Campos ultrapassa R$ 3 bilhões em notas fiscais em 2021

 

(Foto: Rodrigo Silveira/Folha da Manhã)

 

 

Campos gerou R$ 3 bilhões em notas fiscais

Nesta mesma coluna de opinião, na edição de 22 de setembro, foi anunciado que na semana anterior tinham sido batidos R$ 2,2 bilhões em notas fiscais de serviço emitidas pelos CNPJs do município. A notícia foi repassada pelo prefeito de Campos, Wladimir Garotinho (PSD), que comemorou o aumento na geração de divisas, já que o valor em todo o ano de 2020 foi de R$ 1,6 bilhão. Ele também projetou em setembro que a cidade terminaria 2021 perto dos R$ 3 bilhões. A meta foi cumprida. Segundo o próprio Wladimir, Campos fecha este ano com R$ 3,191 bilhões em notas fiscais emitidas.

 

Bacia de Campos contra tributação

Na comemoração do resultado econômico positivo, que permite ao município vislumbrar luz no final do túnel da crise, sem supor que se trate do trem vindo na direção contrária, Wladimir foi ontem ao Rio para evitar perdas. Ele e vários outros prefeitos da região da Bacia de Campos se reuniram com o governador Cláudio Castro (PL). A quem pediram para vetar a lei 5190/2021, de autoria do deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (Cidadania) e aprovada na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que cria nova tributação sobre empresas de petróleo.

 

Governador vai vetar?

“Na verdade, não tem perda direta, mas muita perda indireta, porque essa lei cria uma tributação para as empresas de petróleo, de 16 milhões de Ufirs (Unidade Fiscal de Referência) por ano. Cada Ufir está a R$ 3,00, daria cerca de R$ 50 milhões para cada empresa. Isso gera desinvestimento na Bacia de Campos. As empresas vão ter que tirar esse dinheiro de algum lugar, e vão tirar do investimento. Isso vai gerar menos receita e menos empregos. É uma cadeia perigosa, um ciclo muito perverso para toda a região”, explicou Wladimir à coluna. Segundo o prefeito, o governador se comprometeu a vetar.

 

Ano de sorte petrolífera

No que se refere a petróleo, Campos também fecha 2021 com motivos para comemorar. Após ter duas Participações Especiais (PEs) zeradas em 2020, fato inédito nos 20 anos anteriores, Campos teve crescimento de 97,7% nas suas receitas petrolíferas — royalties + PEs. Em 2020, foram R$ 284.565.976,11 de royalties e R$ 6.987.268,69 de PEs, no total de R$ 291.553.244,80. Em 2021, foram R$ 460.502.071,62 de royalties e R$ 115.795.881,32 de PEs, no total de R$ 576.297.952,94. Fruto de uma commodity internacional, fixada em dólar, Wladimir teve sorte em seu primeiro ano de governo.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem um comentário

  1. CRICIO MANHAES PINTO

    OS ROYALTIES ESTÃO SENDO APLICADOS NA INFRAESTRUTURA;SAÚDE E EDUCAÇÃO NA CIDADE DE CAMPOS/RJ?
    NÃO ESTAMOS HÁ ANOS NADA DESENVOLVIEMENTO NA CIDADE DE CAMPOS/RJ?/ CADÊ PRESTAÇÃO CONTAS????

Deixe um comentário