Argentina torce e agora vai ter que encarar a Nigéria

 

Nome do jogo, o atacante Musa comemora seu primeiro gol, no qual demonstrou muita técnica ao dominar e chutar sem deixar a bola cair no chão (Foto: Lars Baron – Getty Images)

 

Pelo confronto entre dois times muito fortes fisicamente, um de africanos negros, outro de vikings, valeu a pena assistir ao Nigéria 2×0 Islândia. Contando com a torcida dos argentinos, pelo cruzamento de resultados no mesmo Grupo D, os nigerianos venceram com dois belos gols do habilidoso atacante Ahmed Musa, aos 4’ e 30’ do segundo tempo. Considerado o melhor em campo pela Fifa, Musa é íntimo dos gramados russos, onde atua como jogador do CSKA Moscou.

Homens negros e louros já haviam feito um jogo épico na fase de grupos da última Copa. Foi (aqui) em 21 de junho de 2014, no Brasil, no Alemanha 2×2 Gana. Quatro anos depois, o confronto entre Nigéria e Islândia teve um fiel da balança.

Iguais na generosa força física sob a pele dos seus jogadores, a diferença se deu na distinção entre duas características. Se desse aplicação tática, ganhariam os europeus. Se fosse a técnica, ganhariam os africanos. Na triunfo da segunda, venceu o futebol.

 

Argentinos assumiram a torcida pela Nigéria em Buenos Aires (Reprodução)

 

Depois de torcerem pela Nigéria, vamos ver agora como o abatido time argentino vai encarar, às 15h da próxima terça (26), a seleção da África embalada pela vitória e pelo fato dela depender apenas de si para chegar às oitavas de final.

 

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário