Opiniões

Petrolão, “A Origem” — PF prende ex-petista André Vargas e mais dois ex-deputados

Da esquerda para a direita os ex-deputados André Vargas (ex-Pt, atualmente sem partido), Pedro Corrêa (PP-PE) e Luiz Argôlo (SD-BA) (Montagem: Estadão)
Da esquerda para a direita os ex-deputados André Vargas (ex-Pt, atualmente sem partido), Pedro Corrêa (PP-PE) e Luiz Argôlo (SD-BA) (Montagem: Estadão)

 

 

Por Fausto Macedo, Ricardo Brandt, Fábio Fabrini e Mateus Coutinho

 

O ex-deputado André Vargas (ex-PT, atualmente sem partido) foi preso nesta sexta-feira, 10, em Londrina  (PR) na nova etapa da operação Lava Jato denominada “A Origem”, deflagrada nesta manhã. Também foram preso os ex-deputados Luiz Argôlo (SD-BA) e o ex-parlamentar já condenado no mensalão e atualmente cumprindo pena no regime semiaberto, Pedro Corrêa (PP-PE). O nome da operação faz referência às investigações dos ex-parlamentares, cujo envolvimento com o esquema do doleiro Alberto Youssef foi descoberto nas primeiras etapas da operação, no ano passado.

Ao todo, cerca de 80 Policiais Federais cumprem 32 mandados judiciais: sete mandados de prisão, nove mandados de condução coercitiva e 16 mandados de busca e apreensão nos Estados do Paraná, Bahia, Ceará,  Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal. Os ex-parlamentares são os três primeiros políticos a serem presos na operação.

Nesta etapa, estão sendo investigados os crimes  de organização criminosa, formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva, fraude em licitações, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e tráfico de influência envolvendo três grupos dos ex-deputados. A investigação vai além da Petrobrás  e também abrange desvios de recursos ocorridos em outros órgãos públicos federais. Também foram detidos Leon Vargas, irmão do ex-deputado André Vargas, Eliá Santos da Hora, secretária de Argôlo, e um publicitário, identificado como Ricardo Hoffmann. O outro preso, identificado como Ivan Mernon da Silva Torres, é apontado como laranja de Corrêa.

Os presos serão trazidos para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR onde permanecerão à disposição da Justiça Federal. Como perderam a prerrogativa de foro, o caso dos ex-parlamentares está sendo investigado pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato.

 

 

Polícia Federal cumpre mandados na nova etapa da Lava Jato (foto: Divulgação)
Polícia Federal cumpre mandados na nova etapa da Lava Jato (foto: Divulgação)

 

Ex-deputados. No caso de Vargas, a relação entre o ex-parlamentar e o doleiro Alberto Youssef, um dos principais alvos da operação e acusado de liderar um esquema de lavagem de dinheiro internacional, veio a tona desde o começo das investigações.  A PF interceptou contatos entre o doleiro e o deputado – 270 mensagens de texto trocadas pelo aparelho BlackBerry, entre 19 de setembro de 2013 e 12 de março de 2014.

A suspeita é de que Vargas trabalhava em favor da rede articulada pelo doleiro, tendo inclusive feito lobby para o laboratório Labogen, de Leonardo Meirelles outro réu da Lava Jato, no Ministério da Saúde. O caso deu origem a um inquérito específico na Justiça Federal no Paraná. Além disso, o parlamentar chegou a viajar de férias  com a família em um jatinho fretado pelo doleiro em 2013.

Seu envolvimento com o doleiro levou Vargas a ter o mandato cassado em dezembro do ano passado e também ser expulso do PT.

Já Luiz Argôlo, segundo afirmou Alberto Youssef em sua delação premiada, teria recebido emprestado um helicóptero do doleiro para sua campanha eleitoral de 2014. Na época, Argôlo foi candidato a deputado federal. Ele teve 63.649 votos e tornou-se suplente.

Segundo Youssef,  o ex-parlamentar comprou a aeronave em 2012, mas não teve dinheiro para quitar as prestações. O político teria pedido dinheiro emprestado ao doleiro para fazer os pagamentos. Youssef contou à Polícia Federal que não aceitou e fez uma contraproposta.

À PF, o doleiro informou também que “João (Luiz) Argôlo fazia parte do rol de parlamentares do PP que recebia repasses mensais a partir dos contratos da Diretoria de Abastecimento da Petrobrás”. Argôlo deixou o PP no fim de 2013 e transferiu-se para o Solidariedade. Interceptações telefônicas da PF apontam também que o ex-deputado teria recebido propina de R$ 400 mil da OAS por meio de Youssef.

O ex-deputado Pedro Corrêa, por sua vez, foi condenado a sete anos e dois meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no mensalão e vinha cumprindo pena no regime semiaberto no Centro de Ressocialização do Agreste, a 210 km de Recife (PE).

 

Publicado aqui, no Blog do Fausto Macedo

 

Atualização às 9h19: Sete minutos antes deste “Opiniões”, o Blog do Arnaldo Neto foi o primeiro da blogosfera local a repercutir a notícia

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Para o PT mentir é questão de honra’, diz Felipe Moura Brasil

    O colunista de VEJA analisa o discurso do tesoureiro do PT João Vaccari Neto na CPI da Petrobras. Segundo Felipe, “Vaccari inovou no sistema de distribuição de dinheiro sujo”. Ainda sobre a CPI, o historiador Marco Antonio Villa afirma: “grande parte do depoimento era recheado de inverdades”. Já Lauro Jardim, do Radar On-line, diz que manifestações contra o governo podem ser um erro estratégico do PSDB. Segundo o colunista, não houve um fato novo realmente contundente desde a última manifestação que empurre as pessoas para rua novamente no próximo domingo. Em entrevista a TVEJA, a jovem que se tornou símbolo da oposição ao populismo, Gloria Alvarez, fala sobre divisão “povo e anti-povo”. Assista.

    http://veja.abril.com.br/multimidia/video/giro-veja-02

  2. A HORA E O LOCAL DOS PROTESTOS DO DIA 12 DE ABRIL EM 392 CIDADES DO BRASIL E DO MUNDO

    RIO DE JANEIRO:

    Barra Mansa – 9h – Praça Matriz no Centro
    Cabo Frio – 14h – Praça das Aguas
    Campos dos Goytacazes – 15h – Jardim do Liceu
    Itaguai – 10h30 – Calçadão
    Macaé – 9h30 – Igreja Nossa Sra. Da Glória
    Niteroi – 9h30 – Praia de Icaraí em frente a Reitoria da UFF
    Nova Friburgo – 16h – Centro de Turismo
    Petrópolis – 15h – Praça Don Pedro (no centro)
    Resende – 13h30 – Rua Alfredo Whately , (calçadão) em frente à loja PLAYBOY.
    Rio de Janeiro – 11h – Orla de Copacabana, Posto 5
    Teresópolis – 14h – Parque Regadas
    Volta Redonda – 9h30 – Praça Brasil

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-hora-e-o-local-dos-protestos-do-dia-12-de-abril-em-392-cidades-do-brasil-e-do-mundo/

  3. Vamos protestar também sobre a LISTA DE FURNA do Aécio?

  4. Vamos protestar também sobre a LISTA DE FURNAS do Aécio?

Deixe uma resposta

Fechar Menu