O que apoio de Garotinho a Castro muda em Campos?

 

Rodrigo Bacellar, Cláudio Castro, Anthony Garotinho, Helinho Nahim, Frederico Paes, Washigton Reis, Castro, Wladimir Garotinho e Bruno Dauaire (Montagem: Eliabe de Souza, o Cássio Jr.)

A foto da convenção estadual do União no domingo (31), com o governador Cláudio Castro (PL) e o ex-governador Anthony Garotinho (União) de rostos constrangidos, foi notícia de repercussão nacional. Mas o que muda em Campos, na composição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal e na tentativa de imposição pela oposição de 5% de remanejamento no Orçamento de 2023 ao governo Wladimir Garotinho (sem partido), que também esteve Castro na segunda (1º)? O prefeito de Campos não revelou o que acordou com o governador, mas reforçou seu apoio a ele em outubro:

— Vou trabalhar pela reeleição de Cláudio Castro e vou confiar no que ele me disse, que neste momento cabe a mim e a ele — disse Wladimir.

Já segundo o vereador de oposição Helinho Nahim (Agir), primo do prefeito, o apoio de Garotinho a Castro não muda nada na Câmara de Campos:

— Falei ontem por telefone com o nosso líder, o deputado estadual Rodrigo Bacellar (PL, que só saiu da secretaria de Governo de Castro para se candidatar à reeleição na Alerj). E orientação dele foi de que nada mudou na Câmara. O que tem que mudar é a maturidade do prefeito. Rodrigo disse que Castro não esperava o apoio de Garotinho (formalizado na convenção do União) e ficou até constrangido. Se tiver condições jurídicas para se candidatar (espera julgamento previsto para sexta, dia 5, das provas da Chequinho no Supremo Tribunal Federal), Garotinho deve se eleger deputado federal. O que, na minha opinião, seria bom para Campos. Por ter mais um representante em Brasília e para ele parar de ficar se metendo na política da cidade. Mas, para Campos, é só isso — garantiu Helinho, sobrinho de Garotinho.

O prefeito Wladimir respondeu ao primo, também em tom forte:

— Quanto às palavras do vereador Helinho Nahim, quem precisa de maturidade é ele, que ainda não entendeu que não vou ceder a chantagem.

Outras fontes governistas dão conta que o apoio de Garotinho à candidatura de Castro a governador, a quem vinha atacando de maneira pesada, pode sim mudar a relação entre governo de Campos e a oposição comandada pelos Bacellar. Quer seja na mudança do percentual de remanejamento do prefeito no Orçamento a ser aprovado na Câmara, quer seja na composição da sua nova Mesa Diretora, que tem até dezembro para ser eleita.

Candidato a vice-governador na chapa de reeleição de Castro e ex-prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis (MDB) é aliado dos Garotinho. E tem disputado espaço com Rodrigo dentro do governo estadual.

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Deixe um comentário