Caio confirma pré-candidatura de Neves a governador

 

Rodrigo Neves e Caio Vianna (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Considerado a possibilidade de terceira via mais viável para tentar furar a polarização entre o governador Cláudio Castro (PL) e o deputado federal Marcelo Freixo (PSB) na disputa pelo Palácio Guanabara em 2022, o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT) manterá sua pré-candidatura? Segundo informou ontem o jornalista Cláudio Magnavita em sua coluna no carioca Correio da Manhã, o PDT teria recomendado a Neves se candidatar a deputado federal. Aliado de Rodrigo, o campista Caio Vianna (PDT) negou:

— A informação não procede. Estamos andando todo o estado, fazendo um trabalho de escuta junto à população e apresentando a plataforma o Rio que queremos. Acredito que esse tipo de informação seja um ataque fomentado por forças políticas que não querem enfrentar o Rodrigo no pleito a governador, tentando desconstruir a única pré-candidatura com experiência de gestão comprovada e com capacidade de amplo diálogo para reconstruir nosso estado. O Rodrigo está unindo e renovando o partido em todo estado, em torno desse projeto. E nós apoiamos ele nessa nobre missão — garantiu Caio, secretário de Ciência e Tecnologia de Niterói, município governado por Axel Grael (PDT), eleito com apoio de Neves em 2020.

Por sua vez, Cláudio Magnavita informou ontem em sua coluna:

— O silêncio de Axel Grael, prefeito de Niterói, quanto ao colapso de Rodrigo Neves (no comando do município que governou por dois mandatos consecutivos e na sua pré-candidatura a governador) já foi percebido. Ao desidratar, Neves cede a pole position da política da cidade a quem tem a caneta na mão. Em reunião, o PDT recomendou que Rodrigo Neves tente conquistar uma vaga na Câmara Federal. Conselho também dos seus advogados, que acham positivo de um mandato e de foro especial — informou o Correio da Manhã, referindo-se aos problemas de Neves com a Justiça. Que já custaram sua prisão entre dezembro de 2018 e março de 2019, na operação Alameda, desdobramento da Lava Jato, sobre um suposto de pagamento de propina por empresários do setor de transportes a agentes públicos de Niterói.

Rodrigo negou todas as acusações, dizendo ter passado 92 dias preso sem nunca ser ouvido ou ser considerado réu. Depois de voltar ao comando de Niterói ele teve a sentença positiva da sua cidade. Em 2020, elegeu Grael, seu ex-vice-prefeito e ex-secretário de Planejamento, com 62,56% dos votos válidos, ainda no primeiro turno. No segundo turno municipal, Neves concentrou suas atenções em Caio, que disputou a Prefeitura de Campos com Wladimir Garotinho (PSD). Mesmo que este tenha vencido, o trabalho do então prefeito de Niterói tirou muito da grande diferença de votos de Wladimir para Caio no primeiro turno, em trabalho que impressionou os analistas da política goitacá.

Já nomeado secretário de Ciência e Tecnologia de Grael em Niterói, Caio voltou a Campos em 16 de julho deste ano. Veio com Rodrigo Neves e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. O político campista lançou sua pré-candidatura a deputado federal, cargo a que concorreu em 2018, e Neves a sua pré-candidatura a governador.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário