Opiniões

“O problema é com Dilma, eleita pelo voto popular”

Aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, o poeta, dramaturgo e professor Adriano Moura, teve a coragem de assumir a defesa do governo Dilma Rousseff (PT), questionando os motivos e as maneiras pelos quais a presidente e seu partido vêm sendo frontalmente questionados em boa parte do território brasileiro. Até porque de um lado e do outro também, há sempre a possibilidade de se estar (parcial ou completamente) equivocado, o contraditório só faz bem à democracia. Não por outro motivo, este “Opiniões” pede licença para reproduzir abaixo:

 

Adriano Moura (perfil de Facebook)
Adriano Moura (perfil de Facebook)

Ontem procurei a lista dos investigados (aqui). Não vi o nome da Dilma (aqui), que se transformou na única responsável pelos problemas dessa pátria amada e idolatrada salve salve. Mas tinha o nome de Aécio Neves (aqui), o que, para os que “não aguentam mais a corrupção”, salvaria o Brasil da sanha comunista que ameaça a família e a propriedade… privada. To esperando um panelaço (aqui) e uma passeata contra esses nomes. Ah, esqueci que o problema não é bem a corrupção, praga que nos persegue desde o encontro de Cabral com os índios. O problema é com a Dilma, eleita pelo voto popular (aqui). Vejo muito mais oportunismo de quem não se conformou ainda com o resultado das eleições 2014 do que a vontade de construir um país decente. Pra isso é preciso muito mais do que o impeachment de um presidente, pois já fizemos um com liderança de um “cara pintada” que também está sendo investigado (aqui). Pra acabar com a corrupção precisamos de uma tomada de vergonha na cara generalizada, não de oportunismo. Ah…e se vivêssemos mesmo numa ditadura de esquerda kkkkk (só rindo) , ninguém xingaria a presidente de “vaca” e ficaria por isso mesmo. Prova de que parte da nossa “elite” mestiça (aqui) (por mais que ela se ache branca), além de desinformada é mal educada, não entende a diferença entre um ato político de protesto e pirracinha porque foi contrariada pela terceira vez numa eleição. Boa terça – feira!

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 10 comentários

  1. Fessô, deixa disso! Ninguém aguenta mais tanta sacanagem com o povo…

  2. O problema é a cara de pau de Dilma… eee Brasil…

  3. (Trecho excluído pela moderação). O Brasil nunca avançou tanto em todas as áreas. E os exemplos estão em toda a parte. (Trecho excluído pela moderação). Não concordo com tudo que o governo faz, mas daí a apoiar um golpe a democracia, vai uma distância muito grande. A eleição acabou e a oposição perdeu. Aceitem que dói menos. Quem sabe em 2018. Há, já estava me esquecendo, pena, que em 2018 teremos Lula novamente! SOU DILMA E NÃO ABRO!!!

  4. Como assim? Sacanagem foi torturar e matar na época da ditadura militar. Sacanagem foi desaparecerem com os corpos dos presos políticos assassinados (e até cremarem alguns nos fornos de usinas em Campos). Sacanagem foi usar “pau-de-arara” para torturar homens, mulheres, jovens ou não (e até um bebê, pasmem!), por lutarem por um país livre. Sacanagem foi ter visto a fome matando milhares no Nordeste enquanto o restante do país fechava os olhos a isso.

    Trabalho escravo? Foi (e ainda é, porque continua existindo) uma tremenda sacanagem. Exploração do trabalhador? Outra sacanagem. E o que dizer do trabalho infantil e da exploração sexual de menores? Vixe, quanta sacanagem, não é? Poderia ficar o dia inteiro aqui discorrendo sob, mas isso seria uma sacanagem.

  5. Reenviando o comentário porque o primeiro saiu com problemas.

    Como assim? Sacanagem foi torturar e matar na época da ditadura militar. Sacanagem foi desaparecerem com os corpos dos presos políticos assassinados (e até cremarem alguns nos fornos de usinas em Campos).

    Sacanagem foi usar pau-de-arara para torturar homens, mulheres, jovens ou não, por lutarem por um país livre.

    Sacanagem é ter visto a fome matando milhares no Nordeste e fechar os olhos a isso.

    Trabalho escravo? Foi (e ainda é, porque continua existindo) uma tremenda sacanagem. Exploração do trabalhador? Outra sacanagem. E o que dizer do trabalho infantil e da exploração sexual de menores? Vixe, quanta sacanagem, não é?

    É tanta sacanagem que eu poderia levar o dia inteiro aqui, discorrendo sobre elas. Mas parece que legal mesmo é fingir que nada disso existe ou existiu…

  6. SOBRE O “FORA DILMA”
    Seria mais honesto se assumissem o ódio que sentem pela ascensão dos mais pobres…

    Seria mais honroso, admitirem que querem os aeroportos e shoppings vazios e só para eles…

    Seria mais digno mostrarem que são elite e que não querem ver nenhum pobre em seus redutos fazerem outra coisa que não seja lhes servir pelo menor preço possível ou quem sabe apenas por um prato de comida…

    Deveriam mostrar que estão insatisfeitos ao verem tanta “gente inferior” frequentando a Universidade…

    Seria coerente, mostrar que sua luta de classe é para se manterem “classe superior” e “exclusiva”…

    Deveriam admitir que o desemprego é o que lhes garante mão de obra explorada e barata, por isso de forma velada, defendem o aumento dele…

    Para alguns, o pobre nunca deveria ter saído de sua zona de (des)conforto, pois, a afronta é grande demais para os que se sentem elite e iluminados, num mundo onde a desigualdade permeia…

  7. Caro Flávio Mussa Tavares,

    Se honestamente acredita nisso, creio que o Ricardo Noblat escreveu justamente para quem ainda pensa (ou diz pensar) como vc, exatas sete postagens acima.

    Abç e grato pela chance da lembrança!

    Aluysio

  8. vamos parar de tergiversar as coisas. As reclamações são pelo péssimo desempenho do primeiro governo da Dilma, pelas mentiras ditas antes das eleições, tudo o que estamos passando agora é consequência da incompetência da Dilma. Não é pra tirar ela, que o PT e ela assumam de fato a responsabilidade pela péssima gestão. É mediocridade fazer o confronto entre ricos e pobres.

  9. O motorista dirige mal? Matem o dono da empresa! A água do rio Paraíba está poluída? Prendam o Presidente da antiga CEDAE! Seu condomínio aumentou? Joguem o síndico pela janela do último andar e culpem o porteiro! Eu fico assustado com a falta de vergonha, de decência, de educação, e de sentido lógico em algumas atitudes de pessoas que se dizem revoltadas com a Dilma. Lembrei-me da galera do “crucifica-o! Crucifica-o!”, pedindo a libertação de um bandido (o tal Barrabás). Fico assustado quando não posso ir ao estádio torcer pelo meu time, pois é capaz do meu vizinho me agredir sem perceber, simplesmente por ser torcedor do time rival. Fico assustado quando o campo do Americano é vendido para dar lugar a edifícios e ninguém se mexe em nenhuma manifestação de repúdio a especulação imobiliária. Fico assustado quando o talento é substituído por BBB’s, teste de fidelidade ou qualquer coisa by nigth. Fico assustado com panelaços durante um programa gravado na televisão (quanta burrice), manifestantes destruindo lojas e alegando liberdade de expressão, pessoas me mandando voltar pra Cuba (se fosse Cubano talvez pensasse nisso), pelo simples direito de votar em quem eu quiser,de salários defasados, professores desprestigiados (desde sempre)… não dá pra confiar nem no antidopping!!! Mas falar da Dilma sem antes falar de si mesmo, pra mim, fica uma conversa meio “de um lado só”. Lembrei-me de José Cisneiros, diretor de teatro de Campos, falando comigo e Adriana Medeiros sobre atitudes: “limpa teu quintal antes de reclamar da rua”. Que os ladrões sejam presos… que os corruptos paguem por seus pecados… que o dinheiro surrupiado seja devolvido aos cofres públicos… e que a democracia seja respeitada.
    Esse é o meu desejo.

  10. Caro Tonin Ferreira,

    Prazer tê-lo aqui! Sim, a democracia tem que ser sempre respeitada, mas desde que observadas duas das suas próprias ressalvas. A primeira: que os ladrões sejam presos, consequentemente apeados dos cargos públicos que eventualmente ocupem e/ou impossibilitados de novamente ocupá-los, segundo reza a lei. A segunda, só para constar, é que o fato de você ter direito de votar em quem quiser não é diferente daqueles que, no exercício democrático do mesmo direito, escolheram há dois mil anos salvar a vida de um bandido: “o tal Barrabás”.

    Abç e grato pela chance do debate!

    Aluysio

Deixe uma resposta

Fechar Menu