Octávio Carneiro trabalha para se manter líder na corrida por Quissamã

Líder até nas pesquisas governistas na corrida ao Executivo de Quissamã, o ex-prefeito Octávio Carneiro (PP) teria, segundo outra amostragem, feita em setembro, 45,2% das intenções de voto, seguido da candidata oficial, a vereadora petista Fátima Pacheco, com 24,9%, e do vereador Juninho Selem (PR), apoiado pelo deputado federal Anthony Garotinho, com 17%. Para consolidar essa liderança até a eleição de 2012, ele confirma que pessoas do seu grupo têm mantido contato com o também ex-prefeito e atual secretário de Educação do município Arnaldo Matoso (PMDB), não sem deixar de lembrar que os dois, concorrendo contra Armando Carneiro (PSC) em 2008, tiveram mais votos juntos do que o prefeito reeleito, fato até então inédito à oposição em Quissamã. Buscando contrariar os críticos que apontam sua suposta falta de articulação política, Octávio também disse trabalhar para ampliar sua base partidária, que hoje, além do PP, contaria também com o PSB, PPL e PV. Sobre esta última legenda, disse não se preocupar com a recente aproximação entre Garotinho e o verde Dr. Aluízio, também deputado federal e pré-candidato a prefeito em Macaé. No lugar da possibilidade de levar o PV à pré-candidatura de Juninho, ele prefere apostar nas chances de atrair para junto de si o PR.

 

 

 

 

Folha da Manhã – Na pesquisa do IBPS (aqui), feita em julho, que definiu a vereadora Fátima Pacheco como pré-candidata governista à Prefeitura, em detrimento do secretário de Educação Arnado Matoso, você ficou à frentede ambos nas consultas espontânea e estimulada, segundo admitiu o próprio prefeito Armando Carneiro. Ainda que ele não tenha divulgado seus números, estimula essa liderança numa pesquisa dos adversários?

Octávio Carneiro – Com certeza é um estímulo saber que venho liderando as pesquisas, mas estamos cientes que há um trabalho sendo realizado para consolidação desses índices. Não vi os resultados da pesquisa realizada pelo governo, porém tivemos acesso à pesquisa realizada no mês de setembro, onde foi confirmada a minha liderança com 45,2%, a candidata Fátima Pacheco (PT) com 24,9% e o Juninho (PR), com 17%. Mesmo com um bom percentual sei que a disputa será muito acirrada, acredito que a tendência é o crescimento do grupo daqui pra frente.

 

Folha – Armando também não revelou os números da sua rejeição, que no caso dos pré-candidatos do governo, serviram de fiel da balança na opção por Fátima. Sabe qual é hoje sua rejeição? Este índice poderá será o principal critério para definir o vencedor numa eleição que se anuncia tão acirrada?

Octávio – Nessa pesquisa (a de setembro) estou com rejeição de 8,9%, o Juninho com 27,9%, e a candidata do prefeito Armando, a vereadora Fátima, com 38,8%. Acho que será importantíssimo acompanhar esses índices, pois eles demonstram a capacidade do candidato em conquistar novos eleitores. Acreditamos que o fator rejeição seja importante, mas não é o único critério que irá definir a eleição.

 

Folha – Embora Armando e Fátima se esforcem em demonstrar uma unidade no grupo governista, confirmada publicamente até  por Arnaldo (aqui), se comenta que este saiu contrariado por ser preterido. Acredita que o PMDB de Quissamã vai realmente se empenhar para eleger Fátima prefeita? Já manteve algum contato com Arnaldo após ele ter a candidatura descartada?

Octávio – Até o momento não sei qual o caminho do PMDB. Afirmar qualquer coisa agora seria mera especulação. Arnaldo e eu fomos adversários políticos durante alguns anos, mas hoje temos um bom relacionamento, estou aberto a novas alianças. Pessoas do meu grupo político têm conversado com ele e com outras lideranças do PMDB no município.

 

Folha – Como a candidatura do vereador Junhinho Selem, apoiado por outros dois edis e por Garotinho, pode interferir na disputa? Ele atrapalha mais a você ou a Fátima?

Octávio – Todos contam com seus aliados políticos, isso é parte natural do processo, mas certamente que sim. Na última eleição isso ficou muito claro, já que pela primeira vez em Quissamã a oposição obteve mais votos do que a situação, perdendo a eleição por estar dividida. Mas como a política é um processo democrático e dinâmico, acredito que a situação hoje é diferente, pois a rejeição ao atual governo é ainda maior.

 

Folha – Fátima tem o apoio de cinco vereadores, Juninho conta com dois, enquanto você, nenhum. Até que ponto isso dificulta?

Octávio – Evidente que o apoio de vereadores de mandato tem um peso nesse processo, porém hoje contamos com um grupo fortalecido e com o apoio dos ex-vereadores Ana Alice (PSB) e Marcelo Batista (PV), que tiveram uma votação expressiva no último pleito e são políticos de grande expressão na cidade, além de várias lideranças locais que concorreram ao Legislativo. Mas conto mesmo é com o povo, pois é quem decide a eleição.

 

Folha – E como está a nominata à Câmara? Em 2008, a diferença no número e na força entre os candidatos a vereador que lhe deram apoio e os que ajudaram a eleger Armando não foi uma das causas da sua derrota?

Octávio – Nesta eleição até o momento estamos com o PP, PSB, PV e PPL. Acredito que, na eleição de 2008, a falta de tempo para articulação foi o principal motivo, pois decidi vir candidato só em março daquele ano e com apenas quatro candidatos a vereador. O cenário hoje é totalmente diferente, estou tendo mais tempo para as articulações. Já contamos com mais de 40 pré-candidatos e estamos conversando com outros partidos.

 

Folha – Seus críticos apontam a capacidade de articulação política como uma deficiência. Sem nenhum vereador eleito a lhe apoiar, isso não confirma essa visão?

Octávio – Não, hoje já somos quatro partidos e acredito que outros virão. Como todos sabem, é muito fácil articular com a máquina do governo na mão, isso acontece aqui co-mo em outros municípios. Das seis eleições que participei, ganhei cinco, portanto acredito que isso faz de mim um bom articulador. Hoje recebemos essa crítica do próprio governo, composto por pessoas que nunca fizeram parte da oposição.

 

Folha – Até que ponto está certo quem afirma que Armando, seu primo e ex-secretário de Agricultura e de Governo, mas hoje prefeito e opositor, era o principal articulador do seu grupo político, gerando a deficiência na função desde que vocês dois romperam, em 2007, para sair ambos candidatos a prefeito em 2008? Até pelo parentesco, é uma ruptura irreversível?

Octávio – A articulação política sempre contemplou as idéias de um grupo e não exclusivamente as de Armando, pois tudo sempre foi conduzido de forma democrática e com a presença de autoridade, não de autoritarismo, como percebemos hoje. Bem antes de ingressar na vida política, eu já recebia deputados, senadores e governadores em minha casa, para defender os interesses de Quissamã, enquanto ainda era distrito de Macaé. Nesta época, Armando ainda frequentava os bancos escolares. Se observarmos bem o governo de Armando e os últimos acontecimentos da cidade, fica claro a falta de comando e articulação dele. Avalio a ruptura política com ele irreversível sim, pois não conjugamos mais as mesmas idéias.

 

Folha – Outra que começou na vida pública com você foi a própria Fátima, como secretária de Ação Social. Indagada sobre isso, a vereadora disse aqui: “somos uma cidade que quer olhar o futuro, pois está na hora de falar de projetos, pensando no século 21”. Mesmo quando sutil, como reage à menção à sua idade? E como projeta o futuro do município, sobretudo em relação ao Complexo Logístico de Barra do Furado, programado para entrar em atividade daqui a um ano e meio?

Octávio – Quanto a minha idade, sinto muito orgulho, pois trago uma experiência que só vai contribuir para o crescimento de Quissamã, conforme foi demonstrado em minhas administrações. Todos os projetos em andamento hoje no município foram implantados no meu governo. Tenho disposição de sobra para mais uma vez servir à Quissamã, estive prefeito do município por 11 anos, administrei com e sem royalties, e Quissamã sempre cresceu com destaque na região. O município caminha para um futuro com novas expectativas, com os empreendimentos em Barra do Furado, um sonho antigo que começou no meu governo, e estaremos prontos para trabalhar sob esse novo cenário, visando o desenvolvimento e as oportunidades de geração de emprego e renda para nossa população. Esse será o início de um novo ciclo no nosso município, gerando emprego e renda sem a dependência dos royalties, com muito planejamento. Espero dotar o município de infra- estrutura para acompanhar o grande crescimento que está por vir, bem como capacitar a nossa população para as oportunidades de emprego que serão gerados pela iniciativa privada em todas as fases do projeto. Acreditamos na força das novas idéias e nos empreendimentos que alavanquem o progresso, pois é através deles que geramos as oportunidades para a absorver a mão-de-obra da nossa juventude e ao mesmo tempo possibilitar avanços nas áreas de cultura, educação e lazer.

 

Folha – Armando, Arnaldo e Fátima foram lançados à vida pública em suas administrações. Incomoda que a maioria dos seus principais opositores sejam ex-aliados?

Octávio – Não, na política enfrentamos esse tipo de situação sempre. Como fui o primeiro prefeito de Quissamã, todos que fazem parte do cenário político local já foram meus adversários ou aliados, já que isso faz parte de um processo democrático. Caminhamos em sintonia com a população e seus anseios e nossa preocupação é mostrar nossas idéias e projetos para o município. Sempre houve respeito com meus adversários e não há porque mudar isso agora.

 

Folha – No caso da coligação com o PV, preocupa a aproximação recente entre os deputados federais Garotinho e Dr. Aluízio? Sendo o último pré-candidato verde à Prefeitura de Macaé, isso não poderia levar o partido, na vizinha Quissamã, para o colo de Juninho?

Octávio – A coligação já existe, visto que a maioria dos integrantes do PV sempre foram companheiros de luta, inclusive no pleito passado. Hoje o PV é presidido pelo ex-vereador Marcelo Batista, o que traz tranquilidade na negociação até mesmo junto ao deputado Federal Dr. Aluízio, o que nós faz crer que não há possibilidade de racha. O Dr.Aluízio é um grande amigo e estamos sempre juntos. No sentido oposto ao da pergunta, espero até que esta aproximação possa trazer o PR para o diálogo.

 

Folha –Em 2008, seus votos não foram computados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em virtude de uma condenação no Tribunal de Contas do Estado (TCE), por conta de uma subvenção para uma associação de moradores, no ano administrativo de 2003. Como está sua situação jurídica para que o mesmo não se repita em 2012?

Octávio – Acho bom esclarecer essa questão de uma vez por todas. Em primeiro lugar o TCE é um órgão fiscalizador e não faz parte do Judiciário. Esse processo foi arquivado com comprovação de boa fé e sem dano ao erário, não gerando nem mesmo multa. Estou apto a concorrer a qualquer cargo, já que não tenho nenhuma condenação em nenhuma instância do Judiciário.

 

Folha – Em caso de impossibilidade jurídica, poderia lançar a prefeito os ex-vereadores Marcelo Batista ou Ana Alice? Algum deles tem chance de ser seu vice?

Octávio – Não trabalho com essa possibilidade, mas não teria problema nenhum em apoiar um dos dois. Quanto à composição de chapa, claro que sim, os dois sempre estiveram ao meu lado e são pessoas capacitadas e de minha inteira confiança, mas estamos aguardando uma melhor definição do cenário político.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Sidney Morgado

    Estive ao lado do governo Octávio até o ano de 2003, inicialmente como assessor do ex vereador Badeco e em seguida com o seu vice Quim Pessanha, e, quando percebí que o seu sucessor seria o seu chefe de gabinete Armando, por questões inexplicáveis, de perseguição política e pessoais, fui obrigado a abandonar o barco, e abraçar a campaanha do opositor Mattoso que teve 44% dos votos contra a máquina sem qualquer provisão de recursos, então, acompanhado-o até o último pleito de 2008 na oposição. Por isto, remanescente do grupo de oposição, havendo transitado entre as duas situações políticas do município, de cadeira, entendo que Quissamã, para entrar novamente no rumo, de crescimento e desenvolvimento, somente poderá contar com Octávio. Isto porque traz consigo uma grande bagagem de experiência e de posicionamento honestissímo com a coisa pública, o que não vemos hoje. Outra característica que Octávio leva na sua vanguarda diante aos outros candidatos é relativa ao seu estilo de comando, de forma democrática e respeitosa, evidentemente, o que não podemos definir da mesma forma quanto aos seus opositores. Tudo isto aliado a um inovador e excelente grupo de oposição (sem exceção, todos os ex arnaldistas estão com ele) faz de Octávio o melhor nome para Quissamã. Além disto, Octávio é daquele tipo que não precisa dizer que vai fazer porque já fez, e, talvez, seja por isto, que a rejeição dos seus adversários seja tão alta, em função de que durante anos somente trataram dos seus interesses pessoais, e nisto, a população tem olhos de nice, são fatos que não se apagam da memória.

  2. Celso Nolasco

    Senhor Octavio Carneiro é um politico diferente no cenario, traz consigo a marca da honradez, da transparencia e da independencia, não é politico profissional, podia ficar em casa, mas está colocando seu nome em avaliação pelo povo de Quissamã.
    Parabens! Sr. Octavio, é de gente igual ao senhor que o Brasil precisa.

  3. João Carlos N Alves

    Vejo a provável candidatura do Otávio com otimismo e certeza de que viveremos, em Quissamã, uma nova época. Bem diferente dos dias atuais, em que a opressão e o fracasso é comum no cotidiando municipal. Eu, Professor João Carlos, para perceber a necessidade de um novo mandato pra o Velho, tive que ser candidato a vice-prefeito, em 2008, numa chapa, que hoje, considero esdrúxula e desprovida de coerência, e amargar as aberrações gerenciais do atual grupo governante incompetente e soberbo.
    Assim, penso postular uma candidatura a vereador pelo PSB, pois fui obrigado a me desfiliar do PCdoB, sob o risco desse último partido ser co-optado pelo grupo do fracasso, da incompetência e da (trecho excluído pela moderação).
    Otávio, estaremos juntos em palanques, mas sobretudo estaremos unidos na missão de ter novamente um povo feliz, e certo de que o gestor Otávio será mais uma vez sério, competente e não corrupto.

    Com respeito, Professor João Carlos.

    P.S.: Se pensas em me cobrar coerência, primeiro olhe para o seu rabo. Política se faz com o diferente, mas sobretudo com descência.

  4. Carla

    Octávio Carneiro é sem dúvida o melhor nome para Quissamã. Tive o privilégio de trabalhar com ele e presenciei quanto ele fez para aquela população e para o desenvolvimento da cidade. Na época, parecia um milagre, mas ele construiu tudo que o município precisava com muito menos recursos do que hoje se dispõe nos cofres da prefeitura. Anunciar quanto as suas obras, como hospital, estradas, postos de saúde, creches, escolas, patrulha agrícola, parque náutico, ginásio, além do que deixou pronto para inaugurar, como o museu – parque municipal e a praça do Matias, entre tantas que construiu, seria no mínimo, elucidar o próprio sentimento de orgulho que seus correlegionários tem dentro de si. Hoje, muito mais amadurecido na política, tanto que somou ao seu grupo valores da oposição, Octávio estará numa condição de invencibilidade diante os seus adversários. Espero de coração que Octávio continue neste caminho para que Quissamã, novamente, possa vir a sorrir.

  5. HOSANA HELENA GOMES BARBOSA

    Excelente entrevista. Como diz o velho ditado:” Pra quem sabe ler um pingo é letra.”, vamos decifrar o pingo…..
    E, quanto ao comentário do meu amigo e político João C. N.Alves acima, quando disse:” que foi obrigado à uma candidatura em 2008″, PERGUNTO-LHE: Onde está a democracia e o direito de ir e vir? Reassuma seus propósitos, objetivos, capacidade e competência, junto à um grupo que deseja ver Quissamã desenvolver-se.Pois conheço a capacidade e competência de todos os integrantes. E, como uma cidadã quissamaense, desejo que Quissamã possa continuar a crescer, desenvolver em todos os setores. E, para que este processo aconteça, obviamente terá que inicar-se com o político, desencadeando-se assim, o econômico, e o social. Então…mãos à obra povo!

  6. Viviane Terra

    Caro Octávio
    Sempre fui oposição em Quissamã, principalmente na sua última passagem pelo governo, pois percebi que nesse momento a incoerência que hoje predomina a cidade, começou a se fazer!
    Me lembro com se fosse hoje, numa reunião do Governo Intinerante na Lagoa Feia, onde Armando já era seu secretário, assim como a ilustre (trecho excluído pela moderação) também fazia parte do seu governo, que comecei a questiná-lo sobre várias situações que a comunidade vivia, e quando falei, “pagamos impostos e temos o direito de ter transporte publico, saneamento…” e o Senhor meu Caro, num ato impensável me disse: – Que impostos, IPTU?
    Jamais esqueci a minha resposta, todos olharam para a minha cara, e eu respondi que “até quando compramos uma bala, pagamos impostos”…
    O Senhor olhou para o lado, sem resposta, e deixou a dignissima Alexandra me coagir, dizendo: – Você é bolsita da prefeitura né, tem que agradecer ao governo! E eu, sem pestanejar, rebati dizendo que agradecia por existir Petroleo, por ter os royalties e mais ainda, pela Lei que me garantia esse direito, já que eu sempre me encaixei em todos os requisitos, diferente de muitos!
    Seu último governo foi um fracasso! Teve o (trecho excluído pela moderação) show do Gilberto Gil, as várias obras que tinham licitações visivelmente fora do praticado no mercado…
    (Trecho excluído pela moderação)
    Sua Secretária de Asistencia Social, (trecho excluído pela moderação), reformando casas, construindo casas, sem respeitar os critérios da legislação do município!
    Hoje o Senhor sente na pele o que é lutar contra máquina pública, tal máquina que o Senhor criou, essas politicas assitencialistas, que tanto me enoja, dando o “peixe sem ensinar a pescar”, governando como um verdadeiro coronel, levando o nome ! Todos aprenderam muito com o Senhor, e principalmente, souberam o superar, tornando-se um (trecho excluído pela moderação) que hoje envergonha todos os quissamaenses!
    Todos podem mudar, todos tem o direito de mudar suas posições, de pensar de forma diferente, e mais ainda, de agir diferente!
    Gostaria que o seu discurso virasse realidade! Porém tem que ter uma varredura na Prefeitura, noa assessores, nos cargos comissionados, que viraram uma forma ridicula de “curral eleitoral”.
    O teu erro sempre foi dar poder a quem não pode nem sentir o cheiro do mesmo. Mostre-nos um projeto de administração competente, capaz de lutar contra essa (trecho excluído pela moderação) existente no Governo! Seja forte, seja justo e volte a trazer pro povo, o direito de se expressar, a dignidade de viver, e acima de tudo, ainda poder sonhar em uma Quissamã melhor!
    Eu luto por uma sociedade justa, eu acredito que o jovem deve sonhar, que o idoso deve se orgulhar, que as ciranças devem seguir os bons exemplos! E nesse momento, tudo isso nos foram roubados!
    Se o povo está AINDA ao seu lado, seja o povo! Particulamente o Senhor não tem necessidade de apoiar nenhuma roubalheira! Seja o povo, governo com o povo, que aí, poderei lhe dizer um dia, que o Senhor fez algo por Quissamã: trouxe ao POVO o direito de viver dignamente!

  7. salvador

    ” Octávio carneiro é um homem respeitado,
    vai voltar ao governo por vontade popular,
    depois do tempo e do descanso merecido,
    volta rejuvelecido disposto pra trabalhar.”

  8. paulo sergio

    A FAVOR DO RETORNO DE SR. OTAVIO AO GOVERNO NOVAMENTE, SOU DE QUISSAMA MORO EM UM BAIRRO QUE NAO PARECE PERTENCER AO MUNICIPIO, NO BAIRRO ENGENHO. NAO TENHO ESGOTO NAO TENHO AGUA E NEM LIMPEZA PUBLICA, NA HORA DA CAMPANHA OS POLITICOS PROMETEM E NADA FAZ, GOSTARIA DE MUDANÇAS ESPERO QUE SE O SR. OTAVIO FOR ELEITO FAÇA ALGO PELO O NOSSO BAIRRO.
    PARABÉNS SR. OTAVIO “EU TÔ CONTIGO”

  9. arialdo de abreu carneiro

    Fui por sete anos intercalados, chefe do ´DETRAN´ do municipio de QUISSAMÃ, nomeado por dois governadores e com o aval do saudoso amigo e sogro ¨ANTONIQUINHO¨. E através dele, conheci o Sr.OTAVIO CARNEIRO, que apesar de constar em meu sobre nome o CARNEIRO, não temos parentesco nenhum. ANTONIQUINHO E OTAVIO foram adversários políticos por diversas vezes, porém ambos se respeitavam, coisas dificeis de ocorrer em política hoje em dia. Certa vez ¨ÄNTONIQUINHO¨ me confidenciou o ¨OTAVIO¨, só deixará o poder se ele quiser, ele tem carisma e simpricidade e é boa pessoa, palavras de um ¨ADVERSÁRIO¨.EU RESPONDI ELE PERDERÁ O PODER POR DOIS MOTIVOS, TRAIÇÃO E PIOR AINDA POR INGRATIDÃO DE SEU ATUAIS ¨AMIGOS¨, que ele tanto ajudou e que cairam em seu quintal de paraquedas. A PROFECIA INFELISMENTE SE FEZ. Espero que OTAVIO, retorne e irei a este municipio conceder a voce MEU VOTO de confiança, deixando bem claro que nunca dependi dele para nada, devo sim muito ao saudoso ¨ANTONIQUINHO¨.

Deixe um comentário