Opiniões

Nildo e Papinha ensaiam aliança, Rogério tira Pros de Caio, enquanto PT espera

Ponto final

 

 

Segunda-feira agitada

Com o prazo final para convenção até sexta-feira (05), a semana ontem começou agitada nas últimas articulações para as eleições de 2 outubro, daqui a exatos dois meses. Primeiro, foi (aqui) o fato de dois prefeitáveis, o vereador Nildo Cardoso (DEM) e o suplente de deputado estadual Papinha (PP), anunciarem as convenções de seus partidos para o mesmo dia, local e horário: às 15h de amanhã, dia 3, na Câmara Municipal de Campos. Depois, foi (aqui) a notícia de que o Pros, até então contabilizado na aliança do candidato a prefeito Caio Vianna (PDT), migrou à pré-candidatura a prefeito de Rogério Matoso (PPL).

 

Nildo e Papinha

Embora não confirmem, até porque ambos andaram conversando em separado com o vereador Rafael Diniz, candidato a prefeito do PPS ainda sem vice, o fato é que tudo indica que Nildo e Papinha devem formalizar uma aliança. Ainda que até às 15h de amanhã muita coisa possa acontecer — como tem acontecido —, o que se imagina é uma chapa com o vereador como candidato a prefeito e o suplente de deputado, como vice.

 

Pros de Caio a Matoso

Já o apoio do Pros a Matoso, se for consumado, pode fazer com que Caio perca não um só partido, mas dois. Também na noite de ontem, a executiva municipal do PT fez sua última reunião antes da convenção de amanhã. E vai para ela dividida em dois caminhos: bancar Hélio Anomal como candidato a prefeito, ou apoiar a candidatura de Caio, pelo aliado histórico PDT, na majoritária. Ocorre, para apoiar o filho do ex-prefeito Arnaldo Vianna, o PT contava justamente em fazer uma aliança na proporcional com o Pros, mais o PMN de Alessandra Faez. Muito embora, conste que este partido já estivesse prometido por Caio ao PSC do vereador Genásio.

 

O impossível e o difícil

Como nem Anomal, nem a executiva estadual petista conseguiram atrair nenhuma outra legenda para apoiar o partido em Campos, e com as opções ficando cada vez mais limitadas, se lançar uma candidatura a prefeito prórpia e sem chance real, o PT se condena a não eleger também nenhum vereador. E tem pré-candidatos com potencial, como os professores Odisséia Carvalho e Alexandre Lourenço, além do advogado Alexis Sardinha. Numa aliança majoritária com Caio, se coligando na proporcional com Pros e PMN, o impossível se tornaria apenas difícil. E qual eleição não é?

 

Com Pros, PT olha Rogério

Bem verdade que, se conseguir segurar o Pros, sem passar o papelão de Arnaldo — que anunciou (aqui) o apoio ao deputado estadual Geraldo Pudim à Prefeitura, para perder o controle do seu PEN (aqui) logo depois —, Rogério pode também passar a ser uma opção ao próprio PT. Na verdade, o ex-vereador, assim como Caio e Rafael, foram os únicos prefeitáveis que os petistas locais aceitaram sabatinar e cogitar apoiar. Mantido o Pros, Matoso teria ainda o PC do B, com a professora Odete Rocha em pré-candidatura de expressão a vereadora. E ela já condicionou (aqui) a aliança proporcional com o PT ao apoio deste na majoritária a Rogério.

 

“Nas mãos de Deus”

O maior problema para Rogério segurar o Pros é que o deputado estadual João Peixoto (PSDC), aliado de Caio, já estava ciente do movimento do presidente municipal do partido, Robinho Pitangueira. E o contato de Peixoto é direto com o presidente estadual do Pros, o deputado federal Felipe Bornier. Filho do prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier (PMDB), Felipe pediu a João, e conseguiu, o apoio do PSDC ao Pros em municípios da populosa Baixada Fluminense. Indagado sobre essa possibilidade ontem, logo após fechar o apoio a Matoso, Pitangueira disse: “Entrego nas mãos de Deus!”.

 

Publicado hoje (02) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 4 comentários

  1. Tudo jogadores de primeira viagem, so pra valorizar o passe, abre a porteira e deixa ir pra ver se vai, de politico bobo ja to cheio.

  2. ainda é muito cedo para tomar decisões embora o paraíba esteja vazio ainda tem muita água para passar embaixo da ponte vamos aguardar

  3. Os times estão jogando, alguns já classificados e outros ainda não conseguiram escalar o time.
    outros já tem mas não conseguem jogar.
    Pois todos querem ser o camisa 10, o atacante, o Neymar.
    jogar na defesa ou no meio do campo não serve
    Então não vai para. Final ou não vai a lugar nenhum!

  4. Sou fiado ao PT, mas se acaso acontecer uma aliança com o grupo dos ROSÁCEOS, na próxima segunda feira estarei entregando minha carta de desfiliação ao partido.

Deixe uma resposta

Fechar Menu