Opiniões

“Meninas de Guarus” na Câmara, Wladimir e o PT a prefeito de Campos em 2020

 

 

Mais “Meninas de Guarus”

Na manhã de ontem, no programa Folha no Ar, da Folha FM 98,3 o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) preferiu não comentar o caso “Meninas de Guarus”, que voltou ao noticiário na semana passada, com a nomeação de Thiago Calil para chefe de gabinete do vereador Paulo Arantes (PSDB). No episódio, Calil foi condenado a 25 anos de cadeia pelos crimes de estupro, associação criminosa, submissão de criança/adolescente à prostituição/exploração sexual e cárcere privado. Recorrendo em liberdade, como recebeu como prêmio o cargo na Casa do Povo, pago com dinheiro público, o que gerou justificada indignação na sociedade.

 

“Cinquentinha”

Além do “Meninas de Guarus”, Thiago Calil também já havia sido condenado na operação “Cinquentinha”, quando comandou um esquema de compra de voto no distrito de Vila Nova para a então candidata a prefeita Rosinha Garotinho (hoje, Patri) na eleição de 2008. Wladimir comentou de passagem que conhecia Calil, mas que preferia não tecer comentários por conta do envolvimento de seu tio no outro caso. Irmão do ex-governador Anthony Garotinho (sem partido), o ex-presidente da Câmara Nelson Nahim (MDB) também foi condenado e preso por envolvimento no “Meninas de Guarus”.

 

Calil e Arantes calam

Como explicado na abertura do Folha no Ar de ontem, a redação da Folha chegou a enviar a Calil uma pauta com oito perguntas sobre suas condenações criminais e sua nomeação na Câmara Municipal. Mas ele preferiu não responder. Um convite para ir ao Folha no Ar também foi feito ao vereador Paulo Arantes. Ele disse que não poderia ir no programa de hoje, que trará como entrevistado o presidente da Fundação Municipal dos Esportes, Raphael Thuin. Oferecidas as opções de ir ao programa na quarta ou na quinta, o edil não retornou mais. Ao calar, Calil e Paulo estão nos seus direitos. Como é o da sociedade não esquecer e se indignar.

 

Consequências

Paulo Arantes é conhecido como pessoa de bom trato pessoal. Mas ao insistir na polêmica nomeação do seu novo chefe de gabinete, tem provocado grande desgaste aos colegas vereadores e à própria Câmara. Ademais, há vários outros empresários conhecidos na cidade que chegaram a ser presos no “Meninas de Guarus”. Mesmo que seu inquérito policial tenha sido cercado de denúncias nunca esclarecidas de tentativas de extorsão. Alguns receiam que com o caso de novo em evidência, a partir da pressão popular contra nomeação de Calil, os movimentos jurídicos que resultaram nas solturas dos envolvidos possam ser revistos.

 

Wladimir em Brasília

Se preferiu não se aprofundar no polêmico caso, por motivos familiares, Wladimir falou bastante da sua atuação como deputado federal em Brasília. Explicou projetos pessoais como o da mudança de classificação do Norte e Noroeste Fluminense para o semirárido, que facilitaria acesso a linha de créditos para os produtores rurais dos 22 municípios das duas regiões. E falou também dos recursos que tem conseguido junto ao ministério da Saúde aos quatro hospitais conveniados de Campos. E, como é dos políticos, deu suas desculpas para ter mudado de opinião na última hora e votar contra a necessária Reforma da Previdência.

 

Wladimir em Campos

Na Folha FM, Wladimir insistiu em não assumir sua pré-candidatura a prefeito em 2020. Que só não aconteceria se Rosinha conseguisse reverter sua inelegibilidade, em “milagre” digno de Dias Toffoli. Mas o filho do casal da Lapa agiu como candidatíssimo ao fazer críticas ao prefeito Rafael Diniz (PPS) e ao ex-candidato a prefeito Caio Vianna (PDT). Ele alfinetou a promessa do governo Rafael de reabrir o Restaurante Popular este ano, apostando que só sairá em 2020. E questionou aspectos do projeto de transporte público, que julga prejudiciais aos donos de van, implementado em Campos. Onde lembrou que Caio por só aparece em períodos eleitorais.

 

PT para 2020 

Wladimir também apostou que o PT terá candidato próprio a prefeito de Campos. E que o nome mais cotado é o do petroleiro José Maria Rangel, que teve 20.591 votos na eleição a deputado federal, 5.659 em Campos. Ouvido ontem pela coluna, o petista inicialmente ironizou o filho do casal mais famoso da Lapa: “Ele está sabendo mais do que eu”. Mas em seguida afirmou que o PT de Campos tem excelentes quadros para tentar fugir da polarização entre os grupos de Rafael e dos Garotinho. Admitiu que, por ter sido candidato à Câmara Federal, as pessoas podem levantar seu nome. “Mas ainda não há nada concreto”.

 

Publicado hoje (23) na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu