Poema do domingo — Escorrido entre as pernas de um rio fêmea

Já tive minhas diferenças, algumas até públicas, com o Fernando Leite. Todavia, isso para mim nunca nublou o fato de se tratar de um grande poeta, dono de capacidade imagética talvez sem par entre os versejadores viventes nesta planície cortada pelo Paraíba do Sul. Sobre o passado conflituoso, à parte a admiração inevitável entre escribas dotados de algum talento, penso que felizmente acabou por prevalecer, para um e o outro também, o juízo dos versos de Lamartine Babo (1904/63) em “Serra da Boa Esperança”, pérola do cancioneiro nacional muito menos conhecida do que merecia: “Sei que Jesus não castiga/ Um poeta que erra”.

Abaixo, a mais nova cria do Fernando, escorrida entre as pernas de um rio fêmea que o poeta fidelense descido a Campos um dia escreveu correr castanho em seus olhos:

 

(Foto de Leonardo Berenger)
(Foto de Leonardo Berenger)

 

 

CURVA DA LAPA

 

O rio Paraíba do Sul é feminino.

Só isso explica

aquele dorso sinuoso,

sensual

da mulher que desperta

do sono preguiçoso

da tarde,

enquanto lava

seus cabelos

na bacia do Pontal

 

 

 

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 5 comentários

  1. nino bellieny

    FL Descreve bem o RP,parece-nos, que ao descer para Campos, veio de barco, pegando uma das partes mais belas, exatamente entre São Fidélis e São João da Barra. De barco, amou o feminino rio e escreveu de um bote só, o poema revelado por você, aqui, Aluysio. Não conhecia. Muito Bom!

  2. Fernando Leite

    Caro Aluysio, repito, publicamente, o que já disse pelo in box, “obrigado pela gentileza e por dar ao modesto poeminha, tamanha vitrine”.. Aproveito para agradecer ao Nino pelas connsiderações generosas. abraços

  3. Aluysio

    Caro Fernando,

    Repito, publicamente, o que já disse inbox: “Um poema que se encerra com os cabelos lavados no Pontal, não é modesto, tampouco pretensioso. Apenas é!”

    Abç e grato pela comentário de autógrafo à postagem!

    Aluysio

    P.S. Bela analogia entre o poeta e o rio, Nino!

  4. Artur Gomes

    Bravíssimo, parabéns Aluysio, e ao Fernando Leite o aplauso merecido por este belíssimo poema.

  5. Aluysio

    Caro Artur,

    Valeu, brother! Mas o crédito é todo da poesia do Fernando.

    Abç fraterno!

    Aluysio

Deixe um comentário