Opiniões

Em 2012, a conta já está fechada

Divulgada desde a zero hora de hoje, a nova pesquisa do Precisão, realizada entre os dias 18 a 22 deste mês, apontou aquilo que em qualquer análise racional, sem nenhuma condicionante da paixão, todo campista já sabe: no voto, Rosinha Garotinho (PR) está reeleita à Prefeitura de Campos, com uma maioria tão ampla que dispensará segundo turno. A certeza é tão cristalina, quanto o percentual de intenções de voto da prefeita, que na nova amostragem repetiu o da pesquisa anterior, do Ibope, divulgada no último dia 18: 62%, nada menos que 71% dos votos válidos.

Bem verdade que a nova consulta também registrou o crescimento do petista Makhoul Moussallem: dos 4% da última pesquisa do Precisão, divulgada em 21 de julho, para os atuais 13%, já superando Arnaldo Vianna (PDT), que agora surgiu com 10%. Se é uma sensível queda de 8% do ex-prefeito, em relação à amostragem anterior do instituto campista, a projeção é ainda mais drástica, levado em conta que a pesquisa mais recente foi feita antes do indeferimento da candidatura de Arnaldo, na última quarta, pelo TRE.

O crescimento de Makhoul também já havia sido registrado pelo Ibope, dos 9% na consulta divulgada em 31 de agosto, para os 11% da amostragem do dia 18 deste mês. Todavia, além de tudo indicar que o petista tem ganhando os votos que o pedetista vem perdendo, não há nada que demonstre ser uma tendência capaz de ameaçar a reeleição em turno único da prefeita. Pode até ser que a pesquisa do Iguape, já encomendada pelo PT, dê números mais altos a Makhoul, assim como mais baixos a Rosinha, mas é improvável que aponte a possibilidade de segundo turno.

Talvez calçada na sua quase certa vitória eleitoral, a prefeita Rosinha demonstrou bastante segurança em toda sua entrevista de ontem, no programa Folha no Ar, transmitido ao vivo na Plena TV e Rádio Continental, inclusive quando afirmou ter certeza de que conseguirá no TSE o registro da sua candidatura, indeferida pelo TRE, como a de Arnaldo, em 23 de agosto. De qualquer maneira, aos meros mortais submetidos às complexidades por vezes ilógicas e quase sempre inintelegíveis da Justiça Eleitoral, só restar aguardar…

O certo é que Makhoul e seu PT, expurgados dos seus aloprados locais já devidamente banidos ao ostracismo, sairão fortalecidos do pleito de 7 de outubro. Cessados os questionamentos vazios contra o que claramente indicam todas as pesquisas, restará não deixar cair o ritmo até as eleições de 2014, para vislumbrar melhores chances à próxima disputa da Prefeitura, em 2016. Ao subescrever ontem o abaixo-assinado do Movimento Campos Ficha Limpa, do jovem advogado José Paes Neto, Makhoul endossou a crença num caminho de esperança futura. Para 2012, a conta já está fechada.

Publicado na edição de hoje da coluna Ponto Final, da Folha da Manhã.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 7 comentários

  1. Ok, mas isso partindo da premissa (incerta) de que os votos dados a Rosinha terão valor. Só que mantida a situação jurídica da prefeita, os votos a ela dados não terão valor algum. E este parecer ser resultado mais provável do pleito.
    O que acontecerá á partir daí, eis a incógnita!

  2. Aluízio eu acho que a conta ainda não está chegada. tem muita água para passar debaixo da ponte Leonel de Moura Brizola. aguardem……. Eu penso também que vc. deveria ser mais imparcial. está levando muitas vantagem para fazer as suas colocações? Um dono de jornal que por muito tempo fez oposição ao casal, é muito estranho agora a sua posição.

  3. Ainda acho que existem grandes chances para Makhoul,espero que a justiça se faça,Tenho fé e muita…

  4. Cara Sandra,

    Penso ter emitido uma opinião imparcial sobre os números das quatro pesquisas registradas sobre a disputa da Prefeitura de Campos, todos unânimes ao indicar, com razoável folga, a reeleição de Rosinha em turno único. Não ser cego a isso é realmente muita vantagem para quem é capaz de enxergar a realidade como ela é, independente de como se gostaria que fosse. Quanto a tentar mudá-la, é como o texto indica para quem, de fato, faz oposição aos Garotinho, tarefa que jamais desempenhei, até por nunca ter sido (nem desejado ser) político: além de querer, é necessário fazer. E como esse processo eleitoral de Campos tem provado do início ao fim, trata-se de um trabalho contínuo, de médio e longo prazo, que não pode ficar restrito à campanha. Pelo menos se o objetivo real, como são os números favoráveis a Rosinha que vc contesta com a lógica de quem diz que o muro branco é cor de abóbora, for algo além de dar com a cara nele ao fim.

    Abç e grato pela chance do debate!

    Aluysio

  5. Parabéns pela isenção da matéria, acho que o senhor foi muito feliz em sua analise, por mais que o senhor tenha discordado por varias vezes da atual administração municipal, uma coisa o senhor não pode negar, a prefeita ROSINHA deu um toque de beleza em nossa querida cidade, a passagem a 1 real foi uma tacada de mestre, a casa popular então nem se fala, enfim, 62% nas pesquisas é para liquidar qualquer fatura, também é muito nobre de sua parte admitir que o povo já escolheu o próximo governante, que é o da continuidade.

  6. SANDRA, minha amiga, não tenho procuração para defender o Aluysio, mas concordo plenamente com a resposta que ele te deu, e peço que se desculpe pela infeliz pergunta e comentário que fez quanto a matéria publicada, pois o pior cego é aquele que vê e finge não ver, é o seu caso, vc está nadando contra a correnteza e quando chegar dia 7 de outubro vc vai cansar a afogar-se no mar de ROSAS.
    Abs.

  7. Sandra acho que deverias pedir desculpas pela maneira como vc se dirigiu ao Aluysio,que sempre ,democraticamente e com isenção se conduziu neste processo.Infelizmente nem sempre as coisas acontecem do jeito que queríamos, mas levantar suspeitas infundadas não tem propósito.

Deixe uma resposta

Fechar Menu