Marcão busca vaga na Alerj e Orçamento Participativo na Câmara

Anunciada publicamente pelo jornalista e blogueiro Gustavo Matheus (aqui), a pré-candidatura do vereador Marcão à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nas eleições do ano que vem, é mesmo uma certeza do petista e do seu grupo político. Ainda assim, ele confirma que buscará, até o último momento, o entendimento com os dois outros nomes do PT de Campos que já tinham se lançado antes a deputado estadual: os professores Odisséia Carvalho (ex-vereadora e suplente de Marcão na Câmara) e Alexandre Lourenço. Sem descuidar do seu mandato de vereador, que admite ser a base do seu lançamento à Alerj, Marcão já tem definido seu objetivo assim que terminar o recesso do Legislativo goitacá: brigar pelo Orçamento Participativo no município de Campos, pauta lançada das ruas pelo movimento “Cabruncos Livres”.

Foto de Edu Prudêncio
Foto de Edu Prudêncio

Folha da Manhã – Por que se colocar agora como pré-candidato à Alerj, depois que Odisséia Carvalho e Alexandre Lourenço já haviam posto seus nomes?

Marcão – No início do mês, tomei conhecimento de uma pesquisa feita para Alerj em nosso município, onde o nome do vereador Marcão aparece com 5,33% de intenções de voto para deputado estadual, aparecendo nas intenções de voto tanto na pesquisa estimulada, quanto na espontânea, sem que em nenhum momento eu tivesse dito que seria pré-candidato à Alerj. A partir daí fizemos uma reunião com nosso grupo político e ficou decidido que este seria o momento de optar pela pré-candidatura.

Folha – Conversou com algum dos dois antes? Tem esperança que algum deles abandone a pré-candidatura própria e abrace a sua?

Marcão – Havia tido conversas informais com os dois companheiros, dando conta de que havia recebido um convite da direção estadual do PT, desde o mês de abril, para ser pré-candidato, e que existia, sim, essa possibilidade. Esperança, como diz o ditado popular, é a última que morre. Eu alimento, sim, a esperança de que consiga unificar os companheiros em torno da nossa candidatura, até pelo fato de que caso esse projeto tenha a aprovação das urnas, no caso da companheira Odisséia, ela poderá assumir o mandato na Câmara Municipal, já que é a primeira suplente no PT. E tenho pensado em algumas propostas de diálogo para serem apresentadas ao companheiro Alexandre.

Folha – E você abrir mão da sua pré-candidatura para apoiar um dos dois? Há também essa possibilidade recíproca? Qual deles teria sua preferência? Por quê?

Marcão – Na política temos que estar a todo instante dialogando e buscando a meu ver o estabelecimento de uma relação mutuamente consentida e respeitosa. É isso que procuro fazer em minhas ações. Não penso em abrir mão de minha pré-candidatura, tenho ótimo relacionamento com os dois, portanto não há preferência.

Folha – O fato de você sair de um mandato de vereador bastante atuante na oposição o coloca em vantagem sobre os outros dois?

Marcão – Acredito que a visibilidade de um mandato bem desempenhado ajuda na projeção do político, estou totalmente focado em nosso mandato na Câmara. Temos vários projetos sendo concluídos para colocá-los à apreciação da Câmara, no segundo semestre, inclusive um que já está tramitando e diz respeito à pauta que vem das ruas, se refere ao Orçamento Participativo (aqui). Vamos continuar trabalhando muito em busca de mais transparência e controle social. A possível vantagem, se existe, é fruto deste trabalho que estamos desempenhando.

Folha – Quantos votos acha que um candidato do PT à Alerj precisaria fazer para assegurar sua eleição? Quantos pretende ter?

Marcão – Aluysio, além de advogado, eu também sou contador e adoro trabalhar com estas previsões estatísticas eleitorais. No PT, na última eleição, foram necessários exatos 28.798 votos para conquista da vaga, porém não tínhamos candidatura própria para o governo do Estado. Agora, com a pré-candidatura do senador Lindbergh a governador, isso possibilitará que possamos fazer mais deputados federais e estaduais. Estimo que para essa eleição à Alerj, em 2014, quem tiver no PT acima de 20 mil votos, passa a ter muita chance na conquista da vaga.

Folha – Se nenhum dos três desistir, o PT de Campos, mais uma vez, não se arriscará a cumprir sua sina de nunca ter eleito ninguém à Alerj?

Marcão – Espero que esta sina efetivamente não ocorra, e que possamos entrar em entendimento e buscando o fortalecimento do partido, possamos de forma inédita eleger no mínimo um representante para nossa região.

Publicado hoje na edição impressa da Folha.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Cláudio

    Acredito que o Marcão possa atuar muito bem como Deputado, tem mostrado ser um político equilibrado e que sabe desempenhar o seu papel.

  2. Julia

    O momento é do Marcão, ele tem feito um ótimo mandato e a cada dia que passa o seu nome vem crescendo, consequência de seu trabalho na câmara e como ainda temos 1 ano para a eleição com certeza o Marcão terá a possibilidade de crescer ainda mais e representar não só o PT, mas todos aqueles que não votam no grupo do casal Garotinho.

  3. JORGE DIAS

    TENHO TOTAL CONVICÇÃO QUE O VEREADOR MARCÃO TERÁ UMA EXCELENTE VOTAÇÃO PARA A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA. SUA CONDUTA E FORMA DE ATUAR JÁ O TEM CREDENCIADO A ALÇAR VOOS MAIORES. EM DIVERSAS ÁREAS DA CIDADE O COMENTÁRIO É UNÂNIME: MARCÃO TEM TODO O PERFIL PARA NOS REPRESENTAR DE FORMA DIGNA E COM A COMPETÊNCIA E AUSTERIDADE COMO TEM NOS REPRESENTADO NO SEU MANDATO DE VEREADOR. MAIS UMA VEZ CONTE COMIGO E COM TODOS AQUELES QUE QUEREM E NECESSITAM DE UM POLÍTICO VERDADEIRO E HONESTO. VAMOS À LUTA.

  4. Abel

    Christiano e Aluysio, uso este espaço para reclamar do seu funcionário Alexandre Bastos que no seu blog boicotou descaradamente críticas que fiz ao Secretário de Obras e sua esposa, assim como o sr. Suledil. Sugiro que vejam o conteúdo das mensagens, não contendo nenhuma ofensa pessoal nem palavrões ou exageros. Censura pura e injustificada. Aliás, pra ser justo, a última mensagem contém uma ofensa a ele, Bastos, mas que é um desabafo pelo descaramento, e é óbvio não era pra ser publicada. Fica minha reclamação veemente.

  5. Aluysio

    Caro Abel,

    Embora seja jornalista da Folha, a lida blogueira de Bastos não se prende, ou se submete, ao vínculo empregatício. Como provou recentemente o Gustavo Matheus, que manteve seu blog hospedado na Folha Online, mesmo após se desligar, por motivos pessoais, da redação do jornal, uma coisa não depende da outra. De qualquer maneira, em respeito a vc, como leitor, acabei de encaminhar, por telefone, sua reclamação aos Bastos, que goza de merecidas férias. Só não posso deixar de ressaltar que, embora respeite sua opinião, tenho muitos motivos para considerar Bastos um dos melhores jornalistas e blogueiros de Campos, funções que sempre exerceu com talento, zelo e fidelidade intransigente aos princípios democráticos, sobretudo em relação à participação do leitor.

    Abç e grato pela participação!

    Aluysio

  6. Abel

    Tá de férias mas as postagens continuam, menos as minhas, e várias. Quanto ao “zelo e fidelidade intransigente aos princípios democráticos”, me desculpe, mas nesse momento, pra mim, é uma tremenda balela. Mas respeito sua opinião, apesar de não concordar como uma letra.

  7. Aluysio

    Caro Abel,

    As postagens continuam, mas assinadas por outras pessoas, como pode constatar qualquer leitor que de fato o seja. E, com todo respeito, sua concordância, ou não, passa bem ao largo dos meus objetivos.

    Grato pela participação!

    Aluysio

  8. Abel

    “Concordância, ou não” faz parte da democracia, senão não tinha graça.

  9. Aluysio

    Caro Abel,

    Nisso estamos concordes.

    Grato pela colaboração!

    Aluysio

Deixe um comentário