Opiniões

Jornalismo de Campos — Vitória de ontem foi da “catiguria”

Zidane 2006

 

 

Ontem, no dia do jornalista, a Associação de Imprensa Campista (AIC) soltou aqui uma nota. Após o óbvio da parabenização pela data, a AIC passou a tratar de assuntos nacionais e estaduais nos quais sua relevância é a mesma, por exemplo, do interesse que a Câmara Federal ou o governo estadual Luiz Fernando Pezão (PMDB) poderiam ter, respectivamente, em projetos como o Campistana junto à Câmara Municipal de Campos, ou para emplacar o Festival Doces Palavras (FDP) com apoio do governo Rosinha Garotinho (PR).

Onde de fato pode fazer alguma diferença, a AIC afirmou que “se coloca em estado de alerta em relação à série recente de textos publicados pelo jornal ‘O Diário’, que questiona o conteúdo de críticas publicadas por blogueiros e jornalistas. A entidade está atenta ao fato de que a liberdade que tem o veículo para levantar o tema não pode se confundir com qualquer sinalização de intimidação judicial e coerção a vozes contrárias aos interesses político-editoriais do jornal”. Certo que quem pretender utilizar qualquer tipo de mídia para prática deliberada de ofensas pessoais, se exporá sempre a ser processado. E, até pelo efeito didático, deve mesmo ser condenado segundo o entendimento da Justiça, soberano num estado democrático de direito, como foi o caso local e recente de quem teve que “morrer” em mais de R$ 15,7 mil no pagamento de indenização por danos morais.

Todavia, esse nunca foi o caso do jornalista Ricardo André Vasconcelos, um dos exemplos mais éticos da mídia goitacá, seja em sua lida de 25 anos de jornalismo profissional em imprensa, rádio, televisão, secretaria municipal de Comunicação, além de como blogueiro e na democracia irrefreável das redes sociais. Ainda assim, por ter se colocado aqui contra a mesma ameaça dos lacaios dos donos do poder em Campos, conforme este blog registrou no dia seguinte aqui e aqui, Ricardo se viu alvo de um enxurrada de ameaças pessoais, como ele próprio teve o espírito democrático de registrar aqui. Como a este “Opiniões”, na defesa de um jornalista em sua defesa do jornalismo, a única e valorosa adesão até agora havia sido (aqui) a do colunista e blogueiro Murillo Dieguez, menos mal que nove dias depois do fato inicial, a AIC, antes tarde do que nunca, tenha se posicionado.

Só não revelou se foi cobrada a fazê-lo; tampouco por quem. E nem é necessário…

Noves fora o jogo para a galera, entre independentes, empregados, patronais e até os servidores da máquina lenta e dispendiosa do Estado, a vitória no dia de ontem foi da catiguria.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 6 comentários

  1. E aquele patota que Ricardo Andre sempre defendeu: Sergio Mendes, Jane Nunes, Fernando Leite? Porque não se posicionaram? Vergonha!!..

  2. Quem teve que pagar indenização de mais de 15 mil reais por danos morais? Não vai me dizer que foi aquele blogueiro que recebeu selo de “qualidade” do jornal de Garotinho na mesma série de “matérias”?

  3. Desde a formação no Curso de Jornalismo, que conheço a vocação e o talento do jornalista Ricardo André Vasconcelos e sua inquestionável idoneidade e respeito à Ética e correto profissionalismo.

    A impressão que eu tenho, é que na atualidade há uma tendência à “regulação” da liberdade de imprensa, e isto parte diretamente dos políticos, desde a mais alta “cúpula” até o mais modesto município. O curioso, é que isto ocorre sob a égide da Democracia!

    Ainda ontem, a Presidente Dilma Rousseff, embora abordasse a “defesa da liberdade de expressão”, abriu ‘brechas’ nos seus comentários que podem obstruir qualquer divulgação que julgue ‘negativa’. Considerando o momento político crítico que a mesma atravessa e ao mesmo tempo atinge o ex-presidente Lula que vê ameaçada sua candidatura novamente, tudo poderá acontecer num futuro não muito distante.

    No nosso governo local, considerando que o povo está cada vez mais consciente e insatisfeito, o desespero bate forte naqueles que acharam que “o Poder é eterno”.

    Por acaso, hoje, estive por um longo tempo na vistoria do Shopping Estrada. Fiquei impressionado porque as pessoas, de modo geral, só conversavam sobre Política e Economia, tanto a questão nacional, quanto local. O que ouvi, superou completamente qualquer pensamento que eu mantive até então: __A voz geral é de absoluta rejeição com os políticos aqui da planície, mas com conteúdo, com discurso, não mais o “discurso vazio”, mas sim bem fundamentado.

  4. Cara Silvia,

    Sérgio Mendes reproduziu o artigo de Murillo no blog “Estou procurando o que fazer”, mesmo no qual Jane Nunes, atacada junto com Ricardo, tb republicou a nota da AIC. Poderia ter sido mais e de pena própria, é verdade, mas pelo menos foi algo.

    Abç e grato pela chance do debate!

    Aluysio

  5. Parei de frequentar a AIC a partir do momento em que de lá partiu um abaixo-assinado para… regulação da mídia.

    Não é irônico?

  6. Essa prefeitura cada vez envergonha a cidade. É o sujeito ter um pouco de lucidez e saber escrever que se torna inimigo deles. Eles somente admiram os ignorantes e subservientes.

Deixe uma resposta

Fechar Menu