Opiniões

Milícia de jogos do Rio suspeita da execução de campistas na Barra

 

 

 

Executado na Barra da Tijuca com um tiro na nuca, Renato Chagas de Souza Júnior teve o corpo sepultado ontem (22), no Caju (Foto: Folha da Manhã)

 

 

Sete suspeitos de integrarem a milícia do jogo da Zona Oeste do Rio, onde Ericksson e Renato seriam executados, foram detidos e encaminhados à 134ª DP de Campos, em 05 de outubro de 2016 (Foto: Folha da Manhã)

 

 

Milícia do jogo suspeita de mortes (I)

Em plena intervenção federal no Estado do Rio, os campistas ficaram chocados com o assassinato (aqui) de dois conterrâneos na capital fluminense. Ericksson Rodrigues Calil e Renato Chagas de Souza Junior foram executados, cada um com um tiro na nuca, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste carioca. Ocorrido entre domingo e segunda, o crime teria sido um acerto de contas com a milícia do jogo, com o qual os dois estariam envolvidos. Ericksson tinha passagens na 134ª DP por envolvimento com a atividade, enquanto Renato teve sua ligação com o jogo clandestino apontada em áudio que circulou, após as mortes, no WhatsApp.

 

Milícia do jogo suspeita de mortes (II)

Na verdade, o crime recente teria ligação com uma ocorrência policial estranha, um pouco mais antiga. Em 5 de outubro de 2016, sete homens em dois carros foram detidos (aqui) por atitude suspeita no cruzamento das avenidas 28 de Março e José Alves de Azevedo. Abordados pela PM local e encaminhados à 134ª DP, três deles se revelaram PMs do Rio, enquanto os outros quatro tinham extensa folha corrida. Um seria envolvido com a milícia da comunidade de Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na mesma Zona Oeste carioca onde os dois campistas foram assassinados.

 

Milícia do jogo suspeita de mortes (III)

Em 2016, a polícia de Campos chegou aos sete homens vindos do Rio, por acaso. Como o juiz da 129ª Zona Eleitoral (ZE) de Campos, Ralph Manhães, estava à frente da Chequinho e reside em um condomínio em frente de onde os dois carros pararam, suspeitou-se de uma ação contra ele. Não era, mas pode estar ligado à dupla execução no início da semana. As informações estão com a Divisão de Homicídios da capital. Ontem, o aplicativo do EC Games, usado para fazer apostas de futebol em Campos e região, anunciava (aqui): “Estamos em LUTO, porém o SONHO continua! Vida que segue!”. EC são as iniciais de Ericksson Calil.

 

Como o aplicativo da EC Games tirou sua mensagem de luto do ar, após a publicação do Ponto Final de hoje, aqui a sua reprodução

 

General como secretário

Com a intervenção federal na Segurança do Rio, o novo secretário estadual da pasta passará a ser um militar da ativa do Exército. Um dos nomes cogitados é o general Richard Fernandez Nunes, segundo afirmou o porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar. Segundo ele, o nome definitivo ainda será debatido em Brasília e só será anunciado oficialmente na terça-feira (27). Fernandez, entre dezembro de 2014 e fevereiro de 2015, ficou por três meses à frente da ocupação militar do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Fernandez foi promovido nesta semana a general de Divisão, três estrelas.

 

Violência sem fim

Hoje, o interventor, general Braga Netto, e o governador Luiz Fernando Pezão se reúnem para falar sobre a intervenção. A proposta não é só discutir o destino do comando da secretaria de Segurança, mas também os primeiros resultados da operação no Rio. Mesmo com a intervenção federal, os casos de violência seguem assustando da Região Metropolitana ao interior. Ontem, em Niterói, nem um tenente do Exército escapou da ação de assaltantes e foi baleado. Em Campos, em uma das principias avenidas, a 28 de Março, bandidos trocaram tiros com um policial de folga após um assalto.

 

Bola fora

Viajando durante mais temporal na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella fez piada com a situação: “Lá em São Paulo também tem enchente. Vão até lançar um programa novo: o Balsa Família”. Crivella estava em Brasília, na quarta, onde foi pedir recursos ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, para a realização de projetos sociais em áreas conflagradas pelo crime organizado. Ele só voltou ao Rio ontem. Na semana passada, durante a forte chuva que deixou quatro mortos, o prefeito estava viajando pela Europa, onde passou o Carnaval.

 

Posse marcada

Reeleita com 685 votos, a presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), Renata Gil, toma posse para o biênio 2018-2019 na próxima segunda-feira (26), às 17h30, no Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio. A juíza ressaltou que o desafio é reforçar o combate à retaliação contra a atuação firme e independente dos juízes. “Nossa proposta é sempre trabalhar com afinco em defesa dos interesses da magistratura. Especialmente no cenário nacional, diante dos graves ataques em curso às nossas prerrogativas”, disse.

 

Com colaboração

 

Publicado hoje (23) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu