Opiniões

Simec pode recorrer à Justiça contra cortes dos servidores da Saúde

 

Após o Blog do Arnaldo Neto, hospedado no Folha1, noticiar ontem (confira aqui) que o governo Wladimir Garotinho (PSD) está para enviar a Câmara Municipal um pacote com 15 projetos, entre eles o de corte de substituições, gratificações e insalubridade dos servidores da Saúde, a Folha gerou demanda ao Sindicato dos Profissionais Servidores Públicos Municipais de Campos dos Goytacazes (Siprosep) e ao Sindicato dos Médicos de Campos (Simec). A resposta do Siprosep, na tarde de ontem, foi atualizada na postagem da notícia.

A posição do Simec foi enviada na noite de ontem. Lembrou do enfrentamento da categoria à pandemia da Covid-19, mesmo “estando há 14 meses sem gozar férias, sem receber o pagamento relativo aos 75% remanescentes do 13º salário de 2020 e há mais de cinco anos sem reajuste salarial”. E aventou recorrer à Justiça, caso a proposta de cortes seja oficializada pela Prefeitura e aprovada na Câmara. Confira abaixo:

 

 

O Sindicato dos Médicos de Campos (Simec), após tomar conhecimento da matéria publicada no Blog do Arnaldo Neto, hospedado no portal da Folha da Manhã, cuja manchete anunciou “cortes na Saúde”, no final da manhã desta terça-feira (18), adotou uma série de medidas cabíveis para fins de apurar os fatos apresentados pelo veículo de comunicação. A partir da divulgação do assunto, a Diretoria Efetiva da entidade demonstrou grande preocupação com a categoria, em razão do teor da publicação que noticia a possibilidade de cortes nos pagamentos realizados por substituições, além dos adicionais de gratificação e insalubridade pagos aos servidores da saúde do município.

Previamente, o Simec classifica as possíveis medidas de subtração de direitos adquiridos há anos, conforme as divulgadas pelo referido blog, como arbitrárias e de total desvalorização do profissional médico e repudia quaisquer intervenções do Poder Executivo que possam vir a gerar perdas nos proventos salariais dos servidores municipais, em qualquer tempo.

A entidade representativa de classe reitera que, mesmo a categoria estando há 14 meses sem gozar férias, sem receber o pagamento relativo aos 75% remanescentes do 13º salário de 2020 e há mais de cinco anos sem reajuste salarial os servidores médicos seguem firmes, lutando em prol da vida, na linha de frente de enfrentamento à pandemia de Covid-19.

O departamento jurídico do Simec seguirá acompanhando o desenrolar das informações e se manifestará a partir dos possíveis desdobramentos a respeito do tema e do posicionamento oficial da Prefeitura. Caso as notícias sejam confirmadas, o setor acionará os dispositivos legais preestabelecidos.

 

Atenciosamente,

 

Dra. Maria das Graças Ferreira Rangel

Presidente do Sindicato dos Médicos de Campos

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu