Faixa-preta de luto — Mestre Cerqueira morre de Covid aos 63

 

Mestre Cerqueira do alto da sua habilidade como lutador de Taekwondo  (Foto: Arquivo)

 

Cercqueira e sua mãe, dona Maria Helena, morreram pela Covid entre o sábado e a segunda (Foto: Facebook)

Morreu na manhã de hoje, aos 63 anos, no Centro de Controle e Combate ao Coronavírus em Campos (CCC) da Beneficência Portuguesa, José Cerqueira de Oliveira Júnior. Para gerações de praticantes e ex-praticantes de artes-marciais, desde os anos 1980, ele era mais conhecido como mestre Cerqueira. E foi um dos introdutores e principais atletas do Taekwondo (no coreano da origem da luta: “O caminho do pé e da mão”) de Campos e região.

Em tragédia que se abateu sobre várias famílias brasileiras durante a pandemia da Covid-19, Cerqueria havia perdido sua mãe, Maria Helena de Paula, aos 80 anos, no sábado (17). Também infectada por Covid, ela faleceu no Hospital Geral de Guarus (HGG) dois dias antes do filho, que não chegou a saber da notícia. Ele deixa viúva Helena da Silva e dois filhos adultos: José Cerqueira de Oliveira Neto e Bruno Viana Cerqueira. Seu funeral será às 16h de hoje, no Cemitério do Caju.

Cerqueira, como vários veteranos do Taekwondo em Campos, era cria do sul-coreano Woo Jae Lee, o mestre Lee. Que montou, na primeira metade dos anos 1980, a academia Faixa-Preta nos altos de um sobrado na rua João Pessoa. Depois que mestre Lee se mudou para Vitória, o mestre Marcelino Moreira assumiu como professor, que tinha em Cerqueira, ainda faixa-vermelha, anterior à preta, seu atleta mais destacado. Ele pegaria a faixa-preta pouco depois. E se tornou proprietário da academia, quando esta se mudou ao espaço mais amplo, nos altos de outro prédio, na Rua do Ouvidor.

 

Na Folha da Manhã de 20 de julho de 1984, o registro feito ainda na academia dos altos da João Pessoa, com o Mestre Lee diante de Cerqueira, primeiro faixa-preta de Taekowndo formado em Campos (Foto: Arquivo)

 

Depois, entre os anos 1990 e início dos 2000, Cerqueira, assim como Marcelino, se mudariam para a academia TKD, de propriedade de outro veterano atleta do Taekwondo, o empresário Clodomir Crespo. Funcionava nos altos da Averj, na rua Saldanha Marinho.

Tive chance de treinar Taekwondo, ainda adolescente, nas academias da João Pessoa e da Ouvidor. E depois, já adulto, boxe inglês com Marcelino, na TKD. Nas três, sempre tive, como tantos outros praticantes de artes-marciais mais talentosos, uma referência em Cerqueira. Como lutador, em que compensava sua baixa estatura com muita elasticidade, destreza e visão de combate, mas também e principalmente como homem.

Cerqueira participou do projeto “Meninos do Amanhã” no primeiro governo municipal Anthony Garotinho (hoje, sem partido), entre 1989 e 1992. E, através do esporte, ajudou a tirar centenas de crianças campistas das ruas e das drogas. Ele também chegou a ser presidente da Associação de Moradores do Jardim Carioca, em Guarus, onde residia. Como homem, essas também foram suas lutas. Não contra outros homens, mas por eles.

Vá em paz, mestre!

 

Atualizado às 15h51.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. MARCOS

    Uma grande perca para os amigos e sociedade.

Deixe um comentário