Manuela Cordeiro — Promessa no presente

 

 

 

Assim que recebi o convite para escrever a respeito dos primeiros cem dias do governo de Rafael Diniz, tive imediatamente duas reações opostas – senti grande responsabilidade, já que morando fora de Campos há dez anos não me familiarizo com a cena política do jeito que gostaria. Por outro lado, me senti feliz, pois pensei que poderia falar sobre aquele que hoje ocupa o cargo de prefeito da cidade de Campos como uma pessoa que transitou em alguns mesmos espaços de formação que eu. Conheci Rafael Diniz desde a infância, pois estudamos juntos no Auxiliadora.

Sendo dois anos mais velho do que eu, compartilhávamos os espaços fora da sala de aula, principalmente em uma escola na qual as atividades culturais eram intensas. Certo ano, lembro-me de uma edição dos Jogos Mazzarello, competição de esportes entre escolas da congregação salesiana, que foi realizada no Censa. As lembranças trazem o hino do Auxiliadora: “Nós somos de Dom Bosco a juventude/Nós somos da escola o coração…”

Nos idos de fim da década de 1990, pude perceber de longe o protagonismo de Rafael na condução de uma equipe, não me lembro o esporte. Mas certamente o olhar assertivo e o sorriso confiante chamaram a minha atenção e dos outros colegas que vibravam juntos no ginásio com a sua liderança. Em consonância com a lembrança do som da borracha das bolas que batiam no chão em harmonia com a gritaria animada dos adolescentes.

Certamente se ainda morasse em Campos, teria votado em Rafael. De maneira clara e conforme o tom dos textos dos outros colaboradores desse blog, os desafios são imensos com uma herança tão, no mínimo, mal planejada dos governos anteriores da planície goitacá. Mas a equipe de trabalho do atual prefeito também deve ser recordada.

Procuro não utilizar argumentos pessoalizados, mas tive a oportunidade de conviver com a respeitadíssima Lúcia Talabi, atriz e diretora de teatro, que é superintendente da secretaria de igualdade racial. Também com a competente advogada e socióloga Sana Gimenes, de quem fui caloura na Uenf, no curso de ciências sociais. Apenas para nomear duas pessoas que compõem uma equipe mais do que respeitada para a condução das pastas do governo.

Olhando de longe, parece-me que as eleições de Rafael driblaram maniqueísmos em virtude da necessidade e da crença na mudança. Essa sensação de que poderia de fato haver alguma mudança concreta nos rumos de Campos dos Goytacazes era perceptível mesmo aqui do extremo norte do país.

Os meus amigos que se consideram mais ‘progressistas’, na falta de termo mais adequado, bem como parte considerável da elite da cidade apostou em Rafael. Não sou afeita a ingenuidades e, com o perdão de essa análise ser uma delas, esse é um grande estímulo que não tem a ver não somente com a formação sólida e a preparação para o cargo político, mas claramente com um cenário favorável na política campista e uma saída não tão cegamente unilateral, pendente para um dos dois extremos, por assim dizer.

De breve passagem a Campos no final do ano, estive em um restaurante no qual soube que Rafael estava se reunindo com a sua equipe. Logo pensei que seria uma oportunidade para desejar pessoalmente a ele toda a sorte na empreitada que se iniciaria dali a poucos dias. Apesar de ele ter sido uma figura marcante para mim nos eventos do Auxiliadora, não tinha certeza que se lembraria de mim. Assim que ele saiu de onde se reunia, cumprimentou as pessoas ao redor e quando me viu me abraçou com um sorridente Manu. Tive então a oportunidade de desejá-lo sorte na gestão da cidade nos próximos anos.

Passados os primeiros cem dias e com a sensação de mudança não tão latente, mesmo para alguns de seus próprios eleitores, permanece a confiança na competência do atual prefeito e de todo seu grupo. Particularmente para mim, ainda ecoa a continuidade do hino da escola, pertinente, para a atualidade dos caminhos de Rafael: “Queremos ser promessa no futuro/ Luz no escuro, solução!”

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. cesar peixoto

    Parabens Aluysio gostei muito das palavras de Manuela Cordeiro, foram muito bem colocadas

    1. Aluysio Abreu Barbosa

      Caro Cesar Peixoto,

      Se vc gostou das palavras da Manuela, como eu tb, os parabéns são para ela.

      Abç e grato pelo regitro!

      Aluysio

Deixe um comentário