Campos e NF têm que votar em candidatos de Campos e NF?

 

 

 

Voto bairrista em 2022

O eleitor de Campos e do Norte Fluminense (NF) tem que votar em candidatos a deputado estadual e federal de Campos e do NF? A questão é antiga e tem argumentos respeitáveis dos dois lados. Fundador deste jornal e desta coluna, defensor intransigente de Campos e região, o jornalista Aluysio Cardoso Barbosa (1936/2012) sempre pregou que sim. E foi ecoado pelo vice-prefeito de Campos, Frederico Paes (MDB). A manchete da Folha no último sábado (20), conclamando o voto bairrista a deputado em 2022, foi extraída da entrevista de Frederico na manhã do dia anterior (19), ao programa Folha no Ar, na Folha FM 98,3.

 

Frederico Paes, vice-prefeito de Campos

Convocação de Frederico Paes

“É preciso, na campanha, falar com os candidatos, sejam do nosso grupo ou não, para não deixar esse povo de fora vir pegar voto aqui. A quantidade de eleitor que vota em deputados que vêm aqui só em época de eleição, é absurda (…) é muito importante essa união da população em torno da cidade, mostrar que o voto num candidato local é muito importante. Isso tem que ser massificado na cabeça do eleitor na campanha. Convoco até a oposição”, pregou Frederico. Mas o que políticos de fora do grupo dos Garotinho e cientistas políticos de Campos e região pensam dessa convocação ao voto bairrista para deputado em 2022?

 

Christino Áureo, deputado federal de Macaé

Christino concorda

“Concordo com a posição do vice-prefeito de Campos, Frederico Paes, por quem tenho profundo respeito. Nossa região vem sendo subrepresentada no contexto estadual e nacional. Geramos receitas em uma proporção que o sistema tributário nacional não reconhece, já que o gás e do óleo não têm o ICMS na origem. Essa nova região metropolitana, formada pelos municípios de Macaé e Campos, mas também todos os demais da orla petroleira, tem que se unir. E pensar, sim, em uma representação política forte. Nossa região tem que pretender mais, se valorizar mais”, cobrou o deputado federal Cristino Áureo (PP), de Macaé.

 

Igor Pereira, vereador de oposição em Campos

Igor ressalva

“Precisamos restabelecer a representatividade regional nas duas esferas. Perdemos os deputados estaduais Gil Vianna e João Peixoto para a Covid-19. E o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) se elegeu a prefeito. A questão é escolher quem alie competência com real ligação com a região. Não oportunistas que só aparecem perto da eleição, evocando laços de família, mas há muito tempo longe da nossa população. Já tivemos nomes de fora que se mostraram comprometidos com as demandas da região”, ressalvou Igor Pereira (SD), vereador de oposição em Campos e conhecido por sua ligação com o deputado federal do Rio Hugo Leal (PSD).

 

Hamilton Garcia, cientista político e professor da Uenf

Hamilton nacionaliza

“É inequívoca a afirmação pela distritalização das decisões políticas e do voto. A demonstração disso tomou forma avançada e polêmica no Congresso Nacional, com a extensão das emendas orçamentárias. Não é de estranhar que a pauta avance também nas municipalidades, como vimos na convocação do vice-prefeito de Campos, na forma do voto. Para a distritalização não ofuscar a visão geral dos parlamentares sobre as questões nacionais, precisamos combinar o voto distrital com o proporcional, em lista pré-ordenada como fazem as boas democracias” analisou o cientista político Hamilton Garcia, professor da Uenf.

 

Bruno Vianna, vereador independente de Campos e pré-candidato a deputado estadual

Bruno de acordo

“Concordo com o posicionamento do vice-prefeito Frederico Paes em sua entrevista à Folha FM, repercutida na Folha da Manhã. Inclusive, quero parabenizá-lo por essa iniciativa. Campos é uma cidade importante dentro do Estado do Rio e precisa de representatividade na Assembleia Legislativa e no Congresso Nacional. Com o falecimento do meu pai (Gil Vianna) e do deputado João Peixoto, nosso município iniciou essa carência, que acabou aumentando. Independentemente de lados políticos, nós temos que priorizar a nossa cidade e região”, fez coro Bruno Vianna (PSL), vereador independente de Campos e pré-candidato a deputado estadual.

 

Márcio Nogueira, empresário de SJB e pré-candidato a deputado estadual

Márcio faz coro

“A evolução socioeconômica dos municípios passa pela interação regional. A escolha do voto é estratégica neste processo, precisamos deixar de lado a velha prática de loteamento de votos para atender interesses de políticos de outras regiões. Eleger candidatos que vivem na mesma região é ter de fato representantes que conhecem a realidade do Norte Fluminense e vivenciam as dificuldades do município. É correta a visão de que o eleitor deve escolher, independentemente da ideologia partidária, candidatos da região”, concordou Márcio Nogueira (PDT), empresário de São João da Barra e pré-candidato a deputado estadual.

 

George Gomes Coutinho, cientista político e professor da UFF-Campos

George questiona

“A proposta defendida pelo vice-prefeito, da região priorizar candidatos regionais para o legislativo federal ou estadual, tem alguns desafios. O primeiro é de lidar com o problema da multiplicidade de interesses do eleitor. A mobilização do eleitor lida com um feixe quase interminável de possibilidades. Contudo, na hipótese de que o trabalho seja bem sucedido, teríamos que ter o comportamento do eleito pautado também pelo claro alinhamento do congressista com as demandas regionais. Em suma, parece desconsiderar a complexidade da realidade”, questionou o cientista político George Gomes Coutinho, professor da UFF-Campos.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. CRICIO MANHAES PINTO

    OS CANDIDATOS ELEITOS DE CAMPOS/RJ NADA FAZEM E AINDA CONTINUAM FAZENDO “NADA”!!!!
    TODOS TEM CONHECIMENTO O QUE ELES TEM INTENÇÃO MAS, POUCOS TEM CIÊNCIA!!!
    CAMPOS/RJ NADA MUDOU COM OU SEM OU SEM PREFEITO!!! APENAS NÚMEROS $$$$$$$$$ AUMENTARAM
    ARRECADAÇÃO ROYLATIES E NADA AVANÇO!! O PORQUÊ? CIDADE DE CAMPOS/RJ A MAIORIA POLÍTICOS ESTÃO DE OLHO ??????????

  2. Silvio Pessanha

    Concordo totalmente com o Cricio Manhães!

Deixe um comentário