Paula Vigneron — Enquanto

 

Trilha férrea Tiradentes/São João Del Rey, 24/09/17 (Foto: Aluysio Abreu Barbosa)

 

Sorriu.

Acendeu as luzes. Olhou para o espelho. Estavam gastos, ele e a moldura. Não era tão ruim, pensou. Ajeitou os cabelos. O relógio apontava o amanhecer. No corpo, pontadas. Também não era tão ruim assim, analisou pela segunda vez. Esta chata mania de pensar, pensou.

E sorriu.

Os ponteiros do relógio mostravam os poucos minutos para o amanhecer. O corpo em ritmo de pontadas. Terminou de se arrumar. Os primeiros raios de sol entravam pelas frestas entreabertas. Havia deixado assim desde o começo das dores no correr das horas.

Do outro lado, o dia apontando em cores. Tempo perdido. Do seu lado, pontuavam as dores. Somos tão jovens, gritava um carro pela rua.

Sorriu.

Sentia o quarto esquentar enquanto seu corpo esfriava. Ouvia crescentes barulhos na rua enquanto os seus silenciavam vagarosamente. Ouviu o tic-tac do relógio enquanto os perdia. Sentiu seu corpo anoitecer enquanto amanhecia.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. PC Moura

    Lindo! Lindo! Lindo!

  2. Sandra Caetano

    Num texto curtinho coube tudo, Paulinha, uma vida inteira! Beijo, querida !

Deixe um comentário