Condenado no “Meninas de Guarus”, Thiago Calil tem exoneração publicada no DO

 

Exoneração de Thiago Calil publicada hoje (02) em Diário Oficial

 

Condenado a 25 anos de prisão por prostituição infantil no caso “Meninas de Guarus”, Thiago Calil teve sua exoneração da Câmara Municipal publicada hoje em Diário Oficial. No mesmo DO, em 18 de julho, ele havia sido nomeado (aqui) chefe de gabinete do vereador Paulo Arantes (PSDB). Após forte reação popular, uma semana depois, o vereador anunciou (aqui) que voltou atrás na sua decisão:

 

Vereador Paulo Arantes e Thiago Calil (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

— Diante dos fatos e, principalmente, do meu respeito à população campista, não poderia deixar de me pronunciar sobre uma atitude que tomei inadvertidamente. Assim que tomei conhecimento detalhado sobre o fato, de imediato revi da decisão, seguindo à risca minha consciência e meus princípios de família (…) Soube sim de toda a história, mas sem tomar conhecimento de sua dimensão. Além disso, atrelado a laços de amizade e baseado na Lei da Ficha Limpa do Legislativo, assinei a nomeação, que já foi desfeita. Sigo com minha consciência limpa de que fiz o certo! — antecipou o vereador, em 25 de julho, a decisão oficializada no DO de hoje.

Em 8 de junho de 2016, a juíza Daniela Asumpção, condenou vários acusados de envolvimento no caso conhecido como “Meninas de Guarus”. Nele, até 15 menores de idade, alguns entre 8 e 11 anos, eram confinados em casas de Custodópolis, onde eram explorados sexualmente em serviço de prostituição. Segundo a Justiça, Thiago Calil mantinha os menores em cárcere privado, os obrigava a consumir drogas e os levava de carro aos locais dos programas sexuais. Ele foi condenado a 25 anos pelos crimes de estupro, associação criminosa, submissão de criança/adolescente à prostituição/exploração sexual, tirar proveito da prostituição alheia e cárcere privado.

Como recorria em liberdade, à espera do julgamento do recuso na segunda instância, Thiago Calil não poderia ser barrado pela lei municipal da Ficha Limpa, de autoria do vereador Jorge Virgílio (PRP), restrita aos condenados criminalmente em decisão colegiada. Foi a reação da sociedade após a divulgação da notícia que forçou o vereador Paulo Arantes e a própria Câmara, também atingida no juízo popular, a suspenderem a nomeação. Além do “Meninas de Guarus”, Calil também ja tinha sido condenado por comandar no distrito de Villa Nova um esquema de compra de votos, na eleição de 2008, para a então candidata a prefeita Rosinha Garotinho (hoje, Patri).

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário