã, a partir das 18h, no Automóvel Clube Fluminense. Contrariando as expectativas relevadas aqui, pelo líder governista na Câmara, vereador Jorge Magal (ainda no PMDB), correta está não só a charge do Zé Renato no post abaixo, como a fonte do experiente Saulão, que havia antecipado aqui, desde terça-feira, a consumação da esperada mundança de legenda da prefeita, eleita em 2008 pelo partido do governador Sérgio Cabral.

E por essas e por outras que o colunista e blogueiro da Folha é referência há mais de 30 anos no jornalismo político desta cidade. Ave Saulo!

Presidente do PRP: “Fisiologismo à caça dos pré-candidatos a vereador”

“O fisiologismo político ocorre no mundo inteiro, mas especificamente em Campos, a gente convive com ela em níveis inaceitáveis, numa total inversão de valores, com a troca de favores praticada abertamente pelo poder público municial, sem ser coibida pelo Ministério Público ou pela Justiça. Na cooptação de pré-candidatos a vereador, essa troca de favores ocorre com nomeações de DAS, bolsas de estudo, obras para empreiteiras que se comprometam a ajudar financeiramente na campanha deste ou daquele pré-candidato. Lógico que todo esse processo atenta contra a democracia”.

As denúncias são do presidente municipal do PRP, integrante da Frente Democrática de Oposição e também pré-candidato a vereador, Fabrício Lírio. Neste sentido, ele considera que o alerta sobre da prática de fisiologismo político na cidade, feito aqui pelo novo bispo católico Dom Roberto Ferrería Paz, “caiu como uma luva, ou melhor, como uma carapuça para esse grupo político que está no poder”.

Fabrício também não acredita que a filiação de Rosinha ao PR aconteça no evento programado pelo partido para a próxima sexta, dia 26. Todavia, tanto no partido do deputado federal Anthony Garotinho, quanto em todos as demais legendas da base governista, o presidente do PRP vê a cooptação para filiação de pré-candidatos à Câmara Municipal:

— Estou vivendo isso na pele. Eles estão à caça de todos os pré-candidatos com 700 votos, 800 votos, usando o poder e a influência do poder público nesse processo. Isso também é fisiologismo.

Mauro Silva confirma Magal: “Não há previsão oficial da filiação de Rosinha”

Sobre a possibilidade da prefeita Rosinha se filiar ao PR na próxima sexta-feira, além do vereador Jorge Magal (PMDB), o blog ouviu ainda o secretário municipal de Comunicação, presidente local do PTdoB e pré-candidato à Câmara Municipal, Mauro Silva. E, assim como o líder da bancada governista, ele disse também que essa previsão não está confirmada oficialmente.

 

Sem acreditar na filiação de Rosinha na 6ª, Magal fala de eleições, fisiologismo e Câmara

Embora não tenha conhecimento oficial do assunto, o líder governista Jorge Magal não acredita que a filiação ao PR da prefeita Rosinha (ainda no PMDB, mesma situação do vereador) ocorra no evento do partido na próxima sexta, dia 26, no Automóvel Clube Fluminense, conforme informou aqui o Saulo Pessanha. Embora o prazo para filiações se encerre em 30 de setembro, para o vereador melhor seria manter o cronograma governista inicial de só lançar a pré-candidatura da reeleição da prefeita na virada do ano, como o blog já havia adiantado aqui, desde 5 de julho. Sobre seu próprio destino, ele disse estar ainda esperando o sinal verde dos seus advogados para se desligar do PMDB e ingressar numa nova legenda, ainda não definida, mas da base governista.

Já em relação ao fisiologismo na política de Campos condenado aqui pelo bispo católico Dom Roberto Ferrería Paz, o líder do governo laico disse que o líder religioso tem razão, embora ressalvando que a denúncia foi generalizada, não direcionada à administração municipal. Quanto aos secretários municipais que pretendem concorrer a vereador, Magal  continua a acender o mesmo sinal amarelo já registrado aqui pelo blog, equilibrado entre o verde ao direito de qualquer um se candidatar e o vermelho para utilização da máquina pública. Por fim,  ele revelou que a definição do número de vereadores à próxima Legislatura será defnido em setembro e que o número deve ficar mesmo no máximo de 25, com as oito cadeiras a mais garantidas num acordo entre as bancadas governista e de oposição.

Abaixo, por partes e em maiores detalhes, o que Magal falou ao blog…

 

Filiação de Rosinha ao PR na sexta? — Sou líder do governo, mas não tenho procuração da prefeita Rosinha para falar por ela em questões partidárias. Mas, até onde sei, não tem nada de oficial na informação,  que vai acontecer é o encontro do PR. Lógico que Rosinha será a candidata e que concorrerá pelo PR, mas não acredito que vá se filiar agora. Primeiro, acho que tem que ser resolvida a questão do partido (PMDB).

Antecipação da pré-candidatura de Rosinha — Acho que são tantos os projetos públicos impotantes em andamento no município, que ela não tem nem tempo para pensar nisso agora. Como disse antes, lógico que a candidata é ela, mas acho que sua prioridade agora é governar a cidade, não antecipar a campanha, o que só interessa à oposição. O momento de lançar a pré-candidatura vai chegar, mas acho que é mesmo só para a virada do ano.

Destino partidário de Magal — Só vou me posicionar quanto a isso depois que tiver o parecer jurídico dos meus advogados (do desligamento do PMDB). Tenho convite do PR e de vários outros partidos, mas essa definição vai esperar, afinal o prazo para filização só se encerra em 30 de setembro. Ainda tem tempo. Só uma coisa é garantida: vou ara um partido da base do governo.

Bispo denuncia fisiologismo político em Campos — Considerando que ele não denunciou o governo, não tenho como negar que o bispo, sem dúvida nenhuma, tem razão nesse questionamento. Só acho que isso foi mais generalizado em Campos nos governos passados. Hoje, diante do exemplo de honestidade do governo Rosinha, o povo está mais esclarecido quanto a essas práticas.

Secretários candidatos — Não mudei o que disse antes a você: qualquer um pode se candidatar, todos os secretários têm este direito. Mas reafirmo também que nenhum deles têm o direito de usar suas secretarias, de usar a máquina pública, para trabalhar por suas candidaturas. A lei determina que seis eses antes da eleição, em março do ano que vem, eles têm que deixar os cargos, mas a prefeita Rosinha, até para deixar bem claro que não vai aceitar o uso da máquina, antecipou o prazo para dezembro.

Definição do número de cadeiras à próxima Legislatura — Em setembro vamos definir isso, num acordo não só entre os governistas, mas também com todos os colegas da oposição. A próxima Câmara vai ter mesmo 25 vereadores (máximo permitido, com oito cadeiras a mais).

Fechar Menu