Artigo do domingo — Garotinho 0,1% à frente de Beto Cabeludo

Beto Cabeludo

 

 

Historicamente, não há como negar que Anthony Garotinho Matheus (PR) e Arnaldo França Vianna (PDT) foram os dois prefeitos mais populares de Campos, a partir do advento do garotismo, que domina a política de Campos desde 1989. Mas se é o nome do primeiro que batiza o movimento — com merecimento por ter governado o Estado do Rio e depois eleito a mulher governadora, enquanto fazia 15 milhões de votos à presidência da República —, haverá alguém em sã consciência capaz de negar que, hoje, em qualquer disputa eleitoral na cidade natal de ambos, Arnaldo faria com Garotinho mais ou menos o que a Alemanha fez com o Brasil (aqui) da malsinada “Pátria de Chuteiras” petista da última Copa?

Aliás, se alguma dúvida havia de que o ex-prefeito Arnaldo Vianna (PDT) é hoje, de longe, o dono do maior cacife eleitoral de Campos, ela está desfeita pelas duas últimas pesquisas à sucessão da prefeita Rosinha Garotinho (PR) — também muito popular em seu primeiro governo, mas perigando se ombrear ao seu antecessor Alexandre Mocaiber, no julgamento póstero, pelo desastre da sua segunda administração. Se na pesquisa do instituto Informa (aqui), feita entre 19 a 22 de setembro, ouvindo 404 eleitores campistas, Arnaldo apareceu na consulta estimulada com 43,3% das intenções de voto, naquela feita pelo instituto Pro4 entre 22 e 24 de outubro, com 981 entrevistas, o pedetista bateu 42,5% também na estimulada.

Se todos os detalhes da mais atual consulta a prefeito de Campos, constam (aqui) na reportagem da página 2 desta edição, seu resumo poderia ser: se a eleição fosse hoje, Arnaldo seria eleito prefeito de Campos em turno único, com 55,2% dos votos válidos. Para se ter uma ideia do massacre que talvez fosse capaz de transformar os 7 a 1 num bulling inocente do pré-escolar, os dois pré-candidatos dos Garotinho, o vice-prefeito e secretário de Saúde Dr. Chicão de Oliveira (PP) e o líder da bancada rosácea, vereador Mauro Silva (PT do B, de mudança para o PSDB), teriam irrisórios 6,1% nas intenções de votos válidos. Isto, se fossem somadas.

Todavia, tudo parece indicar que Arnaldo, mais uma vez, não poderá ser candidato. Depois da publicação da pesquisa nesta edição de domingo, não será surpresa se o jornal do grupo de comunicação de Garotinho, a mando do seu dono mal assumido, se prestar a noticiar as pendengas jurídicas do seu mais popular opositor.

E ainda que essa perseguição vá cumprir o efeito prático de aumentar a popularidade de Arnaldo, a partir de sua vitimização, a verdade é que o ex-prefeito não demonstra, nem de longe, a mesma “competência” jurídica do ex-líder. Pode ser, por exemplo, no caso da decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello (aqui e aqui), primo do senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB), que liberou a candidatura de Rosinha e Chicão à reeleição em 2012, a apenas uma semana do pleito. Pode ser, em caso mais recente, a inesperada suspensão de efeito conseguida (aqui e aqui) numa dessas famosas Câmaras do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), que revisou (aqui) a corajosa sentença do juiz da 1ª Vara Cível de Campos, Elias Pedro Sader Neto, no polêmico caso da Santa Casa.

Enquanto Elias, Moros e Joaquins não forem a regra do nosso Judiciário em todas as suas instâncias, a tendência é que a “competência” jurídica de Garotinho, a exemplo dos Lulas e seus Toffolis, tenda a continuar prevalecendo. Pelo menos na esfera local a qual o político da Lapa foi reduzido, depois de não conseguir passar do primeiro turno da eleição a governador de 2014, e de conseguir perder no segundo (aqui), ao apoiar Marcelo Crivella (PRB), em cinco das sete Zonas Eleitorais (ZE’s) de Campos.

São as mesmas ZE’s que, pesquisadas agora pelo Pro4 na disputa pela Prefeitura, deram a Garotinho 0,2% de intenção de voto na consulta espontânea para uma eleição a prefeito à qual ele não pode concorrer. Menos mal que, ainda assim, o ex-governador conseguiu ficar 0,1% à frente de Beto Cabeludo, que teve 1.664 votos para vereador em Campos, na última eleição municipal.

Talvez Arnaldo tenha menos chance de concorrer a prefeito, do que Garotinho de se aventurar na mesma tentativa de Beto Cabeludo, visando formar uma grande bancada no Legislativo, numa necessidade imperativa de sobrevivência para quem se vir na iminência de perder o Executivo. Quem trabalha sempre com pesquisas, sabe toda a verdade que elas contêm.

Não por outro motivo, depois de Murillo Dieguez anunciar (aqui) em sua coluna da última sexta a consulta divulgada no domingo de hoje, com repercussão (aqui) no Blog do Bastos, e sabendo a partir das suas próprias pesquisas a realidade que o Pro4 iria revelar, Garotinho ontem usou a rádio do seu grupo de comunicação para atacar Arnaldo. Sem nada de novo, tentou esquentar uma velha denúncia, sobre supostas contas do ex-prefeito no exterior, que segundo seu algoz estariam ainda mais gordas, em virtude do aumento do dólar em relação ao real — motivado pelo fracasso econômico do lulopetismo no Brasil, muito parecido em motivo e método à crise particular na qual o garotismo mergulhou Campos.

Enquanto fala na alta do dólar em relação ao real, Garotinho esquece, ou finge, diante aos “aleluia” do seu público pago com dinheiro público, que esse deveria ser mais um motivo para não tentar se vender o futuro do município em dólar, na Bolsa de Nova York, para receber em real. Menos mal que o adiamento mês a mês (aqui) dessa “tenebrosa transação” indique que a mesma, a despeito dos muitos credores, esteja perigando (aqui) ir pelo ralo.

Enquanto isso, numa pesquisa que pode ser feita por qualquer internauta, basta entrar sem pedir na democracia irrefreável das redes sociais para constatar que uma simples foto postada (aqui) por Caio Vianna ao lado o pai, em seu mural pessoal no Facebook, até o momento em que este artigo era escrito, teve 1.137 curtidas. Isto em três dias.

Enquanto isso, a fan page do programa “Fala Garotinho” (aqui) no mesmo Facebook, aditivado no escambo decadente de brinde por audição/curtida/voto, não tem excedido a média de 20 curtidas por postagem, como a da foto de Caio e Arnaldo que recebeu mais de mil. Na verdade, desde a sua primeira postagem em 11 de outubro, a tal fan page recebeu ao todo 1.669 curtidas em seus 27 dias de vida. É mais ou menos o número dos DAS do governo Rosinha.

 

Publicado hoje na Folha da Manhã

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 9 comentários

  1. Antonio

    (Trecho excluído pela moderação). Quem é arnaldo? (Trecho excluído pela moderação) Garotinho e Rosinha,os nomes de pessoas serias e compromissadas com o povo. APLAUSOS MIL PARA ELES.Sei q n vai postar,pois vc so posta o q os puxa saco de ladrao escreve.

    1. Marcos Paulo

      antonio… antonio… tsc…tsc…tsc… Coloca o sobrenome filho… Como o patrão vai te reconhecer e não te cortar da lista… rs Sabe nem puxar… eee Campos…

    2. Julio Machado

      A menos que o Antonio esteja sendo irônico, a declaração “Garotinho e Rosinha, os nomes de pessoas serias e compromissadas com o povo” é um retrato do nível cultural e intelectual da nossa população, gente que fala “Cráudia andou de bicicreta pela cicrovia em um dia craro de sol, desviou do cabrunco de um buraco lamparão, e o pneu pocou”. E mais, reeleger Arnaldo é uma vergonha, resultado de um povo sem memória, povo que não merece o título de eleitor que tem.

  2. HUGO ALMEIDA

    No pau e na vida real mesmo, provavelmente, o moço da Lapa está tão desprestigiado, que na “vera” mesmo com este tal Beto Cabeludo, ainda ia levar de lavada! Nada sabemos deste Beto Cabeludo, mas, muito sabemos do moço da Lapa! Já era!

  3. Sérgio Provisano

    Como podemos contestar números absolutos? Não podemos. 27 dias de criação de uma fan page, de um programa populista, que faz “distribuições” de brindes, e que no mínimo são questionáveis os critérios dos sorteios, as más línguas falam que os sorteios são direcionados, que os sorteados são ligados ao governo, mas deve ser intriga da oposição mesmo, de gente que não tem o que fazer e gosta de fofoca, é apenas coincidência que membros do governo, os chamados DAS, estejam sempre presentes na caravana dos sorteios, quando deveriam estar trabalhando para justificar suas nomeações. É claro que posso ser tachado de intolerante, de ser mesmo um “hater”. e devo ser mesmo, por entender que o dinheiro público não deve ser usado para aparelhar um grupo político, mas minha visão deve ser equivocada, mas, mudando de fio para pavio e retomando o fio da meada, 27 dias de existência de uma fan page, 1.669 curtidas, é um número que retrata bem o ocaso do poder e começo a pensar que Beto Cabeludo, por que tenho estima e consideração, numa futura pesquisa, virá ultrapassar o “ídolo” de pés de barro do garotismo, com ampla folga.

  4. Julio Machado

    Campos tem uma população de mais de 350 mil eleitores, e a pesquisa foi feita com 404 destas, isto é 0,11% dos possíveis votos. Na boa, é uma piada? Se trata de uma amostra que não representa nada. Na verdade, este “instituto de pesquisa” deveria ser banido do mapa por preguiça de fazer algo sério. Com 404 pessoas entrevistadas, se vc atravessar a ponte o resultado será totalmente diferente, pois esse número não reflete em nada a opinião da população.

    1. Aluysio

      Caro Julio Machado,

      Para pretender escrever, necessário antes aprender a ler. O texto é claro ao dizer que a pesquisa feita a partir da consulta de 404 eleitores, foi a do instituto Informe, não o Pro4, que ouviu 981 eleitores para chegar a números finais muito parecidos. Além das letras, vc parece tb ter dificuldade com a lógica, ignorando conceitos matemáticos como estatística e proporção, no qual qualquer pesquisa se baseia.

      Grato pela chance de tentar levar luz às sombras!

      Aluysio

      1. Julio Machado

        Aluysio, obrigado pela aula e pelo esclarecimento. Realmente, de 404 para 981 fez toda a diferença, e agora o resultado ficou muito mais fiel.

  5. JOEL LEAL FERREIRA

    Julio, Julio, a coisa é séria.

Deixe um comentário para Sérgio Provisano Cancelar resposta