Rosinha e Edson Batista querem vender Campos para pagar rombo

Ponto final

 

 

No Natal, presente de grego

Todos os bens imóveis, créditos e direitos creditórios do município de Campos. No mês do Natal, esse é o presente de despedida da prefeita Rosinha Garotinho (PR) e seu subserviente presidente da Câmara, Edson Batista (PTB). Eles manobram para que o presente de grego seja desembrulhado hoje, em plena Casa do Povo, pelos vereadores que assumirem publicamente seu descompromisso com o futuro da própria cidade, onde cada um, suas famílias e eleitores habitam. O motivo? Tapar o rombo que o governo Rosinha deixou no Previcampos. Se ninguém fora do atual governo sabe a cifra exata, já se fala em mais de R$ 400 milhões.

 

Rosinha: todos os imóveis

Pelo projeto de lei nº 0101/2016 assinado por Rosinha, todos os bens imóveis do município poderão ser usados para pagar as dívidas deixadas pela prefeita com o sistema de previdência dos servidores municipais. Para pagá-la, caso o projeto seja aprovado, Campos poderá perder todo seu patrimônio físico, incluindo o prédio da própria Prefeitura, o Cepop, o Teatro Trianon, o Teatro de Bolso, a Cidade da Criança, o Museu Histórico de Campos, o Palácio da Cultura, o Museu Olavo de Carvalho , o Mercado Municipal, o Camelódromo, a Rodoviária Roberto Silveira e o Shopping Estrada.

 

Edson: todos os créditos

Achou muito? Pois não há nada que um serviçal do Executivo travestido de presidente do Legislativo não possa piorar. Pela emenda modificativa 001/2016 ao projeto de lei, Edson incluiu, além dos bens imóveis do município, todos os seus créditos e direitos creditórios. Significa dizer que, se os vereadores aprovarem o projeto e a emenda, ficarão comprometidas todas as receitas futuras de Campos com royalties, participações especiais e repasses estaduais e federais. Isso, depois do mesmo governo Rosinha já ter empenhado (aqui) R$ 367 milhões dos royalties da cidade até 2026, na “venda do futuro” aprovada pela mesma Câmara.

 

Não faça o que eu fiz

Para servir a quem foi grampeado pela Polícia Federal (PF) chamando de “comandante”, o acinte de Edson foi ainda adiante. Ele também é autor de outra emenda modificativa: a 002/2016. Se também aprovada pela Câmara, nem Rafael Diniz (PPS), quando assumir a Prefeitura, poderá renegociar o pagamento determinado em 60 parcelas mensais (5 anos) do rombo rosáceo na Previcampos. Após não cumprir o parcelamento e reparcelamento da sua tunga no bolso dos servidores, o governo Rosinha quer impedir seus sucessores de tentarem renegociar a dívida que ele mesmo fez, sabe-se lá para quê.

 

Deus e o Diabo

Se está certo o ditado que Deus e o Diabo moram nos detalhes, não há muita dúvida para que lado pendem os pormenores da tentativa rosácea de inviabilizar não o futuro governo, mas a sobrevivência da própria cidade de Campos. No Art. 2º do projeto da prefeita, a avaliação dos prédios do município usados para cobrir o rombo no Previcampos não caberá a alguém do mercado imobiliário, mas a um engenheiro indicado pela própria Rosinha.  Já no Art. 4º, fica garantido que se os imóveis vendidos estiverem “eventualmente ocupados por órgãos desta municipalidade, ficará o Município responsável pelo pagamento de locação ao Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Campos dos Goytacazes”.

 

Cautela

Aos vereadores que estiverem pensando em votar pela aprovação desse projeto de lei de Rosinha e das duas emendas modificativas de Edson, recomenda-se no mínimo cautela. Não só com suas biografias, ou com o que dirão seus filhos, netos, cônjuges, amigos, vizinhos e eleitores. Nem apenas com as consequências das Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) do “escandaloso esquema”, na denúncia (aqui) do Ministério Público Eleitoral (MPE) da troca de Cheque Cidadão por voto, que pesam sobre 11 candidatos a vereador rosáceos eleitos em 2 de outubro, sete deles já com assento  na atual Legislatura.

 

Aviso

Após o casal Garotinho entrar de cabeça na investigação da Lava Jato, com a denúncia (aqui) de R$ 9,5 milhões em propina recebidos pela Odebrecht, para que a empreiteira vencesse as licitações do “Morar Feliz”, no valor total de mais de R$ 1 bilhão, todo cuidado é pouco. Afinal, ao que conste, não há no Tribunal Regional Federal (TRF) do Paraná nenhuma Luciana Lóssio, ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que deu habeas corpus a todos os presos pela operação “Chequinho”. E, sejam usados para pagar o rombo de Rosinha na Previcampos ou qualquer outro fim, royalties, participações especiais e repasses da União são verbas federais.

 

Publicado hoje (13) na Folha da Manhã

 

Com os detaques do blog, o projeto de lei de Rosinha:

 

Projeto Rosinha 1

 

Projeto Rosinha 2

 

 

 

Com os destaques do blog, as duas emendas modificativas de Edson: 

 

Emenda Edson 1

 

 

Emenda Edson 2

 

Emenda Edson 3

 

fb-share-icon0
20
Pin Share20

Este post tem 16 comentários

  1. Antonio Bernardes

    Impossivel que não exista um caminho juridico para colocar essa dupla na (trecho excluído pela moderação)!!! No caso do médico é um (trecho excluído pela moderação) que venha voltar exercer a medicina!!!!

  2. Mary

    Vamos mostrar a força do povo, perderam nas urnas. Querem vingança? Nós campistas temos que nos unir para impedir mais ações desse povo.

  3. silvana

    Pelo amor de Deus!Tem que colocar estes (trecho excluído pela moderação) para ontem o que nós estamos esperando?A a família Garotinho está saqueando tudo que temos e ninguém faz nada?Eles vão embora em dezembro e vão nos deixar na miséria? Impossível meu Deus que não acontece nada,precisamos agarrar Rosinha e Garotinho e colocar na cadeia e espremer até devolver tudo que é nosso ,os trilhões que continuam roubando!!!!!!

  4. robson

    Os vereadores sérios e dignos devem ou deveriam, provocar o Judiciário afim de derrubar esta manobra vergonhosa.
    Esta Senhora e este Senhor estão querendo acabar de quebrar a nossa cidade.

  5. Dulce Moema Barbosa Monteiro

    É o Retrato do país em que vivemos.

  6. Marcos Caldeira

    Canalhas, mil vezes canalhas. A Cidade acabará se for aprovado.

  7. Isa

    Essa é a nossa herança maldita, mas haveremos de desatar os nós que esses aproveitadores fizeram. Garotinho e comparsas, nunca mais!!!!!!!!

  8. Julio Machado

    (Treho excluído pela moderação) pra Garotinho, Rosinha e Edson Batista.

  9. Roberto

    Num país em que o presidente do Senado não cumpre ordem judicial do STF, o que esperar desse bando de ABUTRES que se julga dono da nossa cidade!

  10. juliano de sousa

    A bem da verdade – Li o projeto de Lei e não encontrei a citação nem do Trianon, nem do museu, nem do mercado como sujeitos à venda. Aliás, (trecho excluído pela moderação) esses prédios não são “vendáveis”. Se fossem vendáveis apenas o Trianon pagaria o déficit da PreviCampos e não precisaria vender todos imóveis como está sendo erroneamente informado. (Trecho excluído pela moderação), procurei me informar, e me disseram na Secretaria de Fazenda que os imóveis da Prefeitura que são vendáveis são as dezenas de casas que valiam R$ 100 mil e o prefeito Arnaldo Vianna comprou por milhões em negociação com amigos, que gerou um rombo de mais de R$ 350 milhões na Prefeitura, e outro rombo de R$ 345 milhões no Fundecam, com empresas de fora que apanharam dinheiro na Prefeitura e não geraram empregos.

  11. Sergio Silva

    Infelizmente a Justiça é inoperante
    só faz justiça contra os pobres

  12. Marcelle

    Que país é este?
    Como podemos aceitar passivamente o que estão fazendo com a nossa cidade? Não é possível, que não haja um meio de interditar os atos do “desgoverno” atual. Estou perplexa com tanta manobra, tanta falta de respeito, tanta falta de compromisso. Espero que o povo guarde com muito carinho todas essas notícias, para NUNCA mais eleger essa quadrilha, incluindo “prefeita”, secretários e vereadores.

  13. marcos moreira

    É Consequencia de escolhas erradas.quando falei em blog deste jornal que garotinho armou uma cama de gato para levar a nova adiministraçao ao buraco,mandaram eu calar a boca que rafael é muito bom,sem recursos nenhum gestor é muito bom,com certeza garotinho procura uma improbidade adimistrativa para o novo prefeito em busca de nova eleiçâo

  14. Paulo Sá

    A quem beneficiará as medidas adotadas pela prefeita Rosinha? Ao seu governo é que não será, porque ela não terá tempo para vender nada, uma vez que terá que fazê-lo via leilão público, o que demanda prazos mínimos de 90 dias para a sua conclusão.
    Portanto, Rosinha está facilitando para a administração de Rafael recorrer a venda de bens e créditos, caso as finanças do município entre em colapso, como vem ocorrendo ao governo do Estado, que Pezão levou à falência.
    Por tal motivo, é possível que o próprio Rafael tenha sido comunicado do fato e tenha interesse na sua consumação, porque não terá que arcar com o ônus de tomar tais medidas.
    O município, como o Estado e a União, são mantidos pelas suas receitas e não pelos seus bens patrimoniais, que geram despesas com manutenção. Ele só precisa dos imóveis que abrigam seus órgãos administrativos, para evitar gastos com locação. O que excede a essa necessidade é para socorrer o governo em tempos de crise como a que o Brasil está vivendo.
    Portanto, as medidas adotadas pela prefeita Rosinha não prejudicarão nem o município e nem o governo de seu sucessor, Rafael Diniz, porque ela não venderá nada. Sew ele precisar vender a responsabilidade será dele.

Deixe um comentário