Após cobrança da Folha, Wladimir se compromete com vacina contra Covid

 

Wladimir hoje entre o vice-prefeito eleito Frederico Paes e seu secretário de Saúde, Geraldo Venâncio (Foto: Divulgação)

 

Em resposta à cobrança em nome de Campos na postagem “Estamos no final da fila”, feita no início da tarde de hoje pelo blogueiro Christiano Abreu Barbosa no site Folha1, o prefeito eleito Wladimir Garotinho (PSD) informou que pretende assinar carta de intenção não-vinculante com o Instituto Butantan para compra futura de vacinas contra a Covid-19. A aquisição efetiva depende de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e incorporação ao Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa se dá depois de os municípios vizinhos de Macaé (confira aqui) e Quissamã (confira aqui) terem feito o mesmo.

Segundo Wladimir, foram realizadas reuniões com a equipe que irá comandar a secretaria Municipal de Saúde com a finalidade de iniciar a vacinação já no primeiro semestre de 2021, seguindo o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, apresentado hoje (confira aqui) pelo ministério da Saúde.

A partir das 7h da manhã desta quinta (17), no programa Folha no Ar, da Folha FM 98,3, o combate à pandemia no Brasil, no Estado do Rio, no Norte Fluminense e em Campos será analisado (confira aqui) pelo especialista Rodrigo Carneiro, médico infectologista. Na noite de hoje, ele comentou após saber do anúncio de Wladimir, em resposta à cobrança da Folha: “Antes tarde do que nunca”.

Em Campos, a Covid matou quatro pessoas só (confira aqui) nas últimas 24h, no total de 548 óbitos já confirmados. O primeiro deles, anunciado com exclusividade por este blog (relembre aqui), foi em 11 de abril: o caminhoneiro Hudisson Pinto dos Santos, de 39 anos, casado e pai de dois filhos pequenos.

 

Caminhoneiro Hudisson Pinto dos Santos, de 39 anos, casado e pai de dois filhos pequenos, foi o primeiro morto de Covid-19 em Campos (Fotos: Arquivo pessoal/Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

— Nossa prioridade, antes de tudo, é a saúde da população. Vamos adotar todas as medidas que forem necessárias. Prevenir e cuidas das pessoas com dignidade — disse Wladimir.

O plano prevê quatro grupos prioritários. A prioridade será para trabalhadores da saúde, idosos, pessoas com doenças crônicas — hipertensão de difícil controle, diabetes mellitus, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, entre outras —, professores, forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional.

Com informações da assessoria do prefeito eleito.
fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. Manoel Ribeiro

    Eu tenho a curiosidade em saber de estados e municípios tem competência para fazer plano de vacinação…

Deixe um comentário