Opiniões

Decreto 454 — Contribuições ao debate que se conquistam, não se mendigam

E porque sua contribuição, leitor, se conquista, não se mendiga, seguem abaixo, na forma mais relevante de post, os dois comentários que o blogueiro entendeu mais relevantes, pela riqueza de informações, entre os 20 até agora gerados, sem nenhum anonimato, pelo texto publicado aqui e intitulado “Corte de 10% nos contratos e convênios — Crise mundial ou do orçamento de Campos?”…

 

Alguma coisa está errada.
E não é o jornal, com certeza!
Recebi aqui, ao mesmo tempo em que S. Exª a prefeita baixava o Decreto 454 (parece até número de linha de ônibus, Leblon-Grajaú), mensagens da Petrobrás com as seguintes informações:
– o Lucro da Petrobrás subiu 37%;
– a produção de petróleo aumentou 2,2% e a de gás 6,9%;
– que entraram em fase de produção mais dois campos (os de Aruanã e Brava), justamente na Bacia de Campos;
– que a Petrobrás colocou em operação a a plataforma semissubmersível P-56, no campo de Marlim Sul,no dia 15/8;
– a agência de risco Mooody’s (a mesma que anda rebaixando países por ai) reconhece a melhora do risco da Petrobrás em moeda estrangeita de Bas1 para A3;
E mais:
– A ANP revela que os produtores privados já produzem 200 mil barris/dia;
– está a caminho (saiu hoje de Cingapure), a superplataforma de Eike Batista, a FSPO-OSX 1, que chegará a Campos dentro de 38 dias para começar a produzir imediatamente;
– até julho, a Prefeitura de Campos já havia recebido R$ 566,8 milhões entre royalties e participações, indicando que já superou em mais da metade do arrecadado em 2010, representando um aumento de quase 10% só no primeiro semestre.
O que não dá para entender é que tudo indica que a receita de Campos com o petróleo deverá ficar bem próxima de 2008, quando teve seu melhor momento, beirando os R$ 1 bilhão 200 milhões.
Qual a verdade sob esse decreto?
É preciso tomar cuidado quando se lida com algo tão transparente como as receitas do petróleo. Não dá para enganar, para mentir. Os dados estão ai, perambulando pela internet e sites de transparência.
De que (ou quem?) a prefeita tem medo?
Eu penso que para fazer economia não deve se fixar uma meta de apenas 10%. Isso é muito desrespeito ao povo. Deveria ser de 100%, gastar apenas o necessário. Para mim, esse decreto só tem um sentido: manda esbanjar menos, só um tiquinho…
Paulo Freitas – Rio de Janeiro/RJ

 

Savio

Bem oportuno o comentário do Sr. Paulo Freitas. De fato, com a Petrobrás sinalizando um lucro de 37% só no primeiro semestre deste ano, ou seja, 21,9 bilhões, está muito distante dos sustos causados pelo dólar, que diga-se de passagem, só hoje teve queda de 0,41%, fechando em 1,584.
Mesmo tendo alta de 2,15 no corrente mês de agosto, por conta das indecisões políticas e impasses entre republicanos e democratas americanos, acabaram tirando a confiança dos investidores. Mesmo assim, a desvalorização do dólar acumulada só este ano, está em 4,90%, portanto, ainda longe de afetar seriamente as questões de commodities.
Temos a nosso favor que o PIB brasileiro teve a sua primeira queda destes últimos 2 anos, de apenas 0,26%, o que ainda nos mantém em saudáveis 142,90!
Portanto, fazendo par com o Sr. Paulo Freitas, o “medo” da Prefeita é injustificado, e não serve como desculpa para o tal Decreto 454.
Sem dúvida, parece que há “mais carne debaixo deste angú”, e “onde há fumaça, há fogo”! Tudo indica que no decorrer dos próximos dias muitas coisas terão que ser devidamente explicadas.
Cadê a TRANSPARÊNCIA do “Portal da Transparência”?

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 8 comentários

  1. Realmente muito embasados os comentários dos dois leitores, que deram suas contribuições como todos os outros, sem que o blogueiro precisasse se prestar ao papel de pedinte. Agora, para quem tem cara de se submeter a isso, é ou não é coincidência demais que só depois desta postagem (10:09 PM) o blog mendicante tenha sido agraciado com dois comentários em rápida sequência (10:42 e 10:49 PM) com ataques à “velha mídia” e ainda por cima assinados, como é regra por aqui e uma raridade por lá?
    Entre o ridículo de implorar por colaborações e a desonestidade flagrante de fabricar seus próprios comentários sob nomes fictícios, há de haver um certo limite.

  2. Não consigo entender de onde vem tamanha facilidade em interpretar as coisas de maneira diferente da que foi escrita.

    O Decreto pubicado pela prefeita não diz que o corte de 10% no orçamento é consequência da crise mundial.

    O corte é preventivo, como qualquer cidadão com um mínimo de senso deveria fazer em qualquer administração pública ou privada.

    Além disto, ainda há o compromisso de preservar alguns contratos e convênios ligados quase que diretamente a população, como podemos ver abaixo.

    “Parágrafo único – Não se aplica o disposto no caput deste artigo aos convênios aprovados pelos Conselhos Municipais da Infância e Juventude e da Assistência Social, além daqueles derivados de repasses de verba de natureza do Tesouro Estadual, Federal e da iniciativa Privada e,ainda, aos oriundos da Secretaria Municipal de Educação referentes à concessão de bolsas de estudo.”

    Conheçoa a má intenção de alguns em provocar situações que não existem a fim de desestabilizar a administração.

    Estes não merecem crédito e nem por decreto aprenderão o que fazer, continuarão procurando.

    Raimundo Freitas

  3. Concordo com o Raimundo é a chamada indústria da especulação ou simplesmente jogar a m… no ventilador e entendam como quiser. Até outubro de 2012 vamos ver muito disso. É apenas o começo. Exercitem a interpretação de texto quem não quiser ser induzido ao erro.

  4. Ao Sr. Raimundo Freitas
    Eu sei ler. Melhor sei interpretar o que escrevem, principalmente o sentido oculto que dão aos textos, como no caso presente do “Grajaú-Leblon”, o 454.
    Meu velho pai dizia: “quem tem medo de cagar não deve comer”. Que história é essa de “Corte Preventivo”? . Melhor seria dizer que nossa ilustre e honrada prefeita está vendo chifre na cabeça de cavalo.
    Esse decreto liga o Nada a Lugar Nenhum, rigorosamente, haja vista que não tem pé nem cabeça e foi sancionado num instante até de euforia em relação ao petróleo, como provado.
    Prevenção contra o aumento de produção de petróleo na Bacia de Campos, que só faz subir? Prevenção por que a Plataforma do Eike Batista vai começar a operar? Prevenção porque a Prefeitura teve um aumento de quase 10% na arrecadação com o petróleo só no primeiro semestre?
    Francamente!!!
    O mencionado parágrafo-único é uma sopa de letrinhas, pois não tem S.Exª poder de cortar “verbas carimbadas”, como no caso das transferências governamentais para educação e o orçamento da seguridade social, assim como não pode mexer no orçamento da Câmara Municipal (quando muito, pode suplementá-lo). Cortar, capar, nunca. Para faz Para fazer economia, não precisava baixar decreto, basta ela mesma não autorizar despesas. Pronto. Afinal, é ela a ordenadora de despesa no Município, mais ninguém.
    Melhor faria se escrevesse uma carta para ela mesma.
    Ainda que quisesse, não poderia mexer nas transferências, nos contratos já firmados, o que é obvio, mas a prefeita precisava dourar a pílula para que pessoas bem intencionadas como o o Sr. Raimundo ai acima, se revoltassem com quem pegou a prefeita com a boca na botija.
    Não foi dita a verdade, que todos ansiamos saber. Qual o porquê desse cavalo de batalha, desse alvoroço. Ninguém enfrenta crise com pessimismo. Nem com valentia. Enfrenta-se com CORAGEM, como aprendi com meu pai.
    Até que apareça a razão (se aparecer), tenho o direito de achar que a intenção é dar calote nos veículos de comunicação, desestabilizar geral, criar ambiente para atrasar pagamentos e talvez (quem sabe?) criar dificuldades para receber e dar facilidades…

    Paulo Freitas

  5. Não vou me dar ao trabalho, como fez o Sr. Paulo Freitas, de contestar o comentário do Sr. Raimundo, pois este dá provas inequívocas que não sabe interpretar um texto simples.
    Por sugestão, aconselho-o a exercitar interpretação de boas leituras, como por exemplo, o “Poema de Sete faces” do Carlos Drummond de Andrade. Aliás, num trecho do belo poema, ele diz:
    “Mundo mundo vasto mundo
    se eu me chamasse Raimundo
    seria uma rima, não seria uma solução”.

  6. Querido Paulo Freitas, não existe interpretação de textos ocultos, apenas especulução, elocubração ou como achar melhor.

    Só podemos interpretar que está escrito, fora isto é falácia.

    O fato existe, o resto é especulação, só existe na cabeça de pessoas que como disse antes vivem procurando o que fazer. (e nunca encontram)

    Um pouquinho de hermeneutica e noções de interpretação de texto além de gramática ajudam e muito, mas somente a quem não usa de honestidade, aos promíscuos de plantão não há solução.

    Para quem sabe ler, um pingo é um pingo, os de mã intenção que coloquem as letras que quiserem.

    Parabéns Rosinha pela iniciativa de reduzir gastos em defesa do povo de Campos.

    Raimundo

  7. É, meu caro, Raimundo, o senhor tem a capacidade de falar e nada dizer. Desminta-me se for capaz, refute as informações que eu dei, com base em fontes oficiais como a própria Petrobrás e a ANP.

  8. Querido Paulo Freitas, o assunto aqui não é vcocê e sim o decreto da prefeita, não tenho porque desmentí-lo pois não importa e não faz parte do contexto os dados levantados por você.

    O fato é que a prefeita tomou uma decisão acertada.

    Quanto a motivação que levou a isto já foi dito, caso você tenha poderes de conhecer o futuro, me avise que farei umas consultas em breve.

    Quer tomar decisões deste tipo? Candidate-se, ganhe a eleição e porderá fazer o mesmo.

    Incrível como são as pessoas de mau carãter (não estou falando de você). A prefeita toma uma decisão de economizar recursos em prol da população e é criticada enquanto em outras época, prefeitos gastavam sem critérios e os mesmos nada falavam.

Deixe uma resposta

Fechar Menu