Wladimir define o futuro de Campos em Brasília nesta 5ª

 

Pelo futuro de Campos, o prefeito Wladimir vai se reunir nesta quinta em Brasília com a deputada Clarissa, o senador Carlos Portinho e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

 

Futuro de Campos (I)

Nesta quinta-feira (10), o futuro de Campos pode ser decidido em Brasília. De um lado da mesa, estarão o prefeito Wladimir Garotinho (PSD) e sua irmã, a deputada federal Clarissa Garotinho (Pros), reforçados pelo senador Carlos Portinho (PL/RJ). Os três serão recebidos na sede da Caixa Econômica Federal (CEF) pelo presidente da instituição, o economista Pedro Guimarães. Na pauta a cessão de créditos dos royalties do petróleo, feita em maio de 2016 e chamada à época de “venda do futuro”, entre o governo municipal Rosinha Garotinho (hoje, Pros) e a CEF, no apagar das luzes do governo federal Dilma Rousseff (PT).

 

Futuro de Campos (II)

Pela resolução 43/2001 do Senado, assim como pela autorização da Câmara de Campos em 2016, os pagamentos da operação financeira não poderiam exceder 10% das receitas petrolíferas do município. Só que o limite não foi respeitado pelo contrato entre a CEF e o governo Rosinha. Mas foi imposto pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), em julho de 2017. Graças a uma tese do então procurador do Legislativo goitacá, Robson Maciel Junior, que entrou junto com o governo Rafael Diniz (Cidadania). A CEF recorreu e a juíza federal Rosângela Martins determinou, em 2021, que as duas partes fizessem um acordo.

 

Futuro de Campos (III)

Para tentar o acordo, Wladimir e Clarissa já estiveram na sede da CEF, em 18 de agosto de 2021. “Desde então, as equipes técnicas do município e da Caixa estão negociando. Rafael judicializou e a dívida ficou impagável. Vamos a essa reunião de quinta na esperança concreta de resolver o problema, que significaria a insolvência financeira de Campos. A solução é aumentar o prazo e diminuir o percentual dos pagamentos. As bases legais do acordo já estão resolvidas”, adiantou à coluna o prefeito. Se conseguir, Wladimir marcará um gol ainda mais importante do que a reabertura do Restaurante Popular em 2021, fechado por Diniz em 2017.

 

Publicado hoje na Foha da Manhã.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 3 comentários

  1. Fábio Cagas

    Para que antecipou os royalties? Se eu tenho um levantamento, feito por um veiculo de comunicaçao, que me diz, de 2000a 2020, o quanto foi recebido por estados e municipios, de royalties e suas respectivas aplicaçao em educaçao, saúde, número de leito, essa Rosinha, parece um cravo, só fez besteira nos 8 anos de governo. Fez a ponte que se passar 10.000 carros é muito, quando chove é um Deus nos acuda, Sambódromo $ 80.000.000,00, e o HGG é uma peneira, apanhou dinheiro da Previcampos e nao devolveu, nao me informa, nem pele LAI (lei de acesso a informaçao), obras dos bairros legal, superfaturada, Ex. Como que a escavaçao das ruas de Donana, ARI PESSAMHA, reaterrou terreno, onde fez galpao das máquinas, e a PMCG, pagou a distancia de 5km, vergonha, e as casas de Ururaí de 1.000.000.000,00, agora posam de bom moço, porque esses 2 deputados federais, só faz alguma coisa por Campos, agora? Vergonha……….

  2. Ruy

    Essa á historia de Campos, pedir dinheiro, roubar o dinheiro, e de novo pedir dinheiro…

Deixe um comentário