Opiniões

FHC: “Qualquer tentativa de conversa seria tentar salvar o que não pode ser salvo”

FHC disse não ao pacto com Dilma
FHC disse não ao pacto com Dilma

 

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou nota neste sábado (7) em que rejeita a tese de promover um pacto pela governabilidade com aliados da presidente Dilma Rousseff (PT). No texto, o tucano diz que “qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo”.

A nota é uma resposta a reportagem publicada pelaFolha neste sábado que mostra que, assediado por governistas, o ex-presidente tem admitido a aliados a hipótese de uma aproximação com a presidente petista, na tentativa de ajudar a achar uma saída para as crises política e econômica.

Segundo a Folha apurou, FHC tem se reunido com interlocutores do Planalto e discutido os efeitos da Operação Lava Jato, que investiga o esquema de corrupção na Petrobras. Em sua resposta, FHC diz que “o momento não é para a busca de aproximações com o governo, mas sim com o povo. Este quer antes de mais nada que se passe a limpo o caso do Petrolão”.

O ex-presidente diz ainda que “cabe sim que as forças sociais, econômicas e políticas se organizem e dialoguem sobre como corrigir os desmandos do lulo-petismo que levaram o país à crise moral e a economia à recessão.”

Também em nota, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) chamou de “delírio sem qualquer fundamento na realidade” a tese de um acordo pela governabilidade de Dilma. “A condição para tirar o Brasil da crise é tirar o PT do poder”, disse.

Ele disse ainda que a oposição tem o dever de “travar um combate sem tréguas ao desastre ético e administrativo do lulo-dilmo-petismo para nos credenciarmos cada vez mais a derrotá-los nas ruas e no voto. Abraço de afogados? Estamos inequivocamente fora”, encerrou.

 

Publicado aqui, na folhadesaopaulo.com

 

Aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, confira a íntegra da nota do sociólogo e ex-presidente

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. Barriga jornalística revelada.

  2. Agora FHC desmente, mas fica a dúvida leia

    CONLUIO ESPÚRIO E PIZZA ASSANDO!
    (A VIGÊNCIA DO PACTO DE PRINCETON)

    HEITOR DE PAOLA

    07/03/2015

    Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, diz que Dilma Rousseff, encorajada por setores empresariais e financeiros, cogita a possibilidade de propor um pacto político ao PSDB, a fim de evitar o agravamento da crise econômica. O assunto foi discutido com dirigentes do PT, e Geraldo Alckmin, José Serra e Fernando Henrique Cardoso são vistos como interlocutores de um diálogo emergencial. Diz Mainardi: “A rigor, o PSDB já está no comando da economia, com Joaquim Levy. E, claro, não adianta nada. A única maneira de evitar o agravamento da crise econômica é cassar o mandato de Dilma Rousseff. Espera-se que seus “interlocutores” no PSDB saibam disso”.

    A mesma Folha ainda diz o seguinte: “Assediado por governistas, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem admitido a aliados a hipótese de uma aproximação com a presidente Dilma Rousseff em busca de uma saída para a crise política e econômica. Segundo a Folha apurou, FHC tem se reunido com petistas e interlocutores do Planalto e discutido os efeitos da Operação Lava Jato, que investiga o esquema de corrupção na Petrobras. A movimentação é acompanhada e avalizada por Dilma e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.
    O acordo depende, porém, da reação popular: “FHC já avisou, no entanto, que só se manifestará após o dia 15, quando estão programados protestos pelo impeachment da presidente”.

    A costura deste conluio espúrio já tinha pistas tão evidentes que dava para desconfiar.

    1. A atitude, ou falta de, Aécio Neves e Aluízio Nunes Ferreira, antes tão agressivos, sumiram! Cheguei várias vezes em meu programa na RADIOVOX (O Outro Lado da Notícia) a perguntar: “cadê Aécio?”, “cadê Aluízio?”. Sumiram, por quê? Agora está explicado: conluio se faz nas sombras, diferentemente se acordos ou coalizões legítimas. Lamento ter feito propaganda de Aécio e mesmo de ter votado nele, acreditando que estava livre dos Tucanos paulistas. Não estava e só posso pedir desculpas aos meus leitores e ouvintes – e a mim mesmo por ter sido tão burro!

    2. Os leitores do famoso “Tio Rei”, um canastrão Tucano travestido de jornalista, já vinham percebendo sua mudança – inicialmente lenta e gradual e depois súbita: após defender o impeachment de Dilma, passou a atacar o Juiz Moro, dizendo que não fazia sentido manter os empresários em cana, pois isto prejudicava a economia do País. Não o leio por considera-lo um canalha, um biltre a serviço (a soldo???) de FHC. Nas duas vezes anteriores em que o acusei ele foi de beicinho tremelicando se queixar ao papai: “Buaaá, aquele menino me bateu outra vez”! Embora para o público externo – seus acólitos fiéis que devem ler suas crônicas (?) verborreicas ajoelhados como se fossem novas encíclicas Papais – se mostre arrogante, altivo e onipotente afirmando que quem o ataca o faz por inveja de ser ele “o cronista mais lido do Brasil”. Não surpreende que o seja realmente, basta ver o estado de ignorância neste País. Dilma é eleita, Reinaldo é o mais lido! Procede. Agora seu biltre, não adianta se queixar nem ao Papa: são seus próprios fiéis que finalmente percebem sua canalhice!

    3. Outro canalha, Demétrio Magnoli, um descarado antissemita disfarçado de antissionista (ler A Esquerda Contemporânea e os Diretos Humanos) – nunca me enganou. E também, segundo me dizem e consta no site O Antagonista de Diogo Mainardi – este sim um jornalista sério de oposição, tanto que teve que se auto-exilar pela enorme perseguição sofrida ao invés de conseguir confortáveis empreguinhos na Veja ou n’o Globo – vem defendendo a “governabilidade” e a salvação da economia. Salvação com o PT? Só se for dos bandidos, arruaceiros e narcotraficantes do “exército do Stédile”!

    4. A estranha nomeação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. Com fama de “Chicago Boy”, liberal ortodoxo, não passa de um Soros/Armínio/Tucano Boy. Os verdadeiros “Chicago Boys”, alunos de Milton Friedman (aos que não conhecem sua obra recomendo enfaticamente Free to Choose, escrito em parceria com sua mulher Rose), foram aqueles que, chamados por Pinochet, salvaram a economia do Chile depois da devastação e estraçalhamento feito por Salvador Allende que fazia uso das mesmas políticas econômicas de Jango, Lula e Dilma. Levy começou mal e mostrou a que veio: aumento de impostos, necas de secar os gastos do governo – só aqueles à custa do povo trabalhador – nenhuma privatização – meta básica dos alunos de Friedman empregada por Pinochet e também por Reagan e Thatcher – aumento exponencial dos “preços administrados” (eufemismo para não dizer controlados) como combustíveis, luz, etc.

    5. O fato de os Tucanos também terem o rabo preso. FHC ainda não explicou como conseguiu a Emenda da reeleição que lhe permitiu um segundo mandato. Desconfio que tinha grana do George Soros, pois tão logo reeleito trocou o Presidente do Banco Central pelo Armínio Fraga, retirado do escritório de Soros para vir para cá. Além do que FHC é um grande defensor da liberação das drogas, tema no qual a Open Society tem se empenhado com afinco!

    Alguém ainda duvida do Pacto de Princeton ocorrido em 1993 entre os dois maiores pulhas do Brasil – FHC e Lula? Desculpe Lula, você é apenas o segundo, FHC é o maior de todos os canalhas já nascidos por aqui. Este Pacto foi denunciado pelo Professor Graça Wagner e publicado em meu livro O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial e amplamente divulgado no Mídia Sem Máscara. FHC jamais apoiou os candidatos de seu partido e foi o responsável pela eleição de Lula em 2002, evitou seu impeachment quando apareceu o mensalão e agora vem em socorro de Dilma. Falta algo?

    (Recomendo ouvir meu programa de 06/03 na RADIOVOX, na capa do meu site ou no site da rádio).

    http://bit.ly/1HgD0kx

  3. Esse cara é falso. O problema aqui é que 99,9% dos brasileiros não sabem e nem ouviram falar do tal PACTO DE PRINCETON E DIÁLOGO INTERAMERICANO. Até que FHC explique isso, que em consequência deu origem ao FORO DE SÃO PAULO, considero esse sujeito e seu partido como irmão siamês do PT. Não estranharia nem um pouco se o PSDB passasse a contribuir com esse desgoverno petista. Explique aí FHC.

Deixe uma resposta

Fechar Menu