Opiniões

Com oposição sob ameaça de divisão, Bacellar parte para dentro de Sérgio

Caio e Bacellar x Sérgio e Rafael (montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)
Caio, Bacellar, Sérgio e Rafael (montagem de Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

 

Em seu estilo combativo de sempre, hoje o ex-vereador Marcos Bacellar (PDT) respondeu aqui, na democracia irrefreável das redes sociais, à provocação velada feita ontem (aqui) pelo ex-prefeito Sérgio Mendes (PPS) à pré-candidatura de Caio Vianna (PDT) à Prefeitura de Campos.

Ainda ontem, o blog já havia registrado aqui a posição de Bacellar em defesa de Caio contra o ataque dos Garotinho. Bem como as provocações inominadas de Sérgio contra a situação da prefeita Rosinha Garotinho (PR) e a oposição representada pelo filho do ex-prefeito Arnaldo Vianna (PEN).

Enquanto Bacellar defende Caio, Sérgio é presidente do PPS, que tem no vereador Rafael Diniz seu pré-candidato a prefeito. Rafael e Caio selaram um pacto de não agressão em 10 de fevereiro, noticiado aqui, pelo jornalista Alexandre Bastos.

Passados mais de quatro meses e faltando pouco mais de três para a eleição, os dois jovens pré-candidatos de oposição, lideram a corrida em empate técnico com o vereador Tadeu Tô Contigo (PRB) e o vice-prefeito Chicão Oliveira (PR).

Conforme registrado aqui, na última pesquisa do instituto Pro4, em consulta estimulada, Caio ficou em primeiro, com 15,2%, seguido de Tadeu (13,4%), de Rafael (11,3%) e de Chicão (8,4%). A margem de erro é de 3,9% para mais ou para menos.

Dentro dessa disputa voto a voto, fontes dão conta de que o acordo entre Caio e Rafael, até pelos perfis aparentemente semelhantes, estaria sendo desrespeitado já durante a pré-campanha, antes mesmo da homologação das candidaturas nas convenções partidárias. Isso teria gerado a reação pública, mas velada de Sérgio, que por sua vez mereceu a resposta sempre direta de Bacellar.

Abaixo vamos a ela:

 

— Abriram as portas do cemitério. Com isso, as múmias despertaram. O ex-prefeito Sérgio Mendes, um político local que foi varrido para a tumba em 1996, é um dos zumbis a desfilar pela rede social escrevendo asneiras. Agora mesmo está agredindo gratuitamente pré-candidatos de oposição. Tenta agir em nome do vereador Rafael Diniz (PPS). Resta saber se tem procuração para esta empreitada suja. Mas vamos ao histórico da personagem: Com a prefeitura que ganhou do seu mentor Anthony Garotinho, hoje desafeto, o máximo que Sérgio Mendes conseguiu foi andar trôpego nos verões do Farol de São Thomé, urinar em via pública e atrasar salários de servidores. Saiu da prefeitura pela porta dos fundos. Dois anos depois teve menos de quatro mil votos ao postular um mandato na Alerj. Não conseguiu eleger a esposa como vereadora e, mais recentemente, no governo Mocaiber (quem diria!), foi parar na Codemca para cuidar dos cemitérios da cidade. Sua gestão na Codemca foi deprimente. Não suportaria cinco minutos de auditoria. Não custa deixar uma pergunta no ar: de que estaria vivendo Sérgio Mendes, já que nunca conseguiu exercer a profissão de jornalista?

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. Aluysio Abreu Barbosa, ainda ontem, em outra publicação aqui no Opiniões foi abordada essa coisa de “fogueira das vaidades”, numa análise clara, cristalina do processo sucessório do executivo municipal em Campos dos Goytacazes. Fiz lá um comentário onde expressei que no devido momento, tanto o Rafael Diniz, quanto o Caio Vianna, duas elegantes pessoas, cavalheiros que são, se entenderiam e se entenderão em prol do bem estar público, pois o grupo atual no poder, que levou o município à um estado calamitoso em termos de gestão, definitivamente, está fora do poder, é, para aproveitar esse papo de cemitérios, um cadáver insepulto, mas a cova já está cavada a a pá de cal será jogada em outubro. O que me deixa preocupado mesmo, é esse bate boca que está ocorrendo nos bastidores, dentro da chamada fogueira de vaidades que envolve o ex-vereador e ex-presidente da câmara o Marcos Bacellar e o Sérgio Mendes, ex-prefeito de Campos e ex-aliado do prefeito de fato atual. A tal fogueira é um bate boca rasteiro, e com todos respeito que tenho com as lavadeiras, mas parece ser uma conversa de lavadeiras, naquele sentido mais chulo do termo. Agressões desnecessárias, ofensas, principalmente as feitas por Marcos Bacellar, por quem aliás, assim como por Sérgio Mendes, tenho apreço pessoal e achei gratuitas, elas, as manifestações de ambos, só interessam mesmo ao grupo do poder, que deve estar tendo orgasmos múltiplos, à essa altura do campeonato e comungo da ideia de que, nenhum dos dois, nem Sérgio nem Bacellar, têm “procuração” de Caio ou Rafael, e portanto, são senhores daquilo que disseram e estão me parecendo dois adolescentes brigando pelo amor da mesma menina.

  2. O POVO ESTA ANSIOSO , EM OUTUBRO VAI OCORRER O QUE OCORREU NO VIZINHO MUNICÍPIO , ONDE O PODER SUCUMBIU NAS URNAS .

  3. uai parece que (trecho excluído pela moderação) numa de oposição reclame aqui! bem democrático e republicano não tem jeito Campos só querem se apoderarem para benefícios próprios,da nojo dessa politicada campista

Deixe uma resposta

Fechar Menu