Demonizar quem foi às ruas para justificar, a si, apoio ainda dado ao governo

Antes tarde do que nunca, trecho da coluna publicada ontem, aqui, da jornalista Cora Rónai:

 

pequeno burguês

 

“Os governistas passaram o domingo e a segunda tentando desconstruir as manifestações. Das milhares de imagens produzidas ao longo do dia, pinçaram, com o entusiasmo de entomologistas cuidando de borboletas raras, as que recriavam o protesto de acordo com o que queriam ver — ou com o que queriam que fosse, uma espécie de marcha de ricos de anedota, egoístas e cafonas, eleitores do Bolsonaro e do Malafaia. Nas suas páginas, que escorrem ódio por todos os pixels, as maiores manifestações políticas da nossa História não passaram de uma espécie de micareta sinistra, protagonizada por analfabetos políticos manipulados pela direita radical, pelo FHC e, claro, pela imprensa golpista.

Coitados deles. Suponho que precisem demonizar quem foi às ruas para conseguir justificar, talvez até para si mesmos, o apoio que ainda dão ao governo

Ficou aparente nesses últimos dias, aliás, o ódio descomunal que, graças a Lula, essa esquerda de Facebook devota à classe média. Na falta de argumento mais forte para desmoralizar as manifestações, a presença maciça da classe média passou a ser o motivo principal do asco e do repúdio petistas. Como se não ser muito pobre (ou muito rico) fosse algum defeito de origem, uma espécie de pecado sem remissão — e como se não fossem, todos eles, tão fidalgos, membros dessa mesma classe que tanto desprezam”.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

Deixe um comentário