Transporte público de Campos, enfim, gera união na Câmara

 

Manifestação na rodoviária antiga, no dia 21, por falta de transporte público para Três Vendas, Serrinha e Caxeta (Foto: Rodrigo Silveira/Folha da Manhã)

 

 

Wladimir Garotinho no Folha no Ar

Transporte é unanimidade na Câmara

Apesar de novamente em clima quente, a Câmara Municipal aprovou ontem (28), por unanimidade, dois projetos do governo Wladimir Garotinho (sem partido): o controle da bilhetagem de ônibus e vans pela Prefeitura, que dará em contrapartida um auxílio para compra de diesel aos permissionários. A intenção é solucionar o principal problema hoje do município: o transporte público.  A temperatura se elevou quando o vereador de oposição Marquinho do Transporte (PDT), na tribuna, se irritou com a manifestação dos permissionários de vans. E disparou contra eles: “se estão insatisfeitos, que deixem o transporte”.

 

Consenso vai reunir Garotinho e Bacellar

Após a grita geral, a sessão foi interrompida por 1h30. Mas, num raro momento de consenso, os vereadores voltaram para aprovar os dois projetos do Executivo. O problema maior é o preço da passagem de vans para pontos mais distantes do município. Ficou acertado um encontro de estudos de viabilidade técnica dos permissionários de vans e ônibus, e do Instituto Municipal de Trânsito de Transportes (IMTT). Depois do qual será marcada, em data e local ainda a serem definidos, uma reunião entre permissionários, edis do governo e oposição — entre eles Marquinho Bacellar (SD) —, técnicos do IMTT e o prefeito Wladimir.

 

Marquinho Bacellar no Folha no Ar

“Tem que ter culhão”?

Apesar do consenso no transporte público, antes a Câmara também esquentou por conta da entrevista ao Folha no Ar do prefeito Wladimir Garotinho na última sexta (24). Quando ele fez o balanço do seu primeiro ano e meio de governo, ao qual deu nota 7. Eleito presidente da Câmara em 15 de fevereiro, em pleito anulado pela atual Mesa Diretora, Marquinho Bacellar atacou: “Quem não tem diálogo é o mimado do prefeito. Ele diz que vereador quis ser sócio da Prefeitura, mas não teve coragem para falar o nome. Tem que ter culhão”. Talvez devesse cobrar o mesmo “atributo” a quem foi para a oposição após ter a delirante proposta recusada.

 

Quem assume?

Marquinho também falou da possibilidade de impeachment do prefeito, que foi tratada no programa da Folha FM 98,3 de sexta. Sobretudo se a oposição confirmar a vantagem que hoje possui na eleição da nova Mesa Diretora, com prazo até dezembro: “Você (Wladimir) não é preparado, não deveria sair de Brasília (deixou o mandato de deputado federal para disputar e ganhar a Prefeitura em 2020). Disse que ouviu que estamos tramando impeachment. É mentira, se você viesse aqui, ouviria a verdade. Se algum vereador que falou, assuma”, cobrou o vereador da oposição ao prefeito e aos próprios colegas.

 

Nélio Artiles no Folha no Ar

Covid volta a matar

Após um tempo sem produzir óbitos em Campos, a Covid voltou a assustar quem achava que a pandemia já era coisa do passado. Nos boletins semanais, o divulgado na última sexta-feira, registrou seis mortes pela doença. Cinco na própria semana passada e um nela confirmado, mas ocorrido no dia 9. No programa Folha no Ar do início da manhã de ontem (28), o médico infectologista Nélio Artiles alertou para a necessidade de reforço das vacinas. Segundo a secretaria municipal de Saúde, 87% dos campistas receberam a primeira dose, enquanto 78,16% tomaram a segunda dose, 41,6% a terceira dose e apenas 8,69% a quarta dose.

 

 

Vacinas e máscaras

“A grande maioria das pessoas dos que estão nas UTI brasileiras com Covid é de não vacinados. Quanto aos vacinados, qual a quantidade de doses? Entre os vacinados, a gente sabe que, passados seis meses, a proteção diminui de maneira significativa. Há a necessidade de repetição da vacina a cada seis meses. Há também a questão da mutação do vírus. Essa variante Ômicron já veio com uma perspectiva de letalidade menor, embora com maior transmissibilidade. As pessoas também passaram a se proteger menos, abandonando o uso de máscaras, o que aumenta a circulação do vírus”, analisou o infectologista Nélio Artiles.

 

Graziela Escocard no Folha no Ar

Dia do Museu

No início da manhã de hoje, a entrevistada do Folha no Ar é a historiadora Graziela Escocard, diretora do Museu Histórico de Campos, que completa 10 anos nesta quarta. O programa da Folha FM 98,3 deve se encerrar às 9h. Depois, a agenda do Museu está cheia. Às 10h, haverá apresentação musical da Lyra de Apolo na Praça do Santíssimo Salvador. Às 11h, se dará a cerimônia de enterramento de uma cápsula do tempo, com cartas impressas e salvas em pendrive. Às 18h, será aberta a exposição “SB Cultural”, com quadros de Renato Pessanha. Às 19h, fecha o dia o debate “Museu Histórico de Campos — 10 anos contando nossas histórias”.

 

Ao Livro Verde

As homenagens desta quarta à história viva de Campos não se resumem ao seu Museu. Presidente da CDL, o empresário e arquiteto Edvar Junior convida para celebrar, a partir das 9h30 da manhã, os 178 anos da livraria Ao Livro Verde. Fundada em 13 de junho de 1844, no período imperial, é a livraria mais antiga do Brasil, sem nunca ter sido fechada ou mudado de endereço. Há quase um século sob o comando da Família Sobral, hoje a Ao Livro Verde tem como proprietário o comerciante Ronaldo Sobral, dando continuidade ao trabalho do seu pai, o saudoso Dr. João Sobral. Depois, a intenção é todos irem juntos à homenagem ao Museu.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário