Opiniões

Vereadores perdem DAS, com menos chance de abrigá-los no RJ

Wladimir Garotinho, Rodrigo Bacellar, Igor Pereira, Helinho Nahim, Rogério Matoso, Thiago Rangel e Anderson de Matos (Montagem: Joseli Mathias)

Como o blog adiantou ontem (confira aqui) os vereadores governistas que votaram contra (confira aqui) o pacote do governo Wladimir Garotinho (PSD) tiveram seus indicados políticos em cargos de DAS exonerados da Prefeitura. Entraram na guilhotina do Diário Oficial do município as indicações dos vereadores Igor Pereira (SD), Helinho Nahim (PTC), Rogério Matoso (DEM), Thiago Rangel (Pros) e Maicon Cruz (PSC). Amanhã (27), são esperadas as exonerações dos DAS indicados por Anderson de Matos (Republicanos). O único poupado será Marcione da Farmácia (DEM), que estrategicamente se ausentou da votação.

 

Bacellar preterido no governo Cláudio Castro

Como o blog também revelou ontem, especulava-se nos bastidores que esses vereadores contavam em abrigar os demitidos por Wladimir no governo estadual Cláudio Castro (PSC), se o deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD) assumisse a secretaria estadual de Governo. Mas tudo indica que a cobiçada pasta ficará (confira aqui) com o também deputado estadual Márcio Pacheco (PSC). A Rodrigo teria sido oferecida a menos prestigiada secretaria estadual das Cidades, mas ele teria declinado.

O jornalista Robson Bonin, da revista Veja, informou hoje (confira aqui) que “a mudança nas indicações (entre Bacellar e Pacheco) teria sido acertada em uma conversa do governador com o presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), que, por sua vez, negou que tenha feito força para derrubar o nome de Bacellar na disputa”. Antigos aliados, como o blog registrou aqui, Rodrigo e Ceciliano bateram boca em plena sessão da Alerj no último dia 28.

 

Fábio x Rodrigo

Após ser acusado no sábado (22), pelo presidente da Câmara de Campos, Fábio Ribeiro (PSD), de fazer (confira aqui) “carga pesada para desestabilizar o governo Wladimir”, Rodrigo Bacellar respondeu ao blog na segunda (24):

— O presidente da Câmara de Campos me acusou de ser contra aumento de impostos e de medidas contra os servidores públicos? Isso foi uma crítica ou um elogio? (…) Enquanto o presidente da Câmara de Campos está defendendo aumento de impostos e cortes contra servidores da Saúde, nosso grupo tem debatido sobre geração de empregos com a chegada de novos investidores, parcerias e desenvolvimento para Campos e região.

 

Posição dos vereadores

— Não existe nenhuma conversa nesse sentido. Não tenho aproximação com o deputado Rodrigo. Reitero que o nosso movimento é apenas para que o Executivo respeite nosso mandato — disse Thiago Rangel sobre sua posição na Câmara Municipal.

— A minha postura na Câmara Municipal é pautada exclusivamente nos interesses da população. Meu voto não é negociado. Não almejo nenhum cargo no governo do Estado — garantiu Maicon Cruz.

— Não tomei nenhum posicionamento por conta do deputado. O que houve foi uma união de pensamentos para impor respeito ao prefeito. Não irei votar contra minhas convicções por DAS e RPAs — reafirmou Helinho Nahim.

Além dos DAS, os RPAs indicados pelos vereadores que votaram contra o pacote do governo também têm suas exonerações esperadas.

 

Atuaização às 20h26: demandas foram geradas também aos vereadores Igor Pereira, Rogério Matoso e Marcione da Farmácia, que não retornaram até o presente momento. Já o edil Anderson de Matos preferiu não se pronunciar.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe uma resposta

Fechar Menu