Opiniões

Pólo de Cinema em Campos

Hoje no Folha no Ar, discutindo cinema, Rodrigo Gonçalves, Carlos Alberto Bisogno, Nilza Portela e Aluysio Abreu Barbosa (Foto de Rodrigo Silveira)
Hoje no Folha no Ar, discutindo cinema, Rodrigo Gonçalves, Carlos Alberto Bisogno, Nilza Portela e Aluysio Abreu Barbosa (Foto de Rodrigo Silveira)

 

Participei, na tarde de hoje, do Folha no Ar, junto do também jornalista e blogueiro Rodrigo Gonçalves, para tratar da questão do pólo de cinema, resgatado no trabalho que a coordenadora do Projeto Ciência e Cidadania em Forma de Filme e Cinema da Uenf, Nilza Portela, tem consturado com habilidade entre a universidade e a comunidade. Além dela, recebemos o cineasta Carlos Alberto Bisogno. Os dois integram um grupo de trabalho, do qual eu também faço parte, que visa resgatar a história do pólo.

Como relembrei no programa, o cinema está na própria gênese da Uenf, no projeto idealizado por Darcy Ribeiro, pois foi para abrigar a Escola Brasileira de Cinema e Televisão (EBCTV), em regime de internato, nos moldes da Escola de Cinema de Cuba, que o Solar dos Jesuítas foi reformado, no governo estadual de Marcello Alencar(PSDB). Trabalhei na implantação do projeto de implantação da EBCTV, que, depois de abandonado, cedeu o Solar  do séc. 17 à instalação Arquivo Público Municipal. Depois, a questão do pólo foi levantada pelo gerente de Cultura Deneval Siqueira de Azevedo Filho, no final da gestão municipal de Alexandre Mocaiber (PSB), em parceria com a UFF-Campos, projeto abandonado pelo governo Rosinha.

Bom que agora, não só a Uenf e a UFF, mas também o Instituto Federal Fluminense (antigo Cefet-Campos), além da secretaria de Cultura e da Câmara Municipal, por iniciativa do seu vice-presidente, vereador Rogério Matoso (PPS), estejam abraçando um projeto abandonado por tantos ao longo do caminho. Ontem, às 17, na sede do Legislativo de Campos, ocorreu uma audiência pública para tratar do tema, convocado por Rogério. Ainda que além dele, só Odisséria Carvalho (PT) e Jorge Rangel (PSB) tenham comparecido, os demais edis devem ser arrastados à discussão a partir do momento que ela for ecoada pela própria comunidade.

Como o diretor de teatro Antonio Roberto Kapi lembrou ontem, na Câmara, assim como Nilze e Carlos Alberto, hoje, no Folha no Ar, cinema não é apenas cultura, mas uma indústria geradora de empregos e renda.

Vejamos, pois, o que 2010 revelerá como tela à sétima arte em Campos…

 

Ontem, na Câmara, o grupo de trabalho do Pólo de Cinema com os dois vereadores mais sensíveis à cultura em Campos, Rogério Matoso e Odisséia Carvalho (foto de Antônio Cruz)
Ontem, na Câmara, o grupo de trabalho do Pólo de Cinema com os dois vereadores mais sensíveis à cultura em Campos, Rogério Matoso e Odisséia Carvalho (foto de Antônio Cruz)
fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu