Opiniões

Cerimônia de adeus ao projeto do PT?

Nestes primeiros momentos após a condução do ex-presidente Lula (PT) e seu filho mais velho, por força coercitiva da Polícia Federal (PF), para prestarem depoimento, duas análises se destacaram pela exposição didática e desapaixonada sobre as muitas implicações criminais, políticas, econômicas e sociais dos fatos que se sucederam no dia de hoje e continuarão a se desenrolar os próximos. Não por coincidência, são dois artigos que enriquecem aqui e aqui a opinião do Estadão, jornal que tem andado quase sempre à frente no noticiário da Lava-Jato.

Confira e tire suas próprias conclusões da interpretação do hoje e a projeção preocupante dos amanhãs pelas experientes jornalistas Dora Kramer e Eliane Catanhêde. Até pela gravidade da situação, ambas as leituras são necessárias:

 

 

O ex presidente Lula chegando na manhã de hoje para prestar depoimento na sede da Policia Federal no Bairro do Lapa (foto de Marcio Fernandes - Estadão)
O ex presidente Lula chegando na manhã de hoje para prestar depoimento na sede da Policia Federal no Bairro do Lapa (foto de Marcio Fernandes – Estadão)

 

 

Jornalista Dora Kramer
Jornalista Dora Kramer

Cerimônia do adeus

Por Dora Kramer

 

Quando as investigações da Lava Jato alcançam o ex-presidente Luiz Inácio da Silva, atingem de maneira grave e irreversível a presidente Dilma Rousseff, cujo governo está morto. Não tem credibilidade nem reúne condições de governabilidade suficientes para se recuperar. Seu esteio político se verga ante a força dos fatos, anunciando que, para o PT, acabou-se o que já foi extremamente doce.

Restava ao partido a vã esperança de que Lula da Silva pudesse dar uma volta por cima ao molde daquela de 2005, no mensalão. Hoje resta ao governo ver se haverá um enterro ou se a situação levará a um longo culto desse cadáver insepulto. É tudo muito diferente: Lula não é presidente, não tem foro especial, sua popularidade despenca.

Além disso, a economia está aos frangalhos, a oposição já não se dispõe a fazer acertos com o governo, os resultados das investigações já conhecidos não permitam que se dê o dito pelo não dito. Essa pasta de dente, enfim, não tem como voltar ao tubo.

O tom dos procuradores na Lava Jato na entrevista sobre a nova fase da operação não deixa dúvida: são consistentes e contundentes os indícios de que o ex-presidente valeu-se do cargo para se locupletar, faltando apenas provas de que a organização criminosa montada para fazer dos cofres públicos fonte de financiamento do PT era comandada direta e objetivamente por ele.

Na palavra dos investigadores, tendo ou não o domínio dos fatos Lula foi o principal beneficiário do esquema de corrupção posto em prática ao tempo em que ele era mandatário do País e sobre o qual não deixa de ter responsabilidade funcional a presidente Dilma, uma vez que os ilícitos prosseguiram na gestão dela. Embora não seja (ainda?) investigada, a presidente é beneficiada por aquilo que os procuradores definiram com toda clareza como um sistema montado para comprar apoio político ao governo.

 

 

Manifestantes pró e contra Lula se enfrentaram hoje a socos nas ruas de São Paulo (foto de Pedro Kirilos - Agência O Globo)
Manifestantes pró e contra Lula se enfrentaram hoje a socos nas ruas de São Paulo (foto de Pedro Kirilos – Agência O Globo)

 

 

Jornalista Eliane Catanhêde
Jornalista Eliane Catanhêde

É o fim do projeto do PT

Por Eliane Catanhêde

 

A sexta-feira, 4 de março de 2016, é um dia histórico e divide apaixonadamente a opinião pública do Brasil, onde Luiz Inácio Lula da Silva nasceu nos rincões áridos do Nordeste, cruzou o país continental num pau-de-arara, comeu o pão que o Diabo amassou, foi o maior líder sindicalista e virou o presidente da República mais popular em décadas. É um dia profundamente triste, mas é também um marco: ninguém, nem mesmo Lula, está acima da lei.

A condução coercitiva de Lula e de seu primogênito, Fábio Luiz, não foi nenhuma surpresa no mundo político, mas é daqueles fatos que todo mundo espera, mas, quando acontecem, são como uma explosão atômica. Com Lula depondo na Polícia Federal e acossado, junto com a presidente Dilma Rousseff, pela delação premiada do ex-líder do governo Delcídio Amaral, não há outra conclusão possível senão a óbvia: é o fim do projeto do PT, o fim de uma era.

Até por isso, a Justiça, o Ministério Público, a Polícia Federal e a Receita Federal cercaram-se de todos os cuidados. Há meses vinham dando indícios de que Lula seria preso, mas isso só ocorreria quando as provas fossem consistentes, inquestionáveis. “Não podemos morder o Lula. Quando chegarmos nele, é para engolir”, diziam os investigadores, ilustrando a consciência de que, deixar brechas de contestação, seria não apenas implodir a Lava Jato, mas também desmoralizar as instituições responsáveis.

Hoje, a Lava Jato engoliu Lula e, com ele, o projeto de eternização do PT no poder. De uma forma simples e direta, há provas de que havia uma triangulação criminosa: o dinheiro saía da Petrobrás, passava pelas empreiteiras e parte dele ia para o ex-presidente em forma de pagamentos dissimulados de palestras, viagens pelo mundo, o sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá. Lula, portanto, seria beneficiário dos desvios da maior companhia brasileira, hoje uma das maiores empresas mais endividadas do mundo. Sem falar na Operação Zelotes…

A condução coercitiva de Lula, a prisão do marqueteiro dele e de Dilma, a delação do ex-líder do governo sobre o envolvimento de Dilma na compra suspeitíssima da refinaria de Pasadena e na tentativa de manipular o Judiciário para soltar empreiteiros amigos… tudo isso configura um cerco a Lula e a Dilma que, apesar de dependerem visceralmente um do outro, entram na dolorosa fase do “salve-se quem puder” ou, de outra forma, “cada um por si”.

Como pano de fundo, a crise política e a economia. Por uma macabra coincidência, ou não, o resultado da economia em 2015 saiu no dia do vazamento da delação de Delcídio e na véspera da condução coercitiva de Lula e de seu filho. O Brasil teve uma recessão de 3,8% e ficou em 30º lugar entre 32 países pesquisados, só atrás da Venezuela, que quebrou, e da Ucrânia, que vem perdendo parte do seu território para a Rússia.

Tudo somado, Dilma está totalmente isolada em seus palácios, enquanto Lula se despe da roupagem do “Lulinha paz e amor” e conclama suas tropas para a guerra. A possibilidade de impeachment de Dilma é cada vez mais real e a próxima etapa de todo esse processo deve ocorrer nas ruas. Vêm aí as manifestações do dia 13 contra Dilma, Lula e o PT, mas, antes delas, já começam os confrontos. As bandeiras vermelhas, em minoria, vão tentar ganhar no grito — ou na pancadaria.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 6 comentários

  1. A máscara não caiu. Ela está sendo suprimida pela aplicação da lei. Ninguém burla a lei a vida toda. Os responsáveis por esta crise não estão acima das leis. O que estamos vendo é um grupo de servidores públicos fazendo uso da legislação competentemente para reprimir essa corrupção, essa apropriação indevida dos recursos públicos em benefício próprio. Justiça seja feita.

  2. Os dois textos foram precisos e cirurgicos!

  3. Quando o ‘rigor da lei ” e a “força da caneta “forem aplicadas sem distinção de “bandeiras “,estaremos à caminho da realização!

  4. TENHO QUE RESOLVER UM PROBLEMA ,DA COLETIVIDADE,? ME INDICARAM EDUARDO CUNHA,NÃO VAI DAR ,TA SENDO CASSADO COMO PRESIDENTE DA CAMÂRA,HAA,VOU FALAR COM A PRESIDÊNCIA DO SENADO,,IIIII,VAI DAR NÃO !,RENAM CALHEIROS TÁ SENDO INVESTIGADO.ENTÃO VOU FALAR COM O GOVERNADOR,HUMM,TAMBEM TÁ SENDO INVESTIGADO,JÁ SEI VOU FALAR COM DILMA,ÈTA,TÃO PEDINDO O CARGO DELA POR INOPERÂNCIA,JÁ SEI QUEM VAI RESOLVER O LULA,MELHOR NÃO É FORMADOR DE QUADRILHA’ ACABOU COM A FOME DO PARTIDO,E TEUS COMPANHEIROS,IIIIIIII ,CAIU A FICHA 1 É FORMAÇÃO DE QUADRILHA,NUM TÔ VENDO O MENTOR SARNEY,O SÓCIO COLOR,ELES TÃO AONDE FHC?,,MORAL DA HISTÒRIA,,EM PAÍS QUE SE ENTREGA AO ROUBO UNIDO,O SOFRIMENTO SERÁ DE TODOS,POBRES OU RICOS. ‘QUAL A TUA RESPONSABILIDADE NO CAOS?

  5. É UM PERIGO não só para o BRASIL,mais para AMERICA DO SUL ,,já que a esquerda é forte.

  6. O QUE APONTA ,É UMA GUERRA CIVIL,NA CASSAÇÃO DO PRESIDENTE COLLOR,,A GRANDE MAIORIA QUERIA ,HOJE NO MANDATO DA DILMA A VÁRIOS PROS E MUITOS CONTRA,UM PERIGO PARA O ESTADO DE DIREITO,MUITOS PAÍSES EM QUE TEUS HABITANTES FOGEM PARA EUROPA COMEÇOU ASSIM.

Deixe uma resposta

Fechar Menu