Opiniões

A liberdade, o incômodo, os poderosos e os canalhas

Como costuma fazer com os comentários que julga merecerem a relevância maior de post, o blog republica abaixo aquele feito aqui, pela leitora Valéria Matos, até por entender que, além das políticas populistas e do aparelhamento do estado, a tentativa do controle da mídia e da liberdade de expressão é outro dos nefastos malefícios que unem o lulo-petismo e, à nível mais provinciano, o garotismo, assim como os midiotas chapas-branca que se prestam a ecoá-los…

  • Valéria Mattos

    A LIBERDADE, O INCÔMODO, OS PODEROSOS E OS CANALHAS.

    Assine o protesto contra o controle do governo sobre os meios de comunicação e a adoção de uma nova forma de censura no link abaixo:

    https://www.change.org/pt-BR/peti%C3%A7%C3%B5es/o-grito-pela-liberdade-de-express%C3%A3o-e-em-defesa-do-jornalismo-independente-4#

    Todo governo autoritário teme o poder da liberdade de expressão e do livre pensamento. Eles sabem que você pode prender, torturar, calar e até matar uma pessoa ou mesmo muitas delas. Contudo, é impossível deter uma ideia ou um pensamento que encontre eco nos corações e mentes de um povo.

    Assim, para que suas mentiras e fantasias se mantenham eficientes e palatáveis aos cérebros manipulados, esses governos buscam sempre controlar todas as formas de expressão existentes; notadamente a imprensa e os meios de comunicação.
    A tática usada é sempre a mesma, disfarçam a censura com cores e flores bonitinhas alegando que pretendem apenas proteger as famílias e o cidadão dos “excessos” ou da “manipulação” proporcionada pelas mentes pensantes que não estão em conformidade com os ditames do “Grande Líder” do partido. Muitas vezes usam falsas alegações de que pretendem democratizar o setor de informações para permitir maior pluralidade de fontes de informação.

    Contudo, aos poucos, a verdade que permanece é completamente diferente. Calam-se as vozes discordantes e cria-se uma enorme rede “chapa branca” que assola a população com propagandas doutrinárias ou com notícias de interesse exclusivo da corrente ideológica no poder.

    Desta forma, os cidadãos são cada vez mais imersos na doutrina preconizada pelo “Grande Líder” e qualquer tentativa de diferenciar a informação ou retirar dela a maquiagem proposta pelos organismos do poder é destruída.

    Exemplos históricos não faltam. No início, a censura e o aparelhamento dos órgãos de informação são sempre apresentada em forma de uma aparente conquista social. Mas, o que se da realmente com o passar do tempo é o total domínio de tudo o que o cidadão lê, vê ou ouve nos meios de comunicação.

    Aqui, bem perto de nós, temos o exemplo da Argentina com sua “Lei de Meios”. Apresentada como forma de democratizar os meios de comunicação e acabar com o “monopólio” de algumas empresas (notadamente as que apontavam as mazelas do governo); ela criou uma forte imprensa “chapa branca” e os argentinos são bombardeados com notícias maravilhosas sobre sua economia que, todos sabem, está em frangalhos. A inflação galopante tem sua divulgação proibida e um número fantasioso é apresentado mesmo diante dos protestos dos cidadãos e da miséria crescente.
    Até o maior argumento da “Lei de Meios” – a quebra dos monopólios” – não se aplica “aos amigos do rei”. Afinal, um empresário ligado a família Kirchner comprou recentemente um pequeno império de comunicação com várias rádios e um canal de TV. Empresário, aliás, acusado de cometer inúmeras irregularidades em negócios que “caem no seu colo” na área de serviços públicos e obras desde o início do governo Kirchner.

    Aqui no Brasil eles também anseiam pelo controle total dos meios de comunicação. Nunca se atacou tanto a imprensa como atualmente. Se na época da ditadura havia censores espalhados pelas redações e agentes da repressão “atrás de cada porta”; hoje há uma enorme pressão para que os organismos de informação se calem e fechem os olhos diante das mazelas dos políticos brasileiros.

    O PT tenta a todo custo implantar o “controle social” da imprensa, o que nada mais é do que exercer sobre os meios de informação o poder de controlar sua evolução, sua orientação editorial e suas formas de sobrevivência. Isso criará um “cabresto” natural e tornará muito fácil ao governo destruir quem ousar “cruzar a linha” e publicar notícias capazes de mostrar a verdadeira face canalha dos que estão no poder.
    Desta forma, você jamais ficaria sabendo dos Mensalões, dos dossiês, dos dólares nas cuecas, dos acertos e conchavos ilícitos que são a tônica da política nacional hoje em dia. Também não saberia que o filho do Lula deixou um cargo medíocre de estagiário para se tornar um milionário relâmpago durante o governo de seu pai, numa negociata jamais explicada. Também não ficaria sabendo que Lula é dono de uma grande fortuna e de vários imóveis de luxo totalmente incompatíveis com suas únicas fontes de renda (política e INSS) declaradas. Jamais saberia que José Dirceu e outras “figurinhas carimbadas” do PT estão envolvidas em inúmeras negociatas e “consultorias” que causaram enormes prejuízos ao país e resultaram em negócios eticamente duvidosos. Também não saberia que o governo petista da Bahia publicou uma cartilha com dicas de segurança pública ordenando aos cidadãos que reservassem “o do ladrão” como forma de garantirem sua segurança diante da falência do poder público ante a violência desenfreada no estado.

    Mas, não pense que a coisa fica restrita ao PT. Como toda nação “democrática” que se preze, o Brasil é hoje considerado um dos piores países para o exercício da livre opinião. Jornalistas que ousam “pensar diferente” do alcaide do momento (seja de que partido for) são executados com frequência cada vez maior sem que os organismos policiais esbocem qualquer interesse em desvendar os crimes.

    O próprio Poder Judiciário atua intensamente em favor dos poderosos, calando e destruindo meios de comunicação independentes como blogs, fanzines e sites que divulgam informações sobre as maracutaias e falcatruas de políticos dos mais variados partidos.

    O ódio ao livre pensamento e a opinião isenta anda tão intenso que o desejo de controlar o que o cidadão pode ver e saber já é expresso de maneira indisfarçável e verdadeiramente explícita até pelas comissões da Câmara dos Deputados que deveriam garantir a liberdade de expressão e a pluralidade de pensamento.
    Assim que tomou posse na Procuradoria da Câmara dos Deputados, o deputado Paulo Cajado (DEM/BA), deu entrevista dizendo que vai implantar um sistema de monitoramento da Internet que varrerá sites, o You Tube e blogs detectando notícias, artigos ou vídeos que desagradem aos parlamentares e promover a sua “retirada do ar” o mais rápido possível.

    Se com a Constituição Federal impedindo tais ações eles as praticam com uma desenvoltura total; imagine você – caro leitor – se houver um dispositivo legal que lhes garanta o poder de censurar e controlar a informação ou quem pode divulgá-la.
    Será a verdadeira festa dos canalhas.

    Portanto, pensando nisso a sociedade civil começa a se movimentar e pretende combater a todo custo em defesa de nossa liberdade de expressão e do livre pensamento. Se houver excessos, que sejam combatidos no campo e com as armas adequadas – as do Judiciário. Como primeiro passo, o Movimento 31 de Julho está divulgando uma Carta Aberta ao presidente do PT – Rui Falcão – demonstrando que não aceitaremos pacificamente a ideia de um controle estatal sobre o que os meios de comunicação (oficiais ou independentes) podem publicar ou não.

    Assine e divulgue o abaixo-assinado e mostre o quanto você deseja continuar falando o que pensa sem que ninguém tente te impedir de fazer isso. Segue o teor da carta aberta e um link para a assinatura.
    Agora, faça a sua parte.

    **********
    Assine o protesto contra o controle do governo sobre os meios de comunicação e a adoção de uma nova forma de censura no link abaixo:.

    https://www.change.org/pt-BR/peti%C3%A7%C3%B5es/o-grito-pela-liberdade-de-express%C3%A3o-e-em-defesa-do-jornalismo-independente-4#

    Leia a carta:
    Para:
    Sr. Rui Falcão – Presidente do PT – Partido dos trabalhadores
    Deputado Rui Falcão
    Prezado Sr. Rui Falcão:
    Nós, signatários desta carta, defendemos o direito de livre expressão e repudiamos toda tentativa de controle da imprensa e/ou de restrições à liberdade de expressão da sociedade civil, no que expressamos a nossa total discordância e oposição a qualquer iniciativa, que venha limitar, regulamentar ou restringir esse direito que a democracia brasileira duramente conquistou.

    O Supremo Tribunal Federal, em 2009, retirou um “entulho autoritário” da Lei de Imprensa, remanescente ainda da época da censura do regime militar, restituindo à ordem jurídica e à sociedade brasileira os princípios democráticos da Constituição Federal de 1988, garantindo a livre circulação de notícias ou opiniões em qualquer meio de comunicação.

    A presidente Dilma (PT), no discurso de posse garantiu que lutaria sempre pela total liberdade de imprensa e opinião.
    Até mesmo o senador Renan Calheiros (PMDB), que motivou uma gigantesca mobilização das redes sociais contra a sua permanência no cargo, ao ser eleito presidente do Senado com o apoio do PT e do Governo, prometeu a defesa intransigente da liberdade de imprensa e de opinião.

    Nós entendemos que estará na contramão da história quem intentar “Marcos Regulatórios” dos meios de comunicação – mídia impressa, falada, televisionada ou virtual pela Internet – visando a regulamentação de conteúdos jornalísticos, trazendo de volta a censura, o que é inadmissível posição autoritária. Portanto, não aceitamos o que se revela um retrocesso e uma afronta à plena democracia brasileira, e imposição inaceitável a corromper a liberdade de livre expressão dos cidadãos.

    É essa liberdade de expressão que protege a sociedade contra o arbítrio e as soluções de força. E é por essa razão que repudiamos veementemente a tentativa em curso de restringir a liberdade de informação, em afronta ao disposto nos Artigos 1º (inciso V), 5º (incisos IV, VIII e IX) e 220 § 2º da Constituição Federal de 1988.

    Rejeitamos com igual energia que qualquer segmento político intente transformar os veículos de comunicação em “imprensa chapa branca”.

    A democracia, na sua oposição ao totalitarismo, se inspira nos princípios que determinam os valores do Estado como imutáveis e superiores a toda ideologia particular.

    Atenciosamente,

    http://www.visaopanoramica.com/2013/03/13/a-liberdade-o-incmodo-os-poderosos-e-os-canalhas/#ixzz2NUoLG1Lo

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Eles se esquecem que não. se compra a mente de pessoas honestas.

Deixe uma resposta

Fechar Menu