Opiniões

Crítica de cinema — Mostra Cenário Socioambiental: Cinema propondo reflexão

Colyseu

 

 

Mostra Baldan em Macaé 26 a 28-05-15

 

Mateusinho 5O cinema socioambiental contemporâneo cumpre um papel importante nos ecossistemas midiáticos. Num cenário de luta por representações sociais, atua como oportunizador de exibição de filmes comunitários que espelham demandas sociais que não encontram espaço nas salas comerciais e nas grandes mídias.

Na VIII Feira  de Responsabilidade Social Empresarial — Bacia de Campos, de 26 a 28 de maio em Macaé/RJ, ocorrerá a  6ª edição da Mostra Cenário Socioambiental que é uma plataforma de informação e conhecimento que discute questões socioambientais importantes a partir de produções audiovisuais. Oportunidade de assistir aos filmes e um espaço para promover o debate e a reflexão sobre questões do nosso dia a dia como crise hídrica, resíduos sólidos e os problemas causados pela contaminação por descarte inadequado, cultura e direito dos povos tradicionais, consumismo e o processo de urbanização das cidades. Temas de grande importância na formação dos jovens, mais facilmente acessíveis por meio do audiovisual. Aproveita a oportunidade para divulgar a lei nº13.006/2014 – utilização, 2h/mês no mínimo,  de produção audiovisual nacional como ferramenta pedagógica nas escolas de educação básica das redes públicas e privadas.

Na Mostra Infantil,14h às 17h, curtas como “Meu amigo Nietzsche” sobre empoderamento pela leitura, “Balãozinho Azul” que, inspirado em  “Le Ballon Rouge” (1956) de Albert Lamorisse, aborda a questão do trabalho infantil e “Pajerama” que trata do avanço urbano sobre áreas  indígenas.

A partir das 17h serão exibidos médias e longas metragens. Entre eles: “Água e Cooperação — Reflexões para um novo tempo”, dirigido por João Amorim, propõe um olhar transdisciplinar para a água que sinalize caminhos para uma relação mais cooperativa e sustentável para este elemento que é base para toda a vida em nosso planeta. O filme ainda conta com músicas de Seu Jorge, Gilberto Gil, Karina Zeviani, Os Mocambo e Bené Fontelles. Como entrevistados: Leonardo Boff, Vandana Shiva, Amit Goswami, Benke Ashaninka, Dr. Vicente Andreu, Maria Alice Campos Freire, Ernst Götsch, Vera Catalão, Bené Fontéles, Masaru Emoto, Prem Baba, Nelton Friedrich, Jeanitto Gentilini entre outros. “Índio cidadão?”, com direção de Rodrigo Siqueira, realiza um paralelo entre as mobilizações indígenas na época da última Assembleia Constituinte e as de 2013, e apresenta depoimentos de várias lideranças indígenas, como o cacique Raoni Metuktire, Sônia Guajajara, Ailton Krenak, Davi Yanomami, Álvaro Tukano e Valdelice Veron, que testemunhou o assassinato do pai, cacique Marcos Veron, durante o processo de retomada de sua terra Tekoha Takuara em 2003. “Tarja branca” de Cacau Rhoden, discorre sobre a pluralidade do ato de brincar. Por meio de reflexões, o filme mostra as diferentes formas de como a brincadeira, ação tão primordial à natureza humana, pode estar interligada com o comportamento do homem contemporâneo e seu “espírito lúdico”. O título do filme, “Tarja branca”, é uma ironia aos remédios denominados “tarja preta”. O “tarja branca” representa um efeito mais natural, colocando a pessoa em contato com sua criança interior e aceitação de sua presença na vida adulta.

Também serão exibidas produções regionais realizadas a partir de projetos universitários: “Atafona em Ruínas” de Frederico Alvim (São João da Barra) e “Os bamba” de Rafael Costa e Juliette Yu-Ming (Macaé).

A Mostra Cenário Socioambiental é o cinema propondo reflexão para maior conscientização da população dos municípios da Bacia de Campos.

Até lá!

 

Mateusinho viu

 

Publicado hoje na Folha Dois

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu