Opiniões

Guerra e paz: Caio e Rafael pacificam provocações entre Bacellar e Sérgio

Rafael e Caio quando selaram em fevereiro um pacto de não agressão para as eleições de outubro (foto: divulgação)
Rafael e Caio quando selaram em fevereiro um pacto de não agressão para as eleições de outubro (foto: divulgação)

 

Por Aluysio Abreu Barbosa

 

“Desde o início, tenho dito que todos os pré-candidatos têm que ser respeitados. Vou continuar me pautando nisso e assim caminharei até o fim, como estamos fazendo nessa pré-campanha”, assegurou o vereador e pré-candidato a prefeito Rafael Diniz (PPS). “No Facebook se fala muita coisa. Sérgio (Mendes) é só mais um. Ele responde por Rafael? Acho que ele (Rafael) não compactua com esse tipo de ação. Estamos agora preocupados em montar uma boa plataforma de governo, não na disputa eleitoral. Campos precisa ser pacificada”, pregou Caio Vianna (PDT), também pré-candidato a prefeito.

O discurso pacificador dos dois jovens políticos endossa o acordo de não agressão na disputa eleitoral de outubro, selado (aqui) no começo de fevereiro. No encontro há quatro meses, ambos posaram para fotos e ensaiaram o discurso comum:

— A maturidade tem que prevalecer. Campos é maior do que desejos pessoais.

Mas se maturidade é sinônimo de união, sobretudo na oposição comum a um grupo que está no poder do município há 27 anos, os aliados mais experientes de Rafael e Caio parecem querer caminhar em sentido contrário. E o palco dessa disputa tem sido as redes sociais. Foi nelas que o ex-prefeito Sérgio Mendes, presidente municipal do PPS de Rafael, aproveitou a última segunda (20) para desejar (aqui) uma boa semana e, mesmo sem nomes, fazer a clara provocação:

— Marido mandando na prefeitura no lugar da mulher: basta! Mulher mandando no lugar do ex ou do rebento: nem pensar! Penso que carecemos de alguém com vôo próprio, ética, coragem, competência, determinação, sobretudo independência, para uma efetiva mudança. Boa semana amigos!

Conhecido por seu estilo combativo e direto, o ex-vereador Marcos Bacellar (PDT), aliado de Caio, esperou um dia para reagir duramente, também em seu perfil de Facebook. Nele, escreveu (aqui) ontem:

— O ex-prefeito Sérgio Mendes, um político local que foi varrido para a tumba em 1996, é um dos zumbis a desfilar pela rede social escrevendo asneiras. Agora mesmo está agredindo gratuitamente pré-candidatos de oposição. Tenta agir em nome do vereador Rafael Diniz. Resta saber se tem procuração para essa empreitada suja. Saiu da Prefeitura pela porta dos fundos. Dois anos depois teve menos de quatro mil votos ao postular um mandato na Alerj. Não conseguiu eleger a esposa como vereadora e, mais recentemente, no governo Mocaiber (quem diria!), foi parar na Codemca para cuidar dos cemitérios da cidade.

Depois do contravapor de Bacellar, Mendes ontem tentou (aqui) baixar a corda:

— Campos precisa de serenidade, bom senso e um projeto alternativo para seu desenvolvimento sem a dependência dos royalties. No mais, no que me cabe, não quero, nem vou transformar esse pleito em uma luta de UFC.

Resta saber se esse “combate” pré-campanha foi mesmo de UFC, ou do seu antecessor telecatch, onde as lutas são coreografadas.

 

Página 3 da edição de hoje (22) da Folha
Página 3 da edição de hoje (22) da Folha

 

Publicado hoje (22) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. Sim, meu caro Aluysio Abreu Barbosa, quer me parecer que prevalecerá aquilo que comentei em duas ocasiões distintas em duas publicações do Opiniões, sobre o assunto e que por uma dessas coincidências democráticas, que as redes propiciam, a linha central do meu pensar, coincide com a sua: o que vai prevalecer é a convergência de ideias entre o Caio Vianna e o Rafael Diniz, o acordo dos cavalheiros.

  2. hoje olhando bem vejo ex vereador como é o caso do Barcelar e outro o Sérgio mendes ex prefeito ,o primeiro foi um Homem que tentou fazer uma politica de certa forma correta mas brigou com o inhanho afastaram da politica não conseguiu se eleger . o Sergio uma grande raposa que teve na direção de nossa prefeitura onde deixou a desejar quer dizer um sujo e outro mal lavado ao invés de se unir ,desta forma jamais teremos oposição em nossa cidade e se bobeiarem este menininho vai colocar quem ele quiser a população continuara a prefeitura nas mãos dele temos candidatos a prefeito em nossa cidade que ainda não se posicionou está deixando a poeira baixar é hora de união não de briga muito menos disce me disse os pré candidato a prefeito já deram as mãos aquele que está pensando em segundo turno vai se surpreender esses todos são cavalos paraguaios principalmente o inhanho vai entregar a prefeitura enterrada em dividas hoje fala que a prefeitura está quebrada despejando dinheiro e promessas que jamais será cumprida ,vamos aguardar.

  3. Senhores, estamos em pleno século XXI e esses posicionamentos de comadres de cortiço, já não cabem mais no contexto. Os espaços das redes sociais, bem como as urgentes necessidades do município e do Estado, exigem coerência, criatividade e sobremaneira, respeito mútuo entre os que de alguma forma, se arvoram em ser colaboradores de uma gestão produtiva, que sepulte de uma vez por todas, hábitos nefastos de antagonismos partidários, tendo por prática, o ataque e não propostas inovadoras e saudáveis. Já é tempo de uma nova Campos surgir, resgatada do coronelismo, legado regional deste os tempos coloniais e acontecer como município referência no país, como fruto de uma gestão que vise o progresso como veículo libertador de uma população merecedora de boas e reias oportunidades. Vamos avançar e deixar para trás o que não foi bom e focarmos na construção de um novo tempo!!

Deixe uma resposta

Fechar Menu