Artigo do domingo

No caminho do erro

Na Copa de 1998, na França, depois que o Brasil perdeu a final diante da dona da casa, por 3 a 0, com atuação decisiva e dois gols de Zinedine Zidane, quem estava vivo com idade de lembrança, não deve ter esquecido da onda de boatos que tomou conta do país, dando conta que a Seleção Canarinho havia entregado aquele jogo, em nome de supostos interesses financeiros cruzados entre CBF, Fifa e Nike. Bem verdade que a crise convulsiva de Ronaldo Fenômeno, horas antes da partida, bem como sua atuação apática no campo, serviram para reforçar o disse-me-disse.

Em dezembro último, em Las Vegas, depois que o até então invicto lutador brasileiro Júnior Cigano perdeu o título de campeão mundial dos pesos-pesados do Ultimate Fighting Championship (UFC), entidade mais importante do Mixed Marcial Arts (MMA), diante da atuação impecável do estadunidense de ascendência mexicana Cain Velásquez, o mesmo país que 14 anos antes havia “entregado” uma Copa, passou a especular ter perdido o cinturão de todos os pesos por idêntico motivo. Como Ronaldo, o desempenho irreconhecível de Cigano, contra um adversário que já havia derrotado por nocaute, no primeiro assalto da luta anterior, impulsionou a onda de boatos.

Na última semana, a mídia nacional deu bastante atenção à visita da ativista política e blogueira cubana Yoani Sánchez ao Brasil, recebida com tentativas de intimidação física e psicológica por militantes neofascistas do PT e do PC do B, em várias cidades do país. As cenas deprimentes, em muito semelhantes ao constrangimento imposto pelos nazistas, na ruas da Alemanha dos anos 1930, aos judeus e demais “inimigos” da ideologia dominante, antes que o demônio da intolerância mostrasse sua derradeira face nos campos de concentração e extermínio que Hitler espalharia pela Europa após conquistá-la, foram no Brasil justificadas pela suposição de que a dissidente do regime ditatorial dos irmãos Castro seria, na verdade, uma agente da Central Intelligence Agency (CIA), financiada pelo velho (e alquebrado) monstro capitalista: os Estados Unidos. Acusação tão baseada em fatos quanto o famoso “ouro de Moscou”, com que a ex-União Soviética, em tempos idos, financiaria uma revolução comunista no Brasil.

Na última quarta, na sessão da Câmara Municipal de Campos, depois da atuação passiva da sessão inaugural do dia anterior, os quatro vereadores de oposição finalmente disseram a que vieram, denunciando situações como a politicagem envolvida na tentativa de anulação do concurso público daquela Casa, a falta de pagamento do salário de janeiro aos vigilantes terceirizados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), a demissão de uma grávida da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Carvão, a compra de material didático para educação infantil no valor de R$ 10 milhões, e a cobrança pela licitação do transporte público, que não foi feita durante todo o mandato anterior da prefeita Rosinha Garotinho (PR).

De fato, ao final daquela sessão, um experiente vereador da situação chegou a exclamar: “Rapaz, essa oposição está pior que a antiga!”. O motivo, alegado por fontes várias da Prefeitura de Campos, teria sido a cobrança aos edis oposicionistas feita pela mídia, mais precisamente pela Folha da Manhã, em seu noticiário e sua coluna de opinião, o “Ponto Final”.

Já na última sexta, explodiu em pleno Jornal Nacional a bomba dos Centros de Atendimento Psicossocial (Caps) do município de Campos, com pacientes amontoados em camas, colchonetes e no chão, sem direito a água filtrada ou a uma mesa na hora das refeições. Evidenciado em gravações de áudio e vídeo, o “sonho dantesco” a lembrar o “Navio negreiro” de Castro Alves, que já havia sido antes denunciado pela jornalista Jane Nunes, desde 21 de novembro de 2011, no blog “Estou procurando o que fazer”, foi ontem pretensamente justificado pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR), em seu próprio blog, como uma retaliação da Rede Globo à sua atuação parlamentar em Brasília.

O Brasil perdeu em 98 porque a seleção da França, que seria também campeã da Europa em 2000, em façanha até então inédita, bisada depois apenas pela Espanha de Xavi e Iniesta, era um time melhor e tinha um gênio em seu auge: Zidane. Cigano perdeu porque não conseguiu encaixar seu jogo de boxe e Velásquez, no conjunto dos fundamentos do MMA, é um lutador mais completo, além de ter apresentado uma estratégia de luta mais acertada.

Os fascistóides do PT e PC do B perseguiram a blogueira cubana em várias cidades do Brasil porque são maniqueístas, como qualquer outro ruminante intelectual, incapazes de ver o mundo além da sua bipolaridade radical entre bem e mal, que sempre quando contrapostos entre a realidade e suas teorias, preferem negar biliarmente o real. Perseguiram Yonai, xingaram-na, puxaram seus cabelos, cassaram-lhe aos berros o direito à voz, não só porque a grande maioria, com seus tênis Nike, camisas GAP e boinas de Che Guevara, não só jamais conheceu Marx além de palavras de ordem anacrônicas, como sequer chegou a ler uma dos mais batidos (e necessários) princípios de um filósofo anterior, Voltaire:

— Posso não concordar com uma palavra do que dizes, mas lutarei até à morte pelo direito que tens de dizê-las.

Os vereadores de oposição não se portaram como tais porque foram cobrados pela Folha, como acusou gente séria e não séria ligada ao governo Rosinha. Ouvissem o que Rafael Diniz (PPS), Marcão (PT) e Nildo Cardoso (PMDB) admitiram em plenário, constatariam que os oposicionistas, por óbvio, estavam eram “mordidos” com o que declarou no programa Folha no Ar, ao jornalista Rodrigo Gonçalves, o secretário de Governo de Rosinha e bola da vez no teste político para sucedê-la em 2016, Suledil Bernardino (PR), em tom de flagrante ameaça, na última segunda, dia 18:

— Os quatro vereadores da oposição precisam atuar com inteligência, compreendendo a voz das urnas. Se continuarem com o discurso raivoso dos oposicionistas anteriores, eles vão acabar cometendo suicídio político e serão varridos.

Por fim, o escândalo do Caps não aconteceu porque Garotinho investiu contra as emissoras de rádio e TV, numa MP em tramitação no Congresso, como declarou ontem ao participar de programa na rádio O Diário, uma das tantas emissoras que seriam atingidas e que nove entre 10 campistas entende existir apenas para atender aos interesses políticos do próprio Garotinho. Aconteceu porque os doentes psiquiátricos estavam lá, amontoados, sob condições degradantes, como foi denunciado mais de um ano antes, sem que nada tivesse sido feito, até que fossem filmados, gerando em cadeia nacional as tais imagens que valem mais que mil palavras.

Seja no futebol, na luta, na prática da democracia, na lida com a oposição, no serviço público, ou em tudo mais na vida, quando o erro está em si, arrogar-se a buscá-lo no outro é caminho inteiro andado para voltar a cometê-lo.

Publicado hoje, na edição impressa da Folha da Manhã.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. Ernande

    estas denuncias sobre amontoados de gente no chão no caps é café pequeno ao que se praticam Pu psiquiátrico da saldanha marinho. as vezes ficam meses sem ter médicos em determinados plantões ( isso nunca poderia ocorrer, pois o pu é aporta de entrada para paciente psiquiátrico e usuários de drogas)então para onde levar os pacientes em clise? pacientes em risco de suicídio, risco de agressão?), falta de comida decente, falta de roupas para os pacientes tomarem banho, falta de ventiladores, de janelas,( aquilo é um inferno). os funcionários vivem em condições insalubres e não denunciam por são contratados.agora estão colocando concursados sem um minimo de experiência exigida pela legislação. que Deus tenha piedade desta população de pacientes que tanto sofrem.

  2. Maria

    Parabéns Aluysio Filho.Ótimo artigo,ótimas colocações,dignos do grande jornalista que és.

  3. oswaldo

    CAPS, PU da Saldanha Marinho, sem falar na Casa da Cidadania na Tte. Cel. Cardoso e na da final da Beira Valão, é só ir e conferir!

Deixe um comentário