Exame/Ideia também projeta 2º turno de Lula e Bolsonaro

 

(Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

Feita entre as últimas sexta (15) e quarta (20), a pesquisa presidencial Exame/Ideia divulgada hoje é a quinta deste mês de julho a apontar o segundo turno entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL). Isso depois que as pesquisas de maio e junho vinham apontando a possibilidade de o petista fechar a fatura já no primeiro turno. Segundo a Exame/Ideia, Lula permanece na liderança isolada da corrida, com 44% de intenções de voto na consulta estimulada. São 11 pontos de vantagem sobre os 33% de Bolsonaro. Na projeção do segundo turno de 30 de outubro, o ex-presidente bateria o atual por 47% a 37%. A pesquisa ouviu 1.500 pessoas por telefone, com margem de erro de 3 pontos para mais ou menos.

Na Exame/Ideia estimulada ao primeiro turno, depois de Lula e Bolsonaro, vieram o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 8%; a senadora Simone Tebet (MDB), com 4%; o deputado federal André Janones (Avante), com 2%; e o cientista político Luiz Felipe D’Ávila (Novo) e o empresário Pablo Marçal (Pros), com 1% cada; mais 4% de branco e nulo e 2% de indecisos. Os demais presidenciáveis ficaram abaixo de 1 ponto percentual.

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

Se as pesquisas de maio e junho, incluindo duas Datafolha, chegaram a indicar a possibilidade de Lula ganhar a eleição já no primeiro turno, todas as pesquisas de julho vinham mostrando, dentro das suas margens de erro, queda de Lula e recuperação de Bolsonaro. Foi o que revelaram as duas últimas pesquisas PoderData, divulgadas em 6 e 20 de julho, assim como a Genial/Quaest de 6 de julho e a BTG/FSB de 11 de julho. Comparado com sua pesquisa anterior de 23 de junho, a Exame/Ideia de hoje registrou queda de 1 ponto de Lula: de 45% a 44%. Mas também registrou queda ainda maior, de 3 pontos, de Bolsonaro: de 36% a 33%.

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

A depender de confirmação das próximas pesquisas, essa queda do presidente só na Exame/Ideia pode refletir a reação ao ato promovido por ele no Palácio do Alvorada, com estrutura pública do governo, na última segunda (18). Quando reuniu embaixadores de 70 países estrangeiros para repetir mentiras comprovadas contra o mesmo sistema eleitoral que elegeu Bolsonaro e seus filhos. E mereceu a condenação de quase todas as instituições e pessoas públicas do país. Assim como da embaixada e do Departamento e Estado dos EUA, que reforçaram sua crença na lisura das eleições brasileiras e cobraram respeito ao resultado. Pesquisas internas do próprio PL, partido do capitão, já revelaram que seus ataques sem provas à urna eletrônica que o elegeu em 2018 são encarados como discurso de perdedor em 2022.

— A exemplo do que vem apontando os demais institutos, por diferentes metodologias, a 73 dias das eleições, a Exame/Ideia, divulgada hoje também aponta para um segundo turno entre Lula e Bolsonaro. Lula oscilou 1 ponto percentual para baixo, com 44% das intenções de votos, enquanto Bolsonaro caiu numericamente 3 pontos, para 33%. No levantamento anterior, divulgado em junho, Lula tinha 45% e Bolsonaro, 36%. Na PoderData divulgada ontem, Lula registrou 43% e Bolsonaro 37%. Considerando a margem de erro das duas pesquisas, 2 pontos para cima ou para baixo no caso da PoderData, os resultados são idênticos, reforçando a pouca mudança na intenção de votos dos eleitores e a alta probabilidade de segundo turno — analisou o geógrafo William Passos, com especialização doutoral em Estatísticas do Setor Público, da População e do Território na Escola Nacional de Ciências Estatísticas (Ence) do IBGE.

O fato é que a Exame/Ideia confirmou todas as demais pesquisas de julho. No segundo turno hoje projetado, Lula venceria não só Bolsonaro fora da margem de erro. Mas qualquer outro possível adversário. O ex-presidente bateria Ciro por 44% a 31% e Tebet por 48% a 25%. Por sua vez, o atual presidente venceria Ciro, mas no empate técnico, por 39% a 35%. E, fora da margem de erro, bateria Tebet por 40% a 26%.

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

O que explica a derrota do capitão para Lula no segundo turno, como seu empate técnico com Ciro, é a rejeição. Bolsonaro lidera o índice negativo. Pela Exame/Ideia ele tem 46% dos eleitores que não votariam nele de maneira nenhuma. Lula vem logo atrás, com rejeição também muito alta de 40%. Bem atrás, Ciro tem 19%, com apenas 7% para Tebet.

 

(Infográfico: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

 

— No segundo turno entre Lula e Bolsonaro, a Exame/Ideia mostra intenção de voto um pouco menor para Lula, de 47%, em relação à PoderData divulgada ontem: 51%. Mas nada que altere a vitória do petista no segundo turno. Já as intenções de voto de Bolsonaro, dentro da margem de erro, são as mesmas pelas duas pesquisas realizadas por telefone. Na Exame/Ideia de hoje, Bolsonaro alcança 37%. Na PoderData de ontem, 38%. Quanto à rejeição, o cenário se mantém estável nas oscilações entre as duas pesquisas. Na Exame/Ideia, 46% dos eleitores não votariam de forma alguma em Bolsonaro, contra 52% da PoderData. Já 40% na Exame/Ideia não votariam de jeito nenhum em Lula, contra 38% da PoderData — finalizou William.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário