Kapi entre sílabas

Fernando Leite
Poeta Fernando Leite

 

 

O DESTINO DOS POETAS

(Fernando Leite Fernandes)

Kapi,

carpiste a Poesia
como poucos,
como os loucos,
que à tua semelhança
não pisam a pele do chão.
Levitam, gravitam,
é gente feita de sol.
És da legião das letras
dos que são únicos e plurais,
doidivanas e samurais,
pós modernos e ancestrais,
tudo e um pouco mais.
Para onde fostes?
Para a pátria dos poetas universais,
Pasárgada, talvez.
Imagino-te explicando a Garcia Lorca
com tua fluência verbal caudalosa
como se faz poesia com verso torto
na língua de Guimarães Rosa.

Ave, Kapi!

 

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário