Opiniões

Wladimir promete divulgar ainda em janeiro pagamento de dezembro

 

Wladimir Garotinho no microfone do Folha no Ar (Foto: Folha da Manhã)

 

Ainda neste mês de janeiro será projetado o pagamento atrasado de dezembro e o 13º dos servidores de Campos. Esta talvez tenha sido a principal revelação feita ao programa Folha no Ar do início da manhã de hoje, na Folha FM 98,3, pelo prefeito Wladimir Garotinho (PSD). Mas ele falou sobre diversas outras coisas, inclusive que a possibilidade do município pegar um novo empréstimo, usando o patrimônio do PreviCampos como garantia (que gerou reações aqui), partiu não dele ou de seu governo, mas dos próprios servidores, em reunião do prefeito com o Siprosep. Que tem assembleia online marcada (confira aqui) às 18h de hoje, para discutir os atrasados de dezembro.

Wladimir falou também das idas e voltas que permitiram ao seu grupo político uma vitória consistente na eleição da Mesa Diretora da Câmara, em acordo com o PDT do ex-prefeitável Caio Vianna, após ter falhado a tentativa de acordo com o grupo político dos Bacellar. Mas se disse disposto a se encontrar com o deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD), “de guarda baixa e coração aberto”, para tentar pacificar politicamente a cidade. Ele também projetou o início da vacinação contra Covid em Campos entre fevereiro e março. E disse que o aumento de casos se deve à “libertinagem” de parte da população, que não evita aglomerações. Ele conclamou os médicos da saúde pública municipal, que ontem fizeram protesto, a não abandonarem suas funções, sobretudo no combate à pandemia, por atraso nos pagamentos.

O prefeito disse que já esperava as grandes dificuldades financeiras do município. Mas acusou o governo Rafael Diniz (Cidadania) de “maldade”, pela maneira que acusou de seletiva para promover pagamentos no apagar das luzes de 2020. Criticou também as empresas de ônibus da cidade e defendeu a volta das vans ao Centro. Afirmou que 2021 será um ano muito difícil para a cidade, mas prometeu reabrir nele o Restaurante Popular. E, no lugar do um ano de paciência que Rafael pediu em 2017, Wladimir pediu que se aguarde todos os quatro anos do seu mandato para que as coisas comecem a se normalizar, sobretudo nas contas públicas do município. Para as quais se comprometeu a buscar o tal “dinheiro novo” em Brasília.

Nesta quarta (13), na edição da Folha da Manhã e aqui, neste blog, será publicada a matéria completa do Folha no Ar com Wladimir. Enquanto ela não vem, confira a entrevista em seus três blocos, nos vídeos abaixo:

 

 

 

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. O prefeito Wladimir, tem que trabalhar duro isso sim, e parar de ficar falando o que Rafael fez ou deixou de fazer, ninguém entrou enganado, passado é passado. E os vereadores essa historinha de CPI só para levar vantagem chega, arregaça as mangas, e cobre do prefeito, melhoria na saúde, na educação e na qualidade de vida do povo de Campos.

  2. O prefeito ao assumir a prefeitura assume seus bônus e ônus. Os servidores trabalham para a prefeitura e não ao prefeito. Cabe ao prefeito pagar aos servidores independente do gestor vigente. Triste é observar o eleitor desconsiderar a história dos candidatos. Infelizmente, preferem ganhos pontuais e sacrificam a saúde, educação, economia, emprego …

  3. O servidor precisa de pagar as suas contas e está sofrendo, contas chegaram e são cobrados juros. Muitas destas contas resultam em cortes e interrupção nos serviços. Como os servidores podem ir trabalhar se o município não paga os mesmos? Se os servidores não podem ir trabalhar como pode o município atender os munícipes? Vergonha ouvir o prefeito preocupar com quem precisa mais, Ele está sacrificando todo mundo. Além das más gestões há ainda do reflexo do fica em casa que reduziu a geração e a produção de riquezas e, consequentemente a arrecadação de impostos. A conta chegou. Ninguém quis usar o bom senso do equilíbrio entre a saúde e economia. O prefeito não está pensando na maioria e sim em manter no poder. Vergonha

Deixe uma resposta

Fechar Menu