Opiniões

Pausa

Por motivos de ordem pessoal, me ausentarei desta lida virtual do presente momento até o próximo dia 25, deixando você, generoso leitor do blog, na companhia por certa mais prazerosa dos traços do Zé Renato. Até lá, cientes da nossa própria pequenez, ao pé da Serra do Mar, que confere vértebras à nossa planície, ou da Cordilheira dos Andes, espinha dorsal de todo nosso continente, fiquemos com os versos do poema “Amigo”, do grande vate — poeta no sentido daquele que vaticina, que vê antes —  Pablo Neruda (1904/73):

“Amigo — faz com que na tarde se desvaneça

este inútil e velho desejo de vencer”

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 2 comentários

  1. Boa viagem e breve regresso.Vai fazer muita falta.

  2. Estou órfã.Gosto do teu blog como do do Gustavo Mateus.

Deixe uma resposta

Fechar Menu