Opiniões

Quem fala o que quer…

Ponto final

Ontem, durante a sessão da Câmara, quando o vereador governista Jorge Magal (PR) concentrou as atenções, ao fazer críticas contra o governo, especificamente à situação do Hospital São José, quem se meteu a falar o que quis, acabou ouvindo o que não quis, mas que muita gente, dentro e fora do Legislativo, estava louca para dizer.

Bem verdade que, no meio do discurso em plenário, Magal acabou confundindo a “intervenção” no São José, prometida para hoje pelo presidente da Fundação Municipal de Saúde, Sebastião Campista, com uma “interdição” no Hospital. Ligeiro ao querer mostrar serviço na defesa do governo, depois do puxão de orelhas público de Garotinho à bancada “independente”, na reunião do PR na última sexta, o vereador Alexandre Tadeu (PRB) pediu a palavra na sessão de ontem para afirmar: “Interdição, não!”

De novo com a palavra, olhando fixamente para Tadeu, também apresentador local da Record, Magal não fez mais nenhuma confusão ao dar seu testemunho enquanto político e fonte jornalística: “Tudo que eu falei, a Folha sempre publicou, sem alterar uma palavra. Só não consegui falar com a Record porque, mesmo chamada para também conferir a situação do Hospital São José, a Record não apareceu!”

Publicado hoje na coluna Ponto Final, na edição impressa da Folha.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 6 comentários

  1. Como sempre a corda rebentou no lado mais fraco,como sempre,o pobre soldado que rala mais de 16 hs por dia,para dar uma vida digna a sua familia.

  2. Podia ter ficado sem essa heim, sr. Alexandre Tadeu.

  3. estava na sessão e e realmente o Magal falou que chamou a Record para ir lá, mas em nenhum momento disse nada sobre a Folha da Manhã, muito menos elogios. Quer criar polêmica, use a verdade não minta para o seu público.

  4. Caro Jonas Tomillo,

    Vc é surdo, mentiroso ou ambos?

    Aluysio

  5. Eu estava na sessão da Câmara e ouvi claramente a referência elogiosa do vereador Magal à Folha da Manhã, em contraponto com a omissão da Record, que foi chamada, mas se negou a cobrir a pauta da situação escandalosa do Hospital São José, que desde ontem está sob intervenção do governo municipal. Pelo visto, nem a saúde do povo é capaz de sensibilizar esse pessoal, escravos dos interesses financeiros e políticos junto à Prefeitura de Campos. O fato é que ouvi e todos os presentes ouviram Magal falar da Folha. E não era nem preciso estar presente, bastava ouvir a transmissão ao vivo da sessão pela internet. Esse tal de Jonas é mesmo um mentiroso. Aliás, Tomillo não é nome de tempero?

  6. TV Record, onde atua um misto de “apresentadorzinho” que metia o pau em rosa e agora segura ate os espinhos , (trecho excluído pela moderação) seria o nome do sujeitinho? Afffffffff

Deixe uma resposta

Fechar Menu