Opiniões

Zé Paes, com pé direito, no ângulo

Você, leitor, já ouviu falar em começar com o pé direito? Pois leia aí o primeiro artigo do Zé Paes publicado hoje na Folha…

Menos terrorismo e mais eficiência

Zé paes
José Paes Neto

Nos últimos 20 anos, sobretudo a partir dos anos 2000, nós campistas passamos a conviver com orçamentos vultosos, frutos do constante aumento das receitas oriundas dos royalties do petróleo.

Nesse mesmo período, talvez diante dos gigantescos valores envolvidos, também nos acostumamos ao desperdício do dinheiro público. Passamos a conviver, governo após governo, com obras de necessidade duvidosa e valores claramente fora da realidade, com o inchaço da máquina pública, loteada por cargos comissionados desnecessários e por um sem fim de programas sociais de cunho populista, mas que nem de longe alcançaram o objetivo de integrar socialmente a camada mais pobre da população.

Durante esse período, vivemos intensamente o presente, mas esquecemos de pensar e planejar o futuro sem os royalties do petróleo. A necessidade de manutenção de projetos megalomaníacos de poder e os interesses pessoais imediatos nos tornaram reféns dessas receitas e acabamos nos desapegando dos conceitos mais básicos de transparência, eficiência, impessoalidade, probidade. Não nos preparamos para conviver sem os referidos recursos, que todos sabiam seriam finitos.

Agora, com a iminente perda dessas receitas, em razão do golpe perpetrado pelo Congresso Nacional, com a chancela dissimulada do governo federal, nos vemos diante de um terrorismo político barato, em que nos vendem o caos, a quebradeira, a necessidade de suspender obras, programas sociais e até mesmo atividades vitais para o município, como a manutenção de hospitais, na irresponsável tentativa de instalar o medo na sociedade. Tudo isso, reparem, para tentar esconder o mal que anos de incompetência administrativa e falta de planejamento nos causaram.

Por óbvio, devemos lutar pela manutenção das receitas dos royalties, valendo-se dos mecanismos jurídicos e políticos existentes para tanto. Esse é um direito do nosso município e não devemos abrir mão dele. O simples fato da verba ter sido utilizada de forma vergonhosa ao longo dos últimos anos, como alguns pensam, não justifica a rasteira que nos foi dada pelos demais estados e municípios brasileiros.

Contudo, devemos aproveitar esse momento para refletir acerca do futuro da nossa cidade. Os gestores públicos devem implementar uma administração mais eficiente, transparente, focada em metas claras e passíveis de fiscalização por todos. Precisamos de uma máquina pública mais enxuta, em que se valorize o servidor concursado e a continuidade das políticas públicas. Além disso, precisamos repensar nossas prioridades: shows, sambódromos e programas sociais a um real não podem inviabilizar as melhorias dos indicadores de saúde e educação do município, verdadeiros pilares do seu desenvolvimento sustentável.

Enfim, não devemos abandonar a luta pelas receitas dos royalties do petróleo, mas já passou da hora de impormos novas práticas de gestão e planejamento do município. É chegado o momento de fazermos mais com menos recursos, de deixarmos de lado interesses pessoais e cobrarmos uma gestão mais transparente, eficiente e profissional. Só assim, teremos um desenvolvimento sustentável, autônomo, seguro, livre do terrorismo populista de políticos incompetentes e irresponsáveis.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 13 comentários

  1. Tenho notado um movimento, que lentamente vem aumentando, de pessoas que sem o medo do autoritarismo disfarçado que aqui se instalou, falam e mostram os equívocos praticados em anos de desgoverno! Que mostram o terrorismo barato e irresponsável que pratica quem deveria zelar pelo bem público e o privado e cuidar de seus cidadãos! Esse movimento me dá a esperança de um tempo novo, que esperamos todos há anos, de ver à nossa tão sofrida Campos, respeitada novamente!
    Acho esse advogado, um exemplo de correção e espero que não se cale e continue a escrever o que os campistas, que trabalham arduamente sem depender da máquina pública, nem sempre conseguem dizer! Uffa! A esperança …consigo sentí-la novamente!

  2. ESPERO QUE ESSE MOVIMENTO QUE A LAILA, CITA ACIMA CRESÇA AINDA MAIS COM A CHEGADA DO ADVOGADO JOSÉ PAES. O ARTICULISTA COMO CAUSÍDICO, COM SEUS CONHECIMENTOS JURÍDICOS FAZER ALGUNS QUESTIONAMENTOS A JUSTIÇA DE NOSSA CIDADE, PARA DIRIMIR DÚVIDAS DA POPULAÇÃO, QUE NÃO TEM ACESSO A JUSTIÇA.
    EXEMPLOS:
    1- PORQUE O CIDADÃOS NÃO TEM ACESSO A TRANSPARÊNCIA DOS CONTRATOS FEITOS PELA PREFEITURA.NÃO EXISTE A LEI, SE TEM CUMPRA-SE; SE NÓS CIDADÃOS SOMOS OMISSOS É PORQUE NÃO TEMOS A QUEM, AS FAÇA CUMPRIR.

    2- TODOS OS ANOS TEMOS ESSA QUANTIDADE ENORME DE PESSOAS COM DENGUE, ALÉM DE NÃO SER INVESTIR, EM UMA PROPAGANDA DE PREVENÇÃO, TEMOS EXCELENTES PROFISSIONAIS NESTA ÁREA; TER UM HOSPITAL EM REFERENCIA EM DENGUE , MAIS COMO? SE TEMOS UM VALÃO A CÉU ABERTO CORTANDO A CIDADE, EM VEZ DE SANEAR O MESMO.-
    ESPERO COMO A LAILA, UM NOVO TEMPO SEM A ESCURIDÃO, SABER QUE NÃO VAMOS MAIS SER MENOS OUVINTES, E SIM OUVIDOS COMO CIDADÃOS QUE QUEREM , OPINAR, SABER? COMO, QUANDO E ONDE, SERÃO APLICADOS NOSSOS IMPOSTOS, TEMOS O DIREITO DE SABER DO QUE ACONTECE, COM O MEU , O SEU O NOSSO DINHEIRO DOS IMPOSTOS.
    ATENCIOSAMENTE,
    HUGO MESTALA

  3. Esperamos está vivendo um novo tempo, tempo esse que perpassa pelo direito de prestar concurso neste município e ser chamada, ao invés de ter que impetrar ação no judiciário e aguardar anos a fio para ser chamada, e ainda assim correr o risco de ter que conviver com a morosidade.

  4. Lúcidas e precisas as palavras do Dr. José Paes Neto, meus parabéns!
    Atualmente falamos o tempo todo sobre a questão dos Royalties, mas uma coisa que ninguém comenta é sobre o (também) misterioso valor restante da arrecadação municipal com os impostos!
    Novamente voltamos à estaca zero, isto é, a desinformação, marca permanente da atual administração que segue o mesmo modelo da anterior.
    É lógico, que temos todos que lutar pela permanência dos Royalties, mas sem dúvida o mau uso, o uso duvidoso e incerto, acabam desestimulando juntar forças para enfrentar esta verdadeira batalha.
    Quando nos deparamos com o gasto perdulário, com a falta de transparência, com contratos e aditivos incompreensíveis, com contratações à rodo e feitas aparentemente sem critérios claros, com descasos e desmandos numa área crucial como a Saúde, provoca um certo desânimo.
    Amanhã há a mobilização marcada para o grande protesto sobre a questão dos referidos royalties, mas só em pensar no “conjunto” de políticos ineptos, no “Secretariado” desta pífia administração, confesso sentir uma enorme sensação de nojo e mal-estar.
    Mas, eu vou. Mesmo sabendo que se vencermos esta ameaça os mesmos continuarão encastelados no seu “modus operandi” e tendemos a continuar sendo “servidos” pelas mesmas ‘caixas-pretas’de sempre.
    Quem sabe, doravante, pelo risco de novamente perdermos a “galinha dos ovos de ouro negro”, a sociedade civil esteja tão mais atenta e vigilante, que consiga, finalmente, uma auditoria permanente e transparente dos gastos públicos!

  5. Precisas, as palavras do Dr. José Paes. Os governos estadual e municipais estão fazendo um verdadeiro terrorismo, como se fossem enganar os ministros do STF ou sensibilizar os congressistas.
    Creio que os governantes só estão com medo de perder a grana que vai pro bolso deles.

  6. Caro amigo Dr. José Paes Neto, seu brilhantismo, sua jovial coragem, só poderia nos trazer acréscimo de qualidade nas discussões que vimos travando na sociedade, tendo em vista um novo tempo para Campos. Com toda certeza, a cada novo cidadão de bem que se dispõe a discutir abertamente, sem medo do Poder, o interesse público, exigir a transparência e a probidade na administração local, mais renova a esperança de novos tempos sim, para nossa Campos, não dos Goytacazes, mas de todos nós que aqui lutamos, investimos, geramos riqueza, produzimos trabalho e crescimento social.
    Estamos nos tornando aos poucos, espelho para muitos outros que certamente virão ombrear-se nessa luta pelo melhor, pelo mais justo, por uma nova sociedade, pelo futuro seguro aqui, COM ÉTICA, TRANSPARÊNCIA, PROBIDADE E DIGNIDADE.
    Temos certeza que estamos construindo de fato um novo tempo, uma nova esperança de futuro aqui.
    Seja bem vindo e muito sucesso.
    JOSEGERALDO

  7. A juventude estudantil da década de 70, no nosso Brasil, teve a bandeira da democracia a sua razão de grandes lutas. Como representantes da “mudança” à época, cumpriram seu papel e, como sabemos, a CF de 1988 tornou-se o marco dessa “vitoria”, aclamada e recebida como a “carta cidadã”. Alguns desses “exemplares”, ocupam cargos eletivos na administração direta e no próprio congresso nacional, símbolo e palco dessa “revolução” libertaria.
    Nos tempos atuais, 25 anos depois, percebemos que seqüestro de embaixadore americano e “panfletos comunistas” em campus universitários nao mais surtem os efeitos de outrora, tampouco, atendem as prioritárias demandas socias. Assim, nao é de se surpreender a episódios como o brado retrogrado da “nova juventude” contra, por exemplo, a visita da blogueira cubana dissidente ao nosso Brasil.
    Está nítido: a classe estudantil, responsável pelas grandes mobilizações socias, está claramente órfã de propósitos! E rebeldia sem causa, é gritaria para os surdos…
    Nesse caso, faço uma proposta às entidades representativas, tais como UJS; UNE; Federações de Estudantes; juventudes partidárias: sigam o exemplo desse advogado e lutem pela moralidade e eficiência na gestão pública! Pela punição severa aos corruptos e corruptores; pela busca voraz pela transparencia nos atos de governo e pela cultura da meritocracia como solução.
    “Pra começar com o pé direito”, comecem pela nossa Campos! Um excelente modelo de estudos de como nao se gerir um município!!! Basta de corrupção!!!! O Brasil e a nossa Campos merecem mais! Essa é a bandeira!

  8. O que foi dito em poucas palavras é o retrato fiel da realidade política em nossa Campos dos Goytacazes. Nessa toada, por saber que ainda pessoas pensando assim, como o articulador do texto em foco, que acredito que temos condições de reverter este quadro crítico que se instalou em nossa querida cidade. Parabéns ao jovem e promissor autor do texto, começou com o pé direito.

  9. Terrorismo conhecido dos garotinhos.Jogam o peso para a população.Sem obras, como superfaturar? A má administração e mal uso dos royalties fez crescer o olho gordo de municipios e estados não produtores.

  10. É isso aí, vamos atrás de uma Campos mais digna!

  11. Caro “ombudsmancampista”, comentarista das 8h43 de hoje, IP: 177.121.40.219,

    Por motivos de ordem ética e legal, nenhum dos blogs hospedados na Folha Online pode publicar comentários anônimos. Se quiser repetir o seu, bem como fazer qualquer outro, sobre este ou qualquer outro post, com pretensão real de publicação, necessário usar nome verdadeiro. Liberdade, pelo menos na Folha, é obrigada a rimar com responsabilidade.

    Abç e grato pela colaboração!

    Aluysio

  12. Muito bom,José Paes,de usufruir de suas idéias e ideais.Vai em frente que atrás vem gente…

  13. QUEM SABE SERÁ UMA BOA OPÇÃO PARA A PRÓXIMA ELEIÇÃO.

Deixe uma resposta

Fechar Menu