Aprovado Conselho de Fiscalização dos Royalties, mas qual?

Segundo informou agora, por telefone, o jornalista e blogueiro Alexandre Bastos, tanto o projeto de Marcão (PT) quanto a indicação legislativa de Albertinho (PP), ambos relativos à criação do Conselho Municipal de Fiscalização da Aplicação dos Royalties, acabaram de ser aprovados, por unanimidade, no plenário da sessão ainda em curso da Câmara de Campos. Aparentemente idênticos em objetivo, os dois têm uma diferença básica: pela iniciativa do vereador governista, o criação e consequente controle do Conselho caberia à prefeita Rosinha (PR). Já no proposta do edil petista, caberia à própria Câmara legislar sobre a questão e exercer a fiscalização da aplicação dos recursos do petróleo, com a participação da sociedade civil organizada. Ambos serão encaminhados agora à apreciação da Comissão de Legislação e Justiça, presidida por Jorge Rangel (PSB), outro vereador da situação.

Respeitados os ritos do Legislativo, diga aí, você, leitor: qual projeto teria mais chances de realmente servir para fiscalizar a aplicação dos bilhões dos royalties no município de Campos? O controlado pela prefeita, proposto por Albertinho e desprezado em abril de 2010, ou outro, que depois de anunciado recentemente por Marcão, serviu para ressuscitar a ideia governista?

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 6 comentários

  1. JOSE GERALDO

    A bem da verdade, nenhuma das duas vai nos levar aonde gostaríamos: A TRANSPARÊNCIA NA APLICAÇÃO DOS RFECURSOS.
    É lógico que o rolo compressor da base governista vai adequar os projeto ao interesse do Executivo. E a sociedade civil organizada, como sugerida pelo ver. Marcão, vais servir pra nada assim. Lamentavelmente. JOSEGERALDO

  2. Savio

    “pela iniciativa do vereador governista, o criação e consequente controle do Conselho caberia à prefeita Rosinha (PR)”

    Ora!!! com tal proposta acima continuaremos SEM RESULTADO! É o mesmo que colocar gato tomando conta de banca de peixe!

    Por outro lado, mesmo com a proposta petista, se depender também da Câmara, só mesmo se houver participação da sociedade civil organizada, porque senão, a referida Câmara também irá “blindar” a Prefeita e continuaremos sem transparência!

    Mas, se isso for adiante, que se analise os recursos atuais, os futuros mas também os do passado. Temos o direito cidadão de saber onde enfiaram tanto dinheiro!

  3. maria

    Com a particpaçao da sociedade,isso é que temos que exigir SEM cartas marcadas,e estamos aqui para isto.TRANSPARENCIA. JÁ

  4. HUGO MESTALA

    TEM TEM QUE FISCALIZAR Á A SOCIEDADE CIVIL , VIA PORTAL DE TRANSPARÊNCIA; E NÃO PREFEITA, CÂMARA, HAJA VISTO QUE O DIRO POPULAR ¨TODO HOMEM TEM O SEU PREÇO¨.

    PORQUE A PREFEITURA NÃO FAZ UMA PRESTAÇÃO DE CONTA TODO MÊS VIA IMPRESSA, NÃO TEM DINHEIRO PARA GASTAR COM PROMOÇÃO PESSOAL DE SEUS ALCAIDES, PORQUE JÁ QUE TEMOS UM ENORME CONTINGENTE NÃO SE FAZE UM PLANEJAMENTO E INFORMA A POPULAÇÃO; ÁH ME ESQUECI TEM GENTE DE MAIS , E QUALIFICADOS DE MENOS.

    POBRE CAMPOS…

  5. Carlos Eduardo

    Então quer dizer que as Raposas irão vigiar as galinhas? Entendi!

  6. viana

    Só uma pergunta, para que serve o MINISTÉRIO PUBLICO?

Deixe um comentário