Construtor candidato a prefeito em 2012 para descontruir vícios nas obras públicas

No próximo dia 6, o empresário Clodomir Crespo assina sua filiação ao PV, pelo qual pretende concorrer à Prefeitura de Campos, com apoio do presidente municipal do partido, o advogado Andral Tavares Filho, também pré-candidato à eleição majoritária de 2012. Ao defender o programa de governo que elegeu Rosinha prefeita em 2008, como o melhor já elaborado para o município, Clodomir não tem papas na língua para apontar o descumprimento de vários pontos e os supostos motivos, sobretudo em relação às obras públicas. Engenheiro e construtor, ele afirmou ter entregue ao deputado federal Anthony Garotinho (PR), em março de 2009, uma planilha orçamentária provando tecnicamente que o preço correto do programa municipal “Morar Feliz”, com toda infra-estrutura necessária, seria de R$ 50 mil por unidade habitacional, não os R$ 70 mil aprovados, o que teria gerado um super-faturamento de R$ 102 milhões nas 5,1 mil casas já licitadas, entre as 10 mil prometidas.

Enquanto vê dinheiro demais por um lado, Clodomir aponta àquele que parece de menos no pagamento às empreiteiras, gerando o atraso e a paralisação das obras públicas do município. Como resposta a quem também quiser questionar o fato de que ele já teria participado, enquanto construtor, do mesmo esquema que agora denuncia, mas garante ter abandonado desde 31 de maio de 2007, ele apresentou todos seus dados, enquanto pessoa física e jurídica, para a devida conferência. Na sua visão, a melhor maneira de se administrar a cidade seria aquilo que define como “gestão empresarial pública”, unindo empresários e trabalhadores para que os bilionários recursos de Campos sejam integralmente investidos no município.   

 

(Foto de Alessa Oliveira)
(Foto de Alessa Oliveira)

 

Folha da Manhã — Você inicialmente planejou aqui lançar sua candidatura levando uma série de questionamentos técnicos às obras públicas municipais ao Ministério Público. Por que mudou de idéia? Receio de não dar em nada?

Clodomir Crespo — De jeito nenhum, tenho certeza que o Ministério Público cumprirá com seu dever, só que cheguei à conclusão que já tem e terá mais ainda tanta gente e tantas instituições insatisfeitas com os desmandos praticados pelo governo municipal atual, que serei apenas mais um com os mesmos questionamentos.

 

Folha — Por que essa impressão generalizada de que a grande maioria das obras públicas municipais estaria parada ou a passos muito lentos? Isso realmente está acontecendo? Quais os motivos?

Clodomir — Esta acontecendo de forma generalizada e a olhos nus, só não enxerga quem não tem interesse de enxergar, ou seja, os responsáveis pelos fatos. E o motivo é simples: as empresas vem tendo seus pagamentos por serviços prestados com frequentes atrasos, muitas vezes de mais de 90 dias; estão com pendências ainda atrasadas e, o que é pior, não confiam mais neste governo para adiantarem os cronogramas. Se fizerem isso, sabem que correm o risco de ficar sem receber.

 

Folha — Como encarou a notícia de que na última segunda, em tensa reunião de cinco horas na Prefeitura, Garotinho teria feito cobranças pesadas ao secretariado de Rosinha, especialmente sobre Tom Zé e César Romero, chegando a ameaçá-los de exoneração, caso as obras públicas não acelerem o ritmo? Acha que o caminho é por aí?

Clodomir — É um verdadeiro absurdo, pois além dele não ter oficialmente essa autoridade, que deveria ser da prefeita eleita por 1/3 da população votante de Campos, o prefeito de fato ainda quer exigir das empresas que acelerem os serviços sem nenhuma garantia de quando e se vão receber, pois já está mais do que provado que eles não têm nenhum compromisso com as necessidades impostas às empresas de cumprir suas obrigações com seus funcionários e seus fornecedores.

 

Folha — Um dos questionamentos que você projetou levar ao MP se refere ao valor de R$ 70 mil por unidade do “Morar Feliz”, menina dos olhos do governo Rosinha. Falando tecnicamente, como engenheiro e construtor, o que há de errado no programa?

Clodomir — Diversas coisas, tanto política quanto administrativamente. Primeiro, Garotinho tem em mãos, entregue por mim em março de 2009, uma planilha orçamentária provando que o preço certo e justo das casas deste belo programa habitacional, chamado “Morar Feliz”, é de R$ 50 mil por casa, com toda infra-estrutura necessária. Quantos milhões de motivos políticos e pessoais ele teve para aprovar um preço R$ 20 mil acima? Só na primeira etapa prometida, de 5,1 mil casas, temos um super-faturamento de R$ 102 milhões, bancado pela dinheiro público. Em segundo lular, nesta primeira etapa foram prometida 5,1 mil casas, divididas em 13 obras em 13 bairros diferentes do nosso município, fato que poderia ter gerado 13 oportunidades de licitações, onde dezenas de empresas de nossa região poderiam ter participado, alavancando o empresariado regional em todos os segmentos, inclusive as nossas cerâmicas, que receberam a promessa de aquisição de tijolos e telhas, o que não foi cumprido. No entanto, o que foi arbitrariamente feito: unificaram as treze obras em único e imoral edital de licitação de nº 004/2009, formando um bolão de R$ 357.963.677,57, com exigências de atestados técnicos em quantidades absurdas para o objeto do projeto, casas populares, e capital social elevadíssimo, fazendo com que todas as empresas de nossa região ficassem impedidas de ao menos participar da licitação citada. Pergunto: quantos milhões de motivos políticos e pessoais os levaram a prejudicar tantas empresas? E não digam que foi por capacidade operacional, pois as obras estão claramente atrasadas, correndo o risco de não serem concluídas, e olha que o prometido eram 10 mil casas. Em terceiro lugar,  junto a esse belo projeto “Morar Feliz” poderia estar agregado o programa semelhante do governo federal, “Minha Casa, Minha Vida”, em mais 10 mil casas que estamos proibidos de receber para nossa população mais carente, por não haver interesse sério de legalização de nosso município junto ao programa federal, por motivos políticos pessoais do prefeito de fato, que também quer ser presidente da República.

 

Folha — Acredita que a prefeita Rosinha conseguirá cumprir sua promessa de entregar as 10 mil casas populares prometidas? Se não, qual o motivo e o número de habitações que julga ainda ser possível entregar antes de 2013?

Clodomir — Humanamente impossível, por causa do tempo útil de mais ou menos oito meses, pois teremos chuvas e outras causas de atraso, e, financeiramente, impossível também, já que está havendo dificuldade de pagar em dia a metade do prometido. Acredito que se eles conseguirem restabelecer a confiança das empresas envolvidas talvez terminem a metade do prometido.

 

Folha — Para quem não é do meio, a impressão é que esse descontrole em relação às obras públicas teria se iniciado com a queda da ponte Gal. Dutra, em janeiro de 2007, ainda no governo Mocaiber. Concorda? Por quê?

Clodomir — De jeito nenhum. Este governo teve e tem todas as melhores condições necessárias para bem governar, só que a falta da verdadeira intenção continua prevalecendo, o que não é nenhuma novidade nos últimos 27 anos.

 

Folha — São apenas esses questionamentos? Se não, quais outros? Algum não relativo apenas a obras?

Clodomir — São tantos que nem um ano de folhas de jornal daria para resumir 27 anos de desmandos e o principal é que ambos continuam tentando transformar mentiras em verdades, o que conseguiram por quase trinta anos, mas os fatos não deixam mais dúvidas. A farsa acabou, o império está ruindo, a credibilidade já terminou.

 

Folha — Você confessa que o melhor programa de governo para Campos já está pronto: o que elegeu Rosinha em 2008. Quais, então, as dificuldades para cumpri-lo?

Clodomir — Não tenho dúvida da qualidade do programa inteligentemente elaborado, mas a falta de seriedade com os objetivos e obviamente a forma de executá-los destrói toda a bela aparência, como por exemplo a duplicação do trecho da estrada estadual do Jockey Club a Goytacazes. Pergunto: Por que não foi feito em oito anos de seus mandatos no governo do estado? Por que não está sendo feito pelo atual governo estadual, poupando os cofres municipais para outros projetos mais urgentes? A resposta é óbvia: Garotinho também quer ser novamente governador. Por que estaá sendo feita por quase o triplo do preço por km de estrada asfaltada com toda a infra-estrutura? E não culpem a construtora contratada, pois quem faz planilha orçamentária e edital de licitação são os governos, sejam municipal, estadual ou federal. Enfim, não existe dificuldade, existem falta de seriedade e muitos interesses políticos pessoais, pois este é o governo que comete os desmandos e depois tenta desfazê-los, cancelando licitações e contratações irregulares e reduzindo acordos já firmados, para tapar rombos com desculpa de preocupação com o futuro.

 

Folha — Ao assumir publicamente que você tem a pretensão de concorrer à Prefeitura pelo PV, o presidente municipal da legenda, Andral Tavares Filho, disse, no entanto, que a pré-candidatura dele está mantida. Como e quando se dará essa definição?

Clodomir — Não há, nem nunca haverá nenhuma disputa entre mim e o Dr. Andral Tavares. Somos amigos, com interesse comum em fazer alguma coisa para o bem da nossa cidade. Seja quem for o escolhido pelo partido, estaremos unidos com os mesmos objetivos políticos para Campos, que é implantar em nossa Prefeitura a “gestão empresarial pública”, que significa a união de todos os segmentos empresariais com todos os trabalhadores, do simples botequim à mais complexa siderúrgica, fazendo com que tudo o que for produzido em nosso município seja revertido e aplicado 100% em nosso município. Acabando com todo e qualquer desvio, seja por interesse político ou material pessoal.

 

Folha — Você é conhecido por seu temperamento forte e parece estar disposto a bater na campanha de 2012. Está preparado também para apanhar, dos mais variados lados e sem perder a linha, capacidade exigida a qualquer um que ingresse na vida pública?

Clodomir — Sou de temperamento forte em defesa do que é certo e do que é justo, não vou entrar na política para agredir ou ofender quem quer que seja, sem motivos ou por leviandade. Quero discutir novas formas de fazer política, principalmente para nossa cidade de Campos e nossa região, tão privilegiada por Deus e tão mal usada pelos homens que se desvirtuaram do caminho certo e honesto. Coloco meu nome, Clodomir Inácio Siqueira Crespo, cpf 472.249.167-49, cic 06090596-5 e o nome de nossa empresa DAC CONSTRUÇOES E PAVIMENTAÇÕES LTDA, CJPJ n. 04258559/0001-77, para serem checados na Polícia Federal, Ministério Público Federal e Estadual, Justiça Federal e Estadual, ou qualquer outro órgão, se tenho ou temos qualquer processo de natureza desonesta ou de improbidade. Não fui, não sou e nem pretendo ser nenhum homem isento de crítica. Tenho defeitos e qualidades que considero normais, os quais coloco à avaliação de toda a população de Campos. Já tive e tenho momentos de dificuldades financeiras, principalmente por ter acreditado em administrações públicas desonestas e sem compromisso com a verdade e a probidade, me causando sérios prejuízos financeiros, que me fizeram abandonar a participação de serviços públicos quer sejam federais, estaduais e municipais, desde 31 de maio de 2007. Tenho mais de 35 anos de trabalho e nunca fui processado por qualquer tipo de falcatrua.

 

Folha — Na postagem do blog Opiniões que anunciou sua pré-candidatura, um comentarista sugeriu aqui que lhe fosse perguntado o que sua mulher fornecia ao governo Mocaiber. A referência parece ser a empresa Nutrinut Refeições, da sua companheira, Valéria Mendes. Pode responder ao leitor?

Clodomir — Sou divorciado há mais ou menos 10 anos e tenho um relacionamento respeitoso de homem e mulher com a Sra. Valéria Mendes, a quem conheço como uma empresária com mais de 20 anos no ramo de alimentação, que já prestou serviços a todos os governos municipais, desde o segundo mandato de Garotinho, até o do Dr. Alexandre Mocaiber, assim como a dezenas de empresas privadas de grande e médio porte em diversas regiões do estado do Rio Janeiro e Espírito Santo, já que ela é uma profissional qualificada e competente. Portanto, apesar de não ter nenhuma interferência na vida profissional de Dona Valéria Mendes, tenho por ela imenso amor e respeito, sentimentos de homem que não dizem respeito a ninguém, mesmo passando a ter uma atividade pública.

 

Folha — Até onde o projeto da sua candidatura nasce do inconformismo com a maneira como as obras públicas municipais estão sendo conduzidas, e até que ponto isso é fruto de simples ressentimento de quem ficou de fora? E, caso eleito, sua DAC Construções continuaria fora?

Clodomir — Não tenho nenhum ressentimento em estar de fora, até porque se aceitasse as regras do jogo sujo, estaria dentro, por minha capacidade profissional. Minha decisão aos quase 54 anos é simplesmente por não querer morrer omisso politicamente como fui por todos estes anos, assim como a grande maioria dos homens de bem de nossa cidade. Contudo como bem disse Martin Luther King, no slogan escolhido pelo Partido Verde: “Pior do que o grito dos desonestos, pior do que o grito dos corruptos, pior do que o grito dos canalhas e pior do que o grito dos sem caráter, é o silêncio dos bons”. E sem nenhuma dúvida nossa empresa jamais participaria de nenhum projeto público municipal, até porque meu filho Dac Crespo, que é o dono e administrador da DAC Construções, tem sua vida já direcionada a diversos projetos privados, que são mais do que suficiente para sustentá-lo e à sua família.

 

Folha — Você ressalta não disputar mais licitações públicas, dizendo ter se recusado a praticar as irregularidades que constatou no governo Mocaiber. Mas não era a mesma coisa quando você também participava, uma vez que a promiscuidade entre empreiteiras e o poder público está longe de ser novidade, pelos menos desde 1993, quando explodiu o escândalo nacional dos Anões do Orçamento, com envolvimento direto da mesma Odebrecht que ganhou a licitação de R$ 357 milhões para a construção de 5.100 casas, como a Folha antecipou meses antes dos envelopes serem abertos?

Clodomir — Participei de algumas obras públicas no governo estadual nas gestões de Garotinho e Rosinha, e nunca tive por parte de nenhum dos dois qualquer tipo de chamamento para qualquer negociação escusa. Como em todos governos, existe um percentual de processos honestos, tanto que quase quebrei no final de 2006 e início de 2007, por não ter recebido serviços executados em três obras terminadas e duas inacabadas pelos governos de ambos. Trabalhei por 11 meses para o governo Mocaiber, onde executei três obras, todas entregues até 31/05/2007, obras essas que foram elogiadas pela fiscalização feita pelo então prefeito interino Roberto Henriques. Nunca fiz obras ou serviços para governos municipais de Garotinho, Arnaldo Vianna ou Sérgio Mendes. O pouco que executei de obras públicas, fiz com responsabilidade e tomei grandes prejuízos, exatamente como acontece com toda empresa honesta. Quanto à parceria Garotinho/Odebrecht só ele pode responder sobre seus reais motivos para fazer esta covardia com o empresariado de nossa região.

 

Folha — Acredita sinceramente que alguém egresso de uma categoria tão estigmatizada como a dos empreiteiros, que nunca foi testado nas urnas, tem alguma chance real de se eleger prefeito, diante do franco favoritismo de Rosinha?

Clodomir — Não sou nem nunca fui pertencente a nenhuma categoria específica. Quem me conhece e até quem não me conhece pessoalmente sabe que sou trabalhador e pertenço a uma família de trabalhadores, comerciantes em diversas atividades como agropecuária, comércio de carnes, obras e prestação de serviços privados. Acredito que toda Campos está ávida de um novo procedimento político, limpo e honesto. E isso não é utopia, é perfeitamente viável em um município independente financeiramente como o nosso. Basta governar sem desviar, e a “gestão empresarial pública” viabiliza todo esse processo. Eles também sabem disto, só não se interessam por fazer o que deve ser feito. Não acredito em nenhum favoritismo de políticos que renegam seu próprio nome e que mesmo gastando fortunas em lugar onde já tiveram 90% dos votos da população, elegeram-se com apenas 1/3 do eleitorado e assim mesmo porque não havia à disposição da população nenhuma opção decente e viável, seja por candidatos de pouca expressão política, seja por candidatos dilapidados moralmente. Quando a população de nossa Campos, em todos os recantos, souber detalhadamente tudo que está por trás de cada projeto em execução e em cada contratação que está sendo praticada em nossa Prefeitura, vamos ver onde estará o favoritismo.

 

Folha — Por que o leitor não deve desconfiar que sua postulação, caso se confirme, não seria uma candidatura de apoio para atacar Rosinha, como o hoje deputado federal Paulo Feijó claramente fez em 2008, auxiliando a eleição da prefeita ao chamar para si o confronto direto com Arnaldo Vianna?

Clodomir — Não tenho e nunca tive nenhum compromisso com essa oposição que esta aí para tomar o poder e continuar os mesmos desmandos. Escolhi o Partido Verde por encontrar nele pessoas com o propósito de honestidade. Junto a outros partidos independentes e com os mesmos princípios faremos a verdadeira revolução política local, que começa com a participação e conscientização dos homens e mulheres de bem, que não concordam com a forma cruel e desgastada com que somos governados por políticos que pensam que Campos dos Goytacazes é sua propriedade particular, à disposição de sustentar seus projetos políticos psicopatas, só satisfazendo seus interesses pessoais em detrimento de toda a população. Portanto, não sou político profissional. Sou um homem de bem e maduro que quer fazer política para o bem de todos. Por favor, não me compare a nenhum desses políticos.

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 17 comentários

  1. CLAUDIO MARQUES

    O SENHOR CLODOMIR SABE O QUE FALA , POIS JÁ PRESTEI SERVIÇO PARA ELE, E ERA PONTUAL, ENCONTREIO ANO SEGUINTE, JUSTAMENTE NA SECRETARIA DE OBRA, TENTANDO RECEBER FATURA DE OBRA QUE TINHA EXECUTADO NO ANO ANTERIOR E NÃO TINHA AINDA RECEBIDO DO ATUAL GOVERNO, OUTRA COISA CLODOMIR A ODEBRECHT GANHA ÁS OBRAS, PORQUE O SECRETÁRIO DE INFRA-ESTRUTURA TODO MUNDO SABE É EGRESSO DA MESMA, ELE ERA GERENTE DAS OBRAS DOS CIEPS, EM CAMPOS , POIS TRABALHAVA COM ELE NA ODEBRECHT. E QUEM ESTÁ FAZENDO O ESTALEIRO DO BARRA DO FURADO, VÊ SE A MESMA VEM A PÚBLICO E FALA DA MUTILAÇÃO DE UM BRAÇO DO FUNCIONÁRIO MARCELO. A ODEBRECHT DEGRADA O MEIO AMBIENTE, NA DRAGAGEM DO CANAL DAS FLECHAS, ALÉM DO BRAÇO ESMAGADO O MARCELO FICOU SEM UM DOS DEDOS DA MÃO ERQUERDA, EU MESMO TENHO UM AÇÃO CONTRA A ODEBRECHT NA JUSTIÇA, TRTABALHAVA NA DRAGQAGEM DO RESPECTIVO CANAL COMO ENCARREGADO DE DRAGAGEM MAIS RECEBIA COMO ENCARREGADO CIVIL, COM A CONIVENCIA DO SINDICATO E DELEGACIA DO TRABALHO. CORRE AÇÃO NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO CONTRA A ODEBRECHT E TAMBÉM NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AÇÃO FOI ABERTO INQUÉRITO POR DESVIO DE VERBA NAS OBRAS DO PAC.

  2. robson moreira

    caros amigos esse senhor clodomir se referiu a duplicaçao da rj 216 campos goitacazes em super faturamento…..so para vcs terem uma ideia de campos a goitacazes sao 7 km e obra foi orçada em 50 milhoes……agora façam uma comparaçao d campos a itaperuna ou itaperuna a campos br 356 ela tem 100 km de extensao e a obra q ali foram feitas e muito bem feitas ficou orçada em 46 milhoes de reais entao acho eu q na obra de 7 km da rj 216 com 7 km de obra E ESTAR ORÇADA EM 50 MILHOES ACHO EU Q TEM COISA ERRADA NESSE ORÇAMENTO,, ISSOOOOOO EEEEE UMAAAAAA VERGONHAAAAAAAA

  3. MARCOS AZ

    MEU CARO ROBSON MOREIRA, ME DESCULPE MAS A BR-356 FOI FEITA SIM E BEM FEITA COM RECURSOS CONSEGUIDOS PELO DEPUTADO FEDERAL GERALDO PUDIM POR SINAL , FOI FEITO SÓ ASFALTAMENTO MEU CARO . A OBRA DE 7 KM QUE VC DIZ DA 28 A GOYTACAZES Ñ É SÓ ASFALTAMENTO , SÃO GALERIAS QUE TERÃO QUE SER FEITAS NO PERCURSO , NOVA ILUMINAÇÃO,E MAIS NA VERDADE Ñ SERIA 7KM POIS A PISTA TEM DUAS VIAS INDO E DUAS VINDO SOMANDO-SE14 KM CORRETO OU Ñ ?E VC TEM QUE SABER TAMBEM QUE TODOS OS BAIRROS QUE ESTARÃO CIRCUNVIZINHOS DESSA AVENIDA TERÃO QUE SOFRER ALTERAÇÃO PARA RETORNO , TUDO INCLUIDO .
    O PROBLEMAS É QUE VCS Ñ EXPLICAM ISSO A POPULÇÃO . SEJA CLARO E OBJETIVO MEU CARO. NOS GOVERNOS PASSADOS (trecho excluído pela moderação) QUESTIONAVA NADA Ñ É MESMO.
    QUESTIONE SIM MAS COM CONHECIMENTO DE CAUSA

    ABRAÇO

  4. MARCOS AZ

    ME ESQUECI , TEM CICOLVIA TAMBEM M, E MUITO MAIS

  5. MARCOS AZ

    Ñ ADIANTA , CAMPOS Ñ VAI MAS PARAR NAS MÃOS DE PESSOAS QUE Ñ PENSAM NA POPULAÇÃO , TODO GOVERNO TEM SEUS ERROS , MAS VEJO QUE ESSE GOVERNO QUEER ACERTAR , SÓ Ñ VER QUEM Ñ QUER.

  6. Paulo

    Clodomir, a sua resposta qto a sua “companheira” não convence… Tire seu TELHADO de VIDRO primeiro e depois tente-se contrapor a práticas que vc próprio compartilha (trecho excluído pela moderação). Empreiteiro querendo ser candidato a Prefeito, isso é clichê!

  7. CIRO CRUZ

    Marcos AZ!Trabalha para qual político?Tem algum cargo na prefeitura?Responda então por que Rosinha não paga aos fornecedores da prefeitura?Não é só empreiteira não!Fornecedor de remédios!De frota de carros alugados!De casas alugadas!E muito mais!Vc tem alguma explicação?Tenho amigos empresários honestos que alugaram carros 0Km para secretarias e que está a mais de 8 meses sem receber!Por que?Quem defende GarotinhoS tem interesse pessoal!Quem os detesta tem pleno conhecimento de causa do que fala e sabe que Campos poderia ser melhor sem eles!Mas tem os que de qualquer jeito está bom!Se contentam com passagem R$1/Comida R$1/Remédio R$1 – e esta é a maioria infelizmente!A minha mepregada é uma delas!Não quer que eu assine sua carteira, porque se assinar ela deixa de receber bolsa família!As pessoas não querem ver Campos com ótimos hospitais/escolas/ruas novas/limpa!Porque isso não traz benefício pessoal!Por que Vitória-ES tem um orçamento menor que Campos e tem ruas novas?Escolas reformadas!Acorda Marcos!Vc deveria conhecer outros estados para falar que Rosinha é uma boa prefeita!!

  8. MARCOS AZ

    CIRO CRUZ , VC FALA DA PASSAGEM A 1 REAL DO CARTÃO ALIMENTAÇÃO DE CEM REAIS PORQUE VC DEVE SER RICO E Ñ SABE O VALOR DISSO PARA QUEM REALMENTE NECESSITA. ALIÁS COMO VC DISSE NÉ É RICO MESMO , TEM VÁRIOS AMIGOS QUE TEM CARRO ZERO NA PMCG Ñ É MESMO ? SINDA A FOME NA PELE MEU CARO É COMPLICADO, VC PENSA QUE A PREFEITA GOSTARIA QUE TIVESSE GENTE COM ESSAS NECESSIDADES EM NOSSA CIDADE ? CLARO QUE Ñ ; MAS INFELIZMENTE EXISTE AINDA PESSOAS QUE NECESSITAM DO APOI SOCIAL DA PREFEITURA. MAIS UMA COISA Ñ DE 1 REAL A SUA EMPREGADA PARA IR E VIR TRABALHAR Ñ , DE O VALOR DE 1.60 OK , PELOMENOS SOBRA 1.20 PARA ELA TER O SEU PÃO PARA TOMAR O CAFÉ DA MANHÃ .

  9. MARCOS AZ

    CIRO CRUZ ! E SE SUA EMPREGADA MORAR EM MORRO DO SANTO EDUARDO VC Ñ DA 1 REAL A ELA Ñ DA 7 REAIS OK PELO MENOS NO FINAL DO M~ES ELA Ñ NECESSITA PEGAR O CHEQUE DE 100 TA BOM. REFLITA ISSO CARO COMPANHEIRO.

  10. MARCOS AZ

    MEU CARO CIRO CRUZ , NÃO FALE SEM PROVAS CONCRETAS SÓ COM DENUNCIAS VAZIAS , Ñ ACREDITO QUE A PREFEITURA ESTA DEVENDO A 8 MESES A SEUS AMIGOS QUE TEM CARRO ZERO ALUGADO LÁ COMO VC DIZ. PROVE ISSO , NÃO DENIGRA A IMAGEM DAS PESSOAS SEM PROVAS CONCRETAS SÓ PARA FAZER PÓLITICAGEM.
    E OUTRA COISA , Ñ SOU CARGO DE (DAS) NA PMCG NÃO , APENAS ADMIRO A CORAGEM DESSA MULHER , QUE PEGOU A PREFEITURA COM TOTAL DESMANDO E AOS POUCOS ESTA COLOCANDO A CASA EM ORDEM .
    CRÍTICAS QUE AS FASSA , POIS NINGUEM É PERFEITO , MAS FASSA COM RESPONSABILIDADE E PROVAS CONCRETAS , Ñ DESTILANDO INVERDADES SOMENTE PARA ATRAPALHAR UM GOVERNO QUE TANTO VEM FAZENDO POR CAMPOS PARA TODAS AS CLASSES SOCIAIS .

  11. claudio vicentao

    e claro q o plano dela nas casas e eleitoreiro uma casa popular da contos votos ? gente essas obras e so pro ano que vem ano eleitoral e mas nada a guarda da sem apoio so dizem que estao estudando isso e aquelo ne na verdade falta medico remedio gente capacitada muitos querem e comer no coxo isso sim e essa patio norte kkk a diaria pra guarda seu bem no meio da lama e no tempo kkk povo de campos agorda povo de 1 real

  12. MARCOS AZ

    CLAUDIO VICENTÃO PRIMEIRO VC ENTRA NA ESCOLA DA PREFEITURA PARA SER ALFABETIZADO E DEPOIS VEM AQUI COLOCAR COMENTÁRIOS OK.

  13. MARCOS AZ

    CLAUDIO VICENTÃO , SEM COMENTARIOS PARA O SEU QUESTIOONAMENTO . MELHOR SE CALAR , Ñ VALE A PENA DEBATER CONTIGO.

  14. IGOR ANDRADE

    Tenho certeza que o claudio vicentão, é um antigo GUARDA MUNICIPAL.rsrsrsrs

  15. Aluysio

    Caro “Mister M”, IP: 200.216.216.13, comentarista das 10h14,

    Por motivos de ordem ética e legal, nenhum dos blogs hospedados na Folha Online pode aceitar comentários anônimos. Se quiser repetir o seu, ou fazer quaisquer outros, sobre este ou qualquer outro post, pedimos que utilize seu nome verdadeiro.
    Liberdade, pelo menos nos blogs hospedados na Folha, tem que rimar com responsabilidade.

    Abraço e grato pela colaboração!

    Aluysio

  16. robson moreira

    esse cidadao chamado de marcos AZ deva estar no COXOOOOOOOOOO

Deixe um comentário para robson moreira Cancelar resposta