Traições: da política partidária à política da OAB

Não é só a política partidária de Campos que tem se mostrado terreno fértil  para estórias de traição. Na política classista, parece acontecer o mesmo. Hoje, por exemplo, em entrevista a Priscila Tradin, repórter da Folha e também advogada, o presidente reeleito da OAB/Campos, Filipe Estefan, admitiu ser tomado do sentimento de traição em relação ao seu ex-vice-presidente, Cláudio Andrade, a quem derrotou ontem por mais que o dobro dos votos válidos:

— Eu me senti traído. Desde o início da primeira campanha, nosso grupo o prestigiou e foram abertos espaço e oportunidades de trabalho. De repente, inexplicavelmente, ele rompeu relações com todo o grupo e lançou sua candidatura —  disse Estefan 

O presidente garantiu também que não sairá candidato à Alerj em 2010, porque  cumprirá seu mandato até 2012, quando não tentará outra reeleição na OAB, mesmo que possa. Aí sim, até por entender importante à classe e à sociedade ter um representante dos advogados com mandato político-partidário, comecará a pensar nisso. Ao lado de Andral Tavares Filho, ex-presidente da OAB e atual presidente do PV, certamente é um bom nome da classe para vôos mais altos.

A íntegra da entrevista com Filipe será publicada amanhã na Folha, em sua versão Online e impressa. Ao candidato derrotado e criticado, Cláudio Andrade, fica desde já franqueado o espaço do jornal e do blog…

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. Flávio Rocha

    Realmente, o que se viu nessa campanha à candidatura da OAB de Campos, foram muitas acusações e ofensas por parte da oposição. O candidato da oposição, pelo que se viu, aprendeu bem na “Escola” de Garotinho. No Blog do candidato derrotado por uma enorme diferença, constava, quase todos os dias, acusações ao atual Presidente em detrimento de propostas concretas. Que a derrota sirva de lição!

    Flávio Rocha

  2. Amaro Fagundes

    Ainda bem que na eleição classista os eleitores são mais sensatos do que na política partidaria. Essa eleição da OAB de Campos é prova disso, pois a tática usada pela oposição, aquela da escola de um garotinho da lapa não alavancou resultado quando o eleitorado não necessita do cheque cidadão e nem da passagem de R$ 1,00!
    Que isso sirva de eleição para próxima eleição da OAB e para população de Campos!

Deixe um comentário