Opiniões

Exemplo da Santa Casa, contraposto ao da Câmara, é capaz de dar vergonha na cara?

Divulgada aqui, em primeira mão, neste “Opiniões”, a greve dos médicos da Santa Casa de Misericórdia de Campos, deflagrada na semana passada, além do pagamento dos salários atrasados e da normalização dos futuros, tinha outra importante reivindicação em pauta: a criação de uma comissão da categoria que fiscalizasse a entrada e a destinação dos recursos do hospital. Pois ontem, segundo informou aqui a Folha Online, em reportagem do jornalista Dulcides Netto, após o acerto dos vencimentos, o pleito talvez mais importante, por estrutural, foi também atendido, com a aceitação da provedoria do hospital da criação da Comissão de Revisão e Faturamento.

Emblematicamente, o exemplo alvissareiro da Santa Casa se deu no mesmo dia em que o “rolo compressor” da prefeita Rosinha (PR) esmagou na Câmara uma proposta análoga do vereador petista Marcão, para se criar a Comissão de Fiscalização da Aplicação dos Royalties, com a participação da sociedade civil organizada, considerada “inconstitucional” pela bancada governista.

Na Câmara de Campos, seu vice-presidente, Jorge Magal (PR), conforme registrou aqui o jornalista Alexandre Bastos, tentou justificar o veto governista alegando:

— Nós já somos pagos para fiscalizar não só os royalties, mas todos os recursos do governo. Se a população nos deu essa missão, como vamos passar para outras pessoas? Somos muito bem pagos para fiscalizar.

Na certeza de os vereadores goitacá são, sim, muito bem pagos (ao preço de R$ 13 mil por cabeça, mais quatro assessorias ao custo de quase R$ 4 mil cada, sem contar as dezenas de cargos terceirizados na Prefeitura, pelos quais se estapeiam nos bastidores os governistas), fica a dúvida para lá de razoável se a Câmara de Campos tem demonstrado um mínimo de vergonha na cara para cumprir seu dever constitucional (sem aspas) de fiscalizar os atos do Executivo. Diante dela, resta outra certeza, pelo menos para quem ainda é capaz de corar a cara de vergonha com a própria inação: na Santa Casa, a criação da comissão de fiscalização foi uma conquista, não uma concessão.

Não seria ruim que o exemplo dos médicos do maior hospital filantrópico do município restituísse a saúde cívica (e a vergonha na cara) da maioria dos campistas.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. A Santa Casa e dirigida por pessoas do bem,transparentes,honestas por isso permitiram ser fiscalizadas.
    “Nao seria ruim que o exemplo dos medicos do maior hospital filantropico do municipio restituisse a saude civica(e a vergonha na cara) da maioria dos campistas.”Blog Opinioes.

Deixe uma resposta

Fechar Menu