Feijó: “Acredito que teremos mais de 370 deputados a favor do impeachment”

Sem responder como votaria caso o pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer (PMDB) também chegue ao plenário da Câmara Federal, o deputado Paulo Feijó (PR) reafirmou sua prioridade: destituir Dilma e o PT do governo. Para tanto, ele chega a arriscar um palpite à votação de amanhã (17), encarada como final de Copa do Mundo para grande parte dos brasileiros: “teremos mais de 370 deputados a favor do impeachment”.  Ainda assim, Feijó teve uma mudança de voto plantada pelo secretário de Governo de Campos, Anthony Garotinho (PR), junto ao jornalista Fernando Molica, de O Dia, de quem exigiu e teve retratação. Embora veja em Eduardo Cunha (PMDB)  deficiência moral para comandar o processo impeachment, ele acredita que se “Dilma ficar, com certeza, a crise aumentará”.

 

Paulo Feijó (foto: divulgação)
Paulo Feijó (foto: divulgação)

 

 

Folha da Manhã – Por que ser a favor do impeachment de Dilma Rousseff?

Paulo Feijó – Por convicção. A presidenta cometeu crimes de responsabilidade e desrespeitou a lei orçamentária. Soma-se a tudo isso o histórico de mal feitos do PT, investigados pela Justiça Federal e pelo Ministério Público, que, ao longo dos últimos 13 anos, enganou o povo brasileiro, levando o país a esta mais grave crise econômica, política, moral e social das últimas décadas.

 

Folha – Se Dilma cair na Câmara, cai também a máscara de Lula enquanto articulador político, fracassado em seu empenho pessoal para tentar cooptar deputados contra o impeachment?

Feijó – Cairá não só a máscara de Lula, mas da Dilma e de todo o Partido dos Trabalhadores. Lula iniciou sua trajetória como o bom e experiente sindicalista, excelente negociador, que chegou à Presidência da República. Juntou o poder de presidente ao de excelente negociador. Buscou um projeto de perpetuação no poder, sem limites éticos e morais para alcançar seus objetivos. Como dizem os mais antigos… Um dia a casa cai, caiu e deu no que deu.

 

Folha – Caso seja encolhida à envergadura da Justiça comum, junto a Lula, acha que ela também passa a temer o rigor do juiz Sérgio Moro?

Feijó – Não só ele, como toda a cúpula do PT, pois, com a destituição da presidente Dilma, todos que ocupam cargos no primeiro escalão do governo perderão o foro privilegiado (STF) e serão julgados em Curitiba, 1ª instância.

 

Folha – Clarissa Garotinho, como você, anunciou (aqui) que votaria a favor do impeachment. Todavia, na madrugada de sexta, o jornalista Ricardo Noblat divulgou (aqui) que ela teria tirado uma licença maternidade de 120 dias, não 121 ou mais, que abriria vaga para seu suplente votar em seu lugar, após Garotinho ter negociado com o Palácio do Planalto, como a revista Época já havia adiantado (aqui). Outro jornalista, Lauro Jardim, revelou (aqui) o teor da conversa de Garotinho com a filha grávida de sete meses: “Tudo bem você votar a favor do impeachment. Mas no dia seguinte você tira o Garotinho do seu nome”. Qual sua opinião e o que sabe sobre o episódio? E se Garotinho pedir para você também se ausentar ou votar contra o impeachment?

Feijó – Pelo que sei, a Clarissa está na 35ª semana de gravidez, e realmente traz riscos para sua gestação. Viajar de avião traz riscos, segundo orientações médicas. Fora isso, não sei de mais nada. Em relação a Garotinho, ele não me pediria isso nunca (no início da noite de ontem, Garotinho passou a Fernando Molica, de O Dia, que havia conseguido negociar o voto de Feijó a favor de Dilma, sobre o que sequer chegaram a conversar, obrigando o deputado a ligar ao jornalista e exigir a retratação — confira a celeuma aqui). Meu voto já estava decidido há muito tempo. Só não externei, pois aguardava que o meu partido, o PR, fosse liberar a bancada para votar de acordo com suas convicções. Como isso não aconteceu, tomei a iniciativa no meu momento, de declarar o voto a favor do impeachment. Não abro mão de andar com minha cabeça erguida, tendo sempre o respeito das pessoas, meus amigos e eleitores.

 

Folha – Não considera imoral que um processo capital como um impeachment de uma presidente da República seja conduzido por alguém como Eduardo Cunha (PMDB)? Até quando ele continuará presidente da Câmara?

Feijó – Atrapalha muito sim, mas vamos resolver primeiro o impeachment da presidenta Dilma, depois o Conselho de Ética da Câmara, o Plenário da Câmara ou o Supremo Tribunal Federal resolverá os problemas do deputado Eduardo Cunha, totalmente desmoralizado e enrolado nas denúncias investigadas pela Justiça Federal.

 

Folha – Mesmo que o impeachment seja aprovado na Câmara, Dilma continua no cargo até a decisão do Senado, onde o presidente Renan Calheiros, ao contrário de Cunha, se mantém aliado do governo. Acredita que lá o processo possa ser revertido? Por quê?

Feijó – O presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros, também enfrenta os mesmos problemas na Justiça e está enrolado e desmoralizado. Ele não poderá retardar o processo, pelas implicações regimentais, força da maioria dos senadores e, principalmente, a força da opinião pública brasileira, que acompanha esse desenrolar com muita competência e zelo.

 

Folha – Caso Temer assuma, ele também enfrentará processo de impeachment, que o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou abertura na Câmara. Se ele também chegar à votação em plenário, como você votaria?

Feijó – Como já respondi anteriormente, vamos resolver primeiro a grande prioridade, destituir a presidenta Dilma e o PT do governo.

 

Folha – Além do impeachment na Câmara, tanto Dilma quanto Temer têm contas a acertar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde, em tese, parecem ser robustas as provas de que dinheiro desviado da Petrobras irrigou a campanha de ambos em 2014. Dá para sobreviver a esse bombardeio? Como?

Feijó – Sou de opinião que o mais justo para o Brasil seria realmente novas eleições, dando oportunidade ao eleitor de se manifestar, de decidir. Mas depende do TSE, o que demanda uma decisão mais demorada em função dos prazos jurídicos. Vamos resolver o que nos cabe: votar favoravelmente ao impeachment.

 

Folha – O discurso de Temer, acenando com as diretrizes do seu eventual governo, parece ter sido vazado de maneira intencional. Não foi um erro, como o de Fernando Henrique Cardoso em 1984, quando posou para foto na cadeira de prefeito de São Paulo, que por isso mesmo acabou ocupada por Jânio Quadros?

Feijó – Acredito que o vazamento foi uma estratégia do vice-presidente Temer, que até não ficou ruim não. Já está superado.

 

Folha – Foi também em 1984 a votação das “Diretas Já”, onde a emenda constitucional não foi reprovada por votos contrários (só 65, contra 268 a favor) na Câmara, mas pelo grande número de ausências (112). A tática da Ditadura Militar (1964/85) pode se repetir no domingo?

Feijó – Acredito que não. A pressão da opinião pública é muito forte. Deputado que não for votar, só com motivo extremamente convincente. Aproveito para palpitar. Acredito que teremos mais de 370 deputados a favor do impeachment.

 

Folha – Se Dilma ficar, como conseguirá reverter uma crise econômica que desemprega (aqui) 282 brasileiros a cada hora? Se Temer assumir, como enfrentar isso, mais a oposição cerrada do PT e dos movimentos sociais?

Feijó – Se a presidenta Dilma ficar, com certeza, a crise aumentará. Ela perdeu todas as condições de governar o Brasil. Neste momento, o Temer representa uma esperança para a grande maioria do povo brasileiro. Temer terá que fazer um governo de união nacional para encontrarmos o caminho da reconstrução, lógico, com a oposição do PT e seus seguidores. Não será fácil.

 

Folha – No link da postagem no blog (aqui) com o anúncio do seu voto, feito (aqui) nas redes sociais, houve quem aplaudisse, assim como quem lhe chamasse de “golpista”. Esse processo de impeachment é ou não um golpe? Por quê?

Feijó – Claro que não é golpe. Está sendo obedecida a Constituição Federal, o regimento interno da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, e o rito estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal. Só me chamam de golpista aqueles que não me conhecem. A maioria dos que me criticam são de outros estados e os radicais do PT. Em relação a meus amigos e eleitores, existe quase unanimidade, quase 100% a favor do impeachment.

 

Folha – Vendida como “revolução”, a derrubada de João Goulart pelos militares em 1964, com apoio da sociedade civil, é chamada de golpe. Ninguém usa a mesma classificação para o impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992. Caso se consume, como acha que a História vai se referir à deposição de Dilma Rousseff? 

Feijó – A história se lembrará da presidente Dilma como aquela que foi destituída por ter o seu governo envolvido em vários escândalos de corrupção, de ter mentido para o povo nas duas campanhas eleitorais e ter levado o país a uma grave crise econômica, política, moral e social, sem precedentes na história do país.

 

Página 5 da edição de hoje (16/04) da Folha da Manhã
Página 5 da edição de hoje (16/04) da Folha da Manhã

 

Publicado hoje (16/04) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 16 comentários

  1. Silvio Fontoura

    Parabéns ao Feijó pela entrevista. Sempre demonstrando coerência e equilíbrio. Seria um ótimo prefeito.

  2. jair roberto

    Agora Feijó é herói, será que já esquecemos o lance das ambulâncias? que povo esquecido.

  3. Leandro bento

    Nossa tanta falsidade, um deputado que sempre votou contra o trabalhador, uma pessoa que sobe ao palanque junto a Garotinho e apoiando Dilma e na hora da as costas, como acreditar em um político que oprime a classe trabalhadora, esse trabalha para a elite esse é seu público, o povo deve ter a clareza de quem esta o representando, esse apoia o Cunha, esse apoia o Temer são Traidores da pátria, que pensam somente no poder a qualquer custo. Povo acorda eles querem acabar com os direitos trabalhista e depois ficar dando de bonzinho! As pedaladas não é crime e se votarem a favor é (trecho excluído pela moderação) e disso que ela esta sendo julgada.

  4. jair roberto

    sempre achei que a folha fosse um jornal serio, mas estou vendo que não, pois é o segundo comentário que posto e não é aprovado.

    1. Aluysio

      Caro Jair,

      Em primeiro lugar, este blog não é a Folha. Em segundo, felizmente, tenho uma vida real fora da internet para tb me dedicar.

      Grato pela chance das ressalvas!

      Aluysio

  5. Leandro bento

    Quem é Patriota não voto no (trecho excluído pela moderação), saiba será lembrado como o golpista, o oportunista e o povo não irá perdoar, nem a jornais que apoiam esse golpe. Passada esse processo vamos reunificar esse país e boicotaremos os apoiadores do (trecho excluído pela moderação), hoje eles fazem isso amanha o que podem fazer com os brasileiros. Democracia é para ser vencida no voto popular, não de forma indireta, o povo não é bobo, a justiça e a imprensa jogam de um lado só. Se punisse todos estaria com a bandeira na mão, porém ela é tendenciosa, não sabemos os interesses obscuros por trás disso porém o povo não é bobo.

  6. LUIS

    FEIJÓ PARABENS PELA CORAGEM , A PARTIR DE HOJE TERÁ MEU VOTO SEMPRE

  7. Antonio Bernardes

    Esperamos que ao término dessa votação……. que o estado do rio se veja livre desse oportunista…… esse é um dos (trecho excluído pela moderação) dos politicos fluminense…

  8. Antonio Bernardes

    Esse FEIJÓ é um clássico exemplo dos (trecho excluído pela moderação) das politica….. peço que ele resposta porque votou a favor do FHC para reeleição…… para reativar (trecho excluído pela moderação)….

  9. Marcos Paulo

    Agora a pouco na tv camara ele, mr bean, falou que ia votar a favor do impeachment, mas como nao confio na palavra dele vou assistir amanha ao vivo o voto dele… eee Campos…

  10. Decio Barcelos

    Leandro, me perdoa mais qual e golpe , mentir para todo povo dizendo, que o pais tava bem ,, e esta ai , um pais detonado pelas pedaladas, mentirosas desta guerrilheira , (trecho excluído pela moderação), olha a Petrobras destruida ela era presidenta do conselho , ckmo o PT , nunca sabe de nada nao ver nada , ainda bota MST , Forcas sindicais , sendo pagos para ir para a rua, brigar , por uma quadrilha, ,se fosse relatar nais levaria a noute escrevendo, comissoes de obras das empresas que estao cada dia mais complicada, ainda falta a Andrade Gutierres, que tem meio PT , envolvido , nao se engane nem iluda os coitados duzendo , que vai acabar todas as vantagens, que levam.

  11. Decio Barcelos

    Quanto , a Feijo veremos na televisao , nao da para acreditar , nele.

  12. Roberto Vieira

    Feijó você nos representa!
    Obrigado por fazer me voto valer a pena!
    Essas pessoas que são a favor do desgoverno da Dilma devem ter sérios problemas mentais e pisiquiicos. O país está quebrado!
    Não acredito no PMDB e nem no Temer, mas temos que ter esperança.
    Grande abraço Deputado!
    Feijó prefeito!

  13. William jacob

    E as ambulâncias Feijó ? E a ferrovia de quem se serviu, como esta’ ? O senhor, com todo o respeito, não tem (trecho excluído pela moderação). Vcs surfaram na onda do PT e agora abandonaram o barco antes do capitão. Não passam de (trecho excluído pela moderação) ! No dia em que vcs tiverem a mesma aposentadoria e sistena de saude do povo,podemos acreditar. Até lá tchau !!!!

  14. William jacob

    O senhor, com todo o respeito, não tem (trecho excluído pela moderação). Vcs surfaram na onda do PT e agora abandonaram o barco antes do capitão. Não passam de (trecho excluído pela moderação) ! No dia em que vcs tiverem a mesma aposentadoria e sistena de saude do povo,podemos acreditar. Até lá tchau !!!!

  15. William jacob

    Feijó, vc reptesentaco pior de sua região. Parabéns pela sua atuação de surfista !!!!A ferrovia de quem vc se serviu também agradece. As ambulâncias também! !! Parabéns !!!!!!!

Deixe um comentário